Revisão: Legion

Legion é uma amálgama difícil de descrever, uma trip psicadélica multi-género, visualmente cativante e revolucionária. Noah Hawley, o homem que não deve dormir, guia-nos num novelo que se desenrola com um bom gosto incrível e faz Brilhar Aubrey Plaza e Dan Stevens, numa série capaz de voar sobre um ninho de cucos.

Óscares Barba Por Fazer 2017

A equipa do BPF elegeu os melhores do ano. Nos nossos Óscares há justiça para 'Nocturnal Animals', 'I, Daniel Blake', Mackenzie Davis, Aaron Taylor-Johnson, Rebeca Hall ou Amy Adams, e muitos elogios para Damien Chazelle e Casey Affleck

E os Óscares 2017 foram para...

Numa noite em que La La Land ganhou 6 óscares, o último e mais importante foi para Moonlight com golpe de teatro pelo meio. Damien Chazelle, Casey Affleck, Emma Stone, Mahershala Ali e Viola Davis não esquecerão este ano

Crítica: Moonlight

Eleito Melhor Filme pela Academia, Moonlight consegue, com uma beleza rara, um trabalho de câmara e um elenco extraordinário, colocar no ecrã o tempo que demoramos a descobrir que somos, e a aceitar e abraçar isso mesmo. O filme de Barry Jenkins é uma peça universal, humana e poética, fragmentada em 3 partes (criança, adolescente e adulto).

Balanço Liga NOS 16/ 17

Um Benfica de luxo à procura do inédito tetra, um Porto que defende como ninguém mas ao qual faltam golos e um Sporting em crise. Esta é a nossa análise a meio de um campeonato com o Minho em força e Chaves a surpreender

31 de outubro de 2013

Garganta Afinada. Top 20 ( nº 91 )

    Está frio, não está? Está. E o que é que isso tem a ver com este top? Tudo. Escolhemos apenas músicas repletas de frieza. Agora a sério e pondo esta escrita esquizofrénica de lado... o frio pede claramente umas músicas para nos acompanharem no caminho para casa, no carro, nos transportes públicos e por isso, depois de uma paragem de mais de 1 mês, eis o regresso do Garganta Afinada.
    O GA de hoje começa com 2 músicas que até foram bem interpretadas por dois concorrentes do Factor X, ainda que bem longe dos génios originais nos seus géneros: John Legend (com "All of Me"), uma das melhores vozes masculinas da actualidade, e Ed Sheeran (com "Cold Coffee"), o tal que o director da Sony Music Portugal e o produtor do Sudoeste e do palco Heineken no Alive não conhecem.. Não vimos de mãos a abanar em termos de música portuguesa ou feita por portugueses e por isso abaixo têm Orlando Santos - dos Orelha Negra -, Richie Campbell, Sam The Kid ou o backsinger Berg. James Arthur é uma presença bem assídua nos nossos tops e já dispensa apresentações, e desta vez damo-vos também uma "Survival" que faz parte do último álbum de Eminem, "Atlas" dos Coldplay que integra a banda sonora da 2.ª parte de Hunger Games ou "City of Angels", uma das melhores músicas que os 30 Seconds to Mars já criaram. O Jared Leto e os seus amigos que estiveram recentemente no MEO Arena e nas ruas do Chiado a cantar porque lhes apeteceu. Um dia vou estar a apanhar o 50 e o Eddie Vedder vai decidir improvisar numa paragem da Carris. Um dia.. Para quem ainda não conhece há ainda nomes promissores como Sampha, Lorde e Ella Henderson e músicas da grande série Breaking Bad - "Goodbye" de Apparat e outra dos TV on the Radio. Ah, e é ainda caso para dizer que Drake está omnipresente: desde a sua própria música, ao facto de termos posto uma cover de Ella Henderson que inclui essa mesma música e ainda porque Sampha foi um artista que teve uma mãozinha de Drake.
    E prometemos voltar a fazer um Garganta Afinada quando o Metro fizer greve novamente! Na realidade esperamos fazer mais cedo. Ou mais tarde, se os trabalhadores do Metro decidirem outra vez em reunião que têm que ir todos à Primark.


Ronaldo vai ser o melhor marcador de sempre do Real?; "Grandes" evitam-se na taça da liga inglesa

  Liga BBVA - Ontem foi dia de Real Madrid-Sevilha e assistimos a uma das melhores exibições dos merengues esta época, uma resposta perfeita de Ronaldo aos comentários de Blatter e, sem dúvida, o 1.º grande jogo de Gareth Bale pelo Real. O galês marcou os dois primeiros golos do jogo e ganhou o penalty que Ronaldo converteu em 3-0. O jogo animou quando Rakitic (de penalty) e Bacca (assistido por Jairo) colocaram o marcador em 3-2 ainda na 1.ª parte mas o Real entrou forte na segunda metade e Bale assistiu Benzema e Ronaldo para um golo de cada um dos colegas de ataque. Seguiu-se o momento do jogo com Ivan Rakitic a fazer um grande golo (a lembrar um golo de Bale há uns anos ao Manchester City) e até final o Real chegou ao 7-3 com Cristiano Ronaldo a chegar ao hat-trick e Benzema a marcar mais 1.
    BPF - Incrível a resposta em campo do capitão português aos comentários de Blatter (o festejo "à Comandante" era porventura uma ironia necessária e inevitável). Ronaldo chegou aos 11 golos, igualando Diego Costa nos melhores marcadores da liga e tornando-se o 5.º melhor marcador de sempre do Real - 157 golos em 146 jogos! Está apenas atrás de Hugo Sanchez (164), Santillana (186), Di Stéfano (216) e Raúl (228). Considerando que Ronaldo dista 71 golos do 1.º lugar de Raúl e que deverá continuar em Madrid nas próximas temporadas, é provável que daqui a 2 épocas vejamos Ronaldo a ser coroado o goleador máximo dos merengues. Destaque também para Ivan Rakitic - o médio croata está a apresentar uma qualidade cada vez mais regular e merecia talvez "dar o salto" nesta altura da sua carreira em que está maduro e no seu melhor momento.
    Em Espanha o Almería venceu o Valência, a Real Sociedad (bis de Griezmann) empatou com o Valladolid e ontem o Barcelona ganhou em Vigo (Alexis Sánchez, Fábregas e um auto-golo) por 3-0.

  Capital One Cup - O sorteio hoje dos quartos-de-final da taça da liga inglesa ditou os seguintes embates: Stoke City - Manchester United; Tottenham - West Ham; Leicester City - Man City; Sunderland/ Southampton - Chelsea. Curioso emparelhamento uma vez que o United ainda recentemente sofreu para vencer o Stoke em Old Trafford por 3-2 e o Tottenham foi humilhado em pleno White Hart Lane pelo West Ham (3-0). A visita de Mourinho poderá ser mais complicada caso o Southampton vença o jogo com o Sunderland.
    Nos oitavos o jogo grande foi o Arsenal-Chelsea: ambas as equipas "rodaram" plantel e o Chelsea demonstrou maior coesão, entrega e também profundidade de plantel. Azpilicueta (golo oferecido por Jenkinson) e um grande remate de Juan Mata fizeram o 2-0. O Tottenham precisou dos penalties para ultrapassar o Hull City, num jogo em que o momento alto foi o golaço de Sigurdsson, enquanto que o City ganhou ao Newcastle no prolongamento (Negredo e Dzeko marcaram). O Manchester United teve tarefa facilitada frente ao Norwich - 4-0 com Chicharito a bisar e os jogos mais emocionantes foram o Birmingham-Stoke e o Leicester-Fulham. O Stoke venceu nos penalties depois do jogo ter terminado 3-3 no tempo regulamentar e 4-4 no prolongamento. Já o Leicester seguiu em frente depois de uma vitória emocionante por 4-3, com um golo de Lloyd Dyer aos 89' a dar a passagem.

  Serie A - Em Itália hoje joga a Roma (recebe o ChievoVerona e deve dar sequência ao momento incrível) mas ontem foi a vez de Juventus e Nápoles conseguirem ganhar os seus jogos e pressionar a equipa líder. A Juventus ganhou por 4-0 ao Catania, com golos das estrelas Vidal, Pirlo, Tevez e Bonucci, enquanto que o Nápoles venceu em Florença. Mertens e Callejon marcaram pelos napolitanos, Rossi pela Fiorentina. Destaque para o Hellas Verona de Iturbe que voltou a ganhar e está num espantoso 5.º lugar com os mesmos pontos do Inter (4.º classificado). O AC Milan empatou 1-1 com a Lázio num jogo em que Kaká marcou um golo de levantar o Giuseppe Meazza.

- Boas notícias para quem gosta de bom futebol: Jürgen Klopp renovou como treinador do Borussia Dortmund até 2018;
- O Governo português confirmou hoje que a partir da próxima temporada (2014-2015) vai ser transmitido em sinal aberto (RTP, SIC ou TVI) 1 jogo da Liga por jornada que envolva sempre alguma das 5 equipas melhor classificadas.

29 de outubro de 2013

Presidente do Paços de Ferreira apresenta demissão

    Depois de Costinha, chegou a vez do Presidente Carlos Barbosa apresentar a sua demissão. A comunicação da decisão já chegou ao Presidente da Assembleia Geral faltando apenas a convocação de uma reunião magna para se tomar a melhor decisão para o clube.

    Carlos Barbosa manifestou desagrado com «ingratidão manifestada pelos adeptos» do Paços depois de tudo o que fez pelo clube. O ainda Presidente dos castores quer mostrar que não está agarrado ao poder colocando o seu lugar à disposição.

    Concordamos que Carlos Barbosa conseguiu elevar o Paços de Ferreira a um bom nível, mas conseguiu destruir o barco que construiu com erros graves esta temporada. O clube encontra-se numa situação difícil e será complicado reagir animicamente às adversidades futuras.

28 de outubro de 2013

Costinha demite-se do Paços de Ferreira

    Costinha pediu a demissão do cargo de treinador do clube de Paços de Ferreira, tendo a mesma sido aceite de imediato pelo Presidente. As más exibições e especialmente os constantes maus resultados do clube pesaram na decisão do técnico português.
    Costinha afirmou que «deixaram de existir condições para continuar. Durante a semana já tinha conversado com o presidente e infelizmente as coisas não correram pelo melhor.»
     A culpa de toda esta situação é do Presidente do Paços de Ferreira. Após um ano fantástico onde conseguiu inclusive um lugar na Liga dos Campeões, Carlos Barbosa perdeu o seu treinador e alguns jogadores chave - uma situação normal -, mas não soube reforçar o clube. Praticamente não contratou ninguém para colmatar as saídas importantes e ainda por cima contratou um treinador que nada fez na sua curta carreira. Um clube que vai disputar as eliminatórias da Champions deveria contratar um treinador mais experiente ou, no mínimo, que fosse bastante promissor. A partir daí foi uma bola de neve. Os maus resultados começaram a surgir, mas mais uma vez Carlos Barbosa foi incapaz de tomar uma boa decisão quando a bola de neve ainda era pequena. Os maus resultados continuaram e Carlos a ver a bola a aumentar por aí abaixo. Teve de ser o próprio Costinha a demitir-se - tomando finalmente uma decisão digna de um homem - mostrando mais uma vez a incompetência do Presidente dos castores. Costinha não deveria ser o único a abandonar o barco pois não foi o único que prejudicou o clube. 
    O Paços somou apenas uma vitória e um empate em 8 jogos somando um total de 4 pontos. Somam também a segunda pior defesa do campeonato juntamente com o Marítimo e a pior diferença de golos (-8). Foram eliminados da Liga dos Campeões pelo Zenit por expressivos 1-4 e 4-2. Na Liga Europa apenas conseguiram um empate com o Pandurii tendo perdido os outros 2 jogos.

Baines mais perto do Manchester United; Ter Stegen deve ser mesmo o sucessor de Valdés

  Manchester United - Depois de um longo namoro no mercado de transferências veranil, lado a lado com Fellaini, Leighton Baines voltou hoje a ser dado como muito provável reforço do Manchester United em Janeiro. Segundo o Daily Star a transferência poderá ocorrer por 17,5 Milhões, com o United a usar a seu favor o facto do contrato de Baines caminhar gradualmente para o fim (falta ano e meio para expirar). Patrice Evra deu a entender no final da temporada passada que, com a sua sucessão garantida, pretenderá rumar a outras paragens para terminar a carreira e neste sentido em Janeiro o lateral do Everton e da selecção inglesa pode tornar-se um dínamo da asa esquerda dos campeões em título. É sabido que David Moyes venera Baines, retirou dele o seu melhor futebol e tem desiludido como manager dos Red Devils, que ocupam neste momento o 8.º lugar, dois lugares e 4 pontos atrás do Everton. Martínez não quererá abdicar com certeza de Baines, mas veremos o desenvolvimento deste processo.

  Barcelona - Pelos ares alemães, mais especificamente no SportsBild, Marc-André ter Stegen (guarda-redes de 21 anos do Borussia M'gladbach) é dado como reforço do Barcelona no próximo Verão. Zubizarreta, director desportivo do Barça, ter-se-á deslocado à Alemanha com o intuito de garantir ter Stegen, numa altura em que já é certo e sabido que Victor Valdés abandonará o barco quando o seu contrato terminar.
    BPF - Pouco há a dizer, ter Stegen é naturalmente um dos melhores guarda-redes que o Barcelona poderia garantir e conseguindo a sua contratação tem guarda-redes para os próximos 10/15 anos. Marc-André ter Stegen está num momento incrível pelo M'gladbach e está, a par de Cortouis e De Gea, no trio de guarda-redes mais promissores da actualidade. Não tem o jogo de pés de Valdés, mas tem uma margem que o poderá deixar alguns degraus acima do actual guarda-redes dos catalães.

- Já há algum tempo era falado mas apenas hoje Honda, japonês do CSKA, foi confirmado oficialmente como reforço do AC Milan no mercado de Janeiro.




Factor X: Audições 4

Alvíssaras (julgo que isto exprime uma boa nova ou boa notícia), musicólogos. Ao quarto conjunto de audições do Factor X português começamos a ficar - felizmente - com a ideia de que pode haver qualidade para ser trabalhada e dar um programa. Neste último programa surgiram vários artistas merecedores de destaque, o júri (sobretudo "os Paulos" e sobretudo Ventura) continuaram a dar bandeira e continua a ser menor a qualidade e o leque de opções a nível de grupos, o que poderá resultar, reforçamos, numa conjugação dentro de 1 ou 2 fases de alguns artistas a solo num grupo. A viagem de hoje começa com Berg, vamos passar por um locutor de rádio da Mega Hits, pelo Jason Segel português e ainda um rapaz que foi cantar uma música de um artista completamente desconhecido para o júri... um tal de Ed Sheeran.

    Teófilo Sonnemberg é, ao fim de 4 programas de audições, o candidato mais forte e completo do Factor X. Berg, neste momento com 41 anos, decidiu finalmente apostar em si a solo depois de tantos anos na sombra (vimo-lo por exemplo nos Bandídolos, a banda que acompanhava os concorrentes do Ídolos). Tem um timbre do qual é impossível não se gostar, tem experiência, sabe cantar como ninguém, sente e vai proporcionar garantidamente grandes momentos nos próximos meses. Na audição, como o meu cunhado disse: ele não foi ali para concorrer, foi para dar espectáculo. Ele deu um concerto. Primeiro cantou "At Last" de Etta James (coitadinha da actuação da Sílvia Barros que esteve bem com o mesmo tema, mas tão longe) numa audição semelhante à de Josh Krajcik no X-Factor norte-americano. O público pediu outra e Berg brindou toda a gente com o melhor momento musical deste Factor X até agora - "Chuva" de Jorge Fernando, numa versão à Berg.
    Depois temos o Fernando Daniel. Este rapaz de 17 anos é fisicamente o resultado de um filho do Ruben Amorim com o André Almeida, jogadores do Benfica, e musicalmente interpretou "Cold Coffee" de Ed Sheeran tendo uma voz semelhante ao original. Mas quem é esse Ed Sheeran? Aqui no Barba Por Fazer nos últimos 2 anos temos partilhado nos nossos 'Garganta Afinada' temas do britânico como "Give Me Love", "The A Team", "Firefly", "Lego House", entre tantos outros. No entanto, o director da Sony Music Portugal (Paulo Junqueiro) e o senhor que está envolvido no Sudoeste e produz e dirige o palco Heineken no Optimus Alive (Paulo Ventura) nunca ouviram falar dele. E julgo que isto chega para se perceber muita coisa sobre as decisões deste júri. Voltando ao Fernando Daniel, esteve a um grande nível e gera bastante curiosidade para o acompanharmos nas próximas fases.

    A Nádia Gonçalves terá provavelmente trazido à memória de alguns saudosistas a concorrente do Ídolos Diana Piedade. Tem o Factor X, uma voz especial (actuação 95% perfeita, precisando só de uns ajustes nos fade outs no refrão, quando levava a voz lá acima) e das mais interessantes em competição. Com um potencial enorme, deleitou quem a ouviu a cantar... "Wrecking Ball" de Miley Cyrus. Sim, nem só o James Arthur faz coisas interessantes com Cyrus.
    Passamos de um diamante por lapidar com 21 anos para um dos locutores principais da Mega Hits. É verdade, o Daniel Fontoura decidiu aos 31 anos que estava na hora de apostar definitivamente na sua carreira musical e não fazer apenas uns medleys engraçados na rádio (tem jeito para cantar Muse o rapaz). Tem voz para complicar as contas nos "+25" (categoria muito forte com Berg, José Freitas, Jair Neves, Nina Pereira e Dário Ferreira) e é dos elementos mais fortes a nível de presença de palco. Já agora, cuidado Daniel, nunca é bom ouvir o Paulo Ventura dizer "se lhe puser as mãozinhas em cima"... E a música que cantou foi "I Heard it Through the Grapevine" de Marvin Gaye.

    Já falámos da fusão do Amorim com o André Almeida, mas no Gonçalo Santos temos o Jason Segel (actor de How I Met Your Mother) em versão tuga. Ventura entendeu que ele estava "à rasca" quando chegou ao palco mas felizmente isso não transpareceu na actuação. A cantar "I Won't Let You Go" de James Morrison provou o seu talento, fez a sua performance em parte de olhos fechados (nem reparou quando o mandaram parar) e junta-se a Fernando Daniel, Mariana Rocha e David Dias nos jovens que demonstraram qualidade com guitarra acústica. E Paulo Junqueiro, hás-de me explicar como é que é isso de fechares os olhos para perceberes que era mesmo ele que estava a cantar. Não deveria ser... o inverso?!
    E do Gonçalo passamos para os meninos da mamã. Na realidade são os Heartbreakers - dois irmãos que dedicaram "When You Say Nothing At All" à mãe. São genericamente afinados, vocalmente apenas batidos pelos The Bliss a nível de grupos, mas considerando que as vozes deles são tão parecidas podiam não ter cantado tudo em uníssono e deixado cada um brilhar individualmente. Não é um dos grupos que nos entusiasma mais, mas sim em todo o caso foi justo passarem à fase seguinte.

    Sara Ribeiro, a boa notícia é que merecias completamente passar à próxima fase - principalmente pela "Alone" das Heart e não pela inicial Brandi Carlile. A má notícia é que numa categoria com Berg, José Freitas, Jair Neves, Nina Pereira, Dário Ferreira e Daniel Fontoura, a vida vai ser muito muito complicada para ela. Terá que subir o nível e manter a qualidade vocal na música das Heart, e veremos se chega.
    Quanto ao Diogo Valente proporcionou mais um dos momentos polémicos que a produção/SIC tanto gostam para fazer televisão, fazer audiência em vez de fazer música. Foi cantar Prodígio, revelou boa energia em palco e uma voz passível de resultar tanto ao vivo como em estúdio. Até por potenciar um campo musical pouco espelhado nos concorrentes que já passaram podia e devia ter passado imediatamente, mas acabou por só passar já longe do palco, com Paulo Junqueiro a dizer que o amou e a mudar o seu Não para um Sim. Vai ter que trabalhar o Diogo.

    Neste programa tivemos ainda o professor de música Luís Taklin (grande guitarrista, para já a mostrar-se decente cantor) e algumas audições bastante curiosas. A Gabriela Marques tinha figura mas claramente não tem voz, a Cláudia Teixeira tem uma projecção vocal interessante mas tem uma forma de cantar esquisita. É muito afinada, não comete erros, mas tem uma necessidade de projectar a sua voz de forma exagerada por vezes. Depois houve o Tomás Baptista - foi cantar uma das músicas preferidas de um dos elementos da nossa equipa do BPF - "Nothingman" dos Pearl Jam e deixou apenas patente, como por acaso o júri bem lhe disse, que ele tem uma voz bastante interessante mas ainda não sabe o que fazer com ela, ainda não sabe cantar. É claramente músico para voltar numa próxima edição. Por fim a Paige Ferreira que proporcionou um momento bilingue no programa. Com os seus olhos azuis foi talvez melhor a cantar Guns N' Roses mas vai precisar de trabalhar, surpreender e apresentar-se acima do nível da audição para se manter em competição no futuro.

Porto frio e maduro fica mais líder depois de derrotar (3-1) os leões

Porto  3 - 1  Sporting (Josué (pen.) 11', Danilo 62', Lucho 74'; William Carvalho 60')

    Eram grandes as expectativas de qualquer adepto do futebol português para o jogo de hoje. O Porto não tem enchido o olho, o Sporting tem surpreendido os mais optimistas e qualquer benfiquista sabia após a vitória frente ao Nacional que hoje era Clássico para ganhar pontos. A ausência de Quintero podia preocupar quem achasse que o Porto precisaria da magia do colombiano para desbloquear o jogo, mas viu-se genericamente uma exibição característica dos dragões nestes momentos - psicologicamente fortes, coesos, a encarar o jogo do 1.º minuto ao último com competitividade e consciência da importância de "mais 3 pontos".
    O jogo começou vivo e interessante, com um bom ambiente no Dragão e duas equipas a sentirem a importância do encontro. O Sporting embora não se assuma como candidato sabia que uma vitória ou empate neste jogo podiam ajudar a mudar o discurso e o Porto entrou com um miolo de Fernando, Herrera e Lucho, soltando nos flancos Varela e Josué (embora ele renda mais no centro do terreno). O jogo acabou por ser desbloqueado por... Maurício. O central brasileiro chegou tarde a um lance e abalroou Alex Sandro dentro de área - um daqueles penalties que não dá discussão em nenhum café. Com a pressão nos ombros, Josué atirou para o lado esquerdo e provou a sua frieza. O Sporting procurou nos minutos seguintes ter mais bola, mas sempre com algumas dificuldades em construir, enquanto que no Porto Josué ia procurando bater Patrício pela 2.ª vez e William Carvalho tirou "o pão da boca" a Cha Cha Cha Martínez. À saída para o descanso, o resultado ajustava-se, embora dê sempre pena quando um Clássico é decidido por uma grande penalidade.
    Embora a segunda metade tenha começado com uma saída em falso após um canto, o Sporting e os seus adeptos começaram gradualmente a acordar e aos 60' o empate chegou mesmo. André Martins cruzou, William Carvalho rematou para a baliza e um desvio em Fernando traiu Hélton. Os leões festejaram muito mas logo a seguir mostraram uma falta de maturidade e capacidade competitiva tremenda. O Porto teve alma e caiu em cima após o golo sofrido e, praticamente no minuto seguinte, Josué colocou a bola em Danilo e o lateral direito (faz alguma confusão vê-lo longe de zonas onde possa brilhar mais) fintou Rojo e fez um grande golo. O golo deixou os verde-e-brancos quase K.O., mas ainda tiveram forças para dar trabalho a Hélton - Capel rematou com perigo, Montero obrigou o guarda-redes brasileiro a uma boa defesa depois de um cabeceamento e Piris também pôs o keeper portista à prova. A corrente estava para um lado, mas o golo surgiu do outro - transição perfeitamente executada e completamente consentida pela defensiva leonina. Jackson Martínez cruzou, Silvestre Varela ganhou a bola de cabeça e assistiu Lucho para o 3-1, o ponto final no jogo.

    Viu-se hoje o tipo de exibição que faz, ano após ano, manter-se regular. Não houve uma personalização de Paulo Fonseca, houve sim uma exibição de uma equipa que sabe o que quer e o que tem que fazer/ jogar para o conseguir. Josué foi talvez o melhor elemento, num jogo em que o momento-chave surgiu na incursão de Danilo. O Sporting foi inferior, teve azar ao ter sofrido os golos da 2.ª parte em momentos em que até estava melhor, mas revelou estar verde, não beliscando em nada o seu bom percurso até agora.


Barba Por Fazer do Jogo: Josué (Porto)
Outros Destaques: Hélton, Danilo, Lucho; William Carvalho
Golos:
1-0 Josué (pen.) 11'
1-1 William Carvalho 60'
3-1 Danilo 62'
4-1 Lucho 74'

Benfica afasta pressão com exibição positiva

Benfica    2 - 0    Nacional (Siqueira 15', Cardozo 48')

    O Benfica voltou finalmente a mostrar rasgos de bom futebol numa exibição positiva que valeu a vitória por 2-0 sobre o Nacional da Madeira. Uma segunda parte mais rica em futebol do que a primeira num jogo que também ficou marcado pelas pazes feitas entre Jorge Jesus e Manuel Machado. JJ apostou em Ivan Cavaleiro de início relegando Ola John para o banco.
    Os encarnados começaram melhor dominando por completo o jogo. Contudo, as oportunidades de golo na primeira parte foram escassas. A primeira ocasião resultou logo em golo. Siqueira combinou na perfeição com Óscar Cardozo e finalizou friamente para o golo inaugural. Enorme passe de primeira do Tacuara a picar a bola com classe desmarcando por completo o lateral brasileiro. O Nacional não conseguia atacar e apenas criou perigo num livre muito bem batido por Claudemir para boa defesa de Artur. Cardozo - que até então estava a fazer um bom jogo - podia ter dilatado o marcador numa jogada confusa, em que a bola acaba por lhe parar aos pés tendo o paraguaio rematado sem força permitindo a defesa de Gottardi. Havia mais Benfica, mas o jogo estava um pouco morto.
    Para a segunda metade as águias vieram com ânsia de melhorar o seu futebol e foi isso que aconteceu. Gaitán que tinha andado desaparecido, resolveu espalhar magia. Logo no primeiro lance do segundo tempo quase marcou um golo de bandeira após bom trabalho pela direita. O argentino não se conformou e no lance seguinte Rodrigo recupera a bola a meio campo, dá para Nico Gaitán, o extremo argentino tira um da frente, parte para cima do último defesa e desmarca Tacuara que, isolado, apenas teve que confirmar o golo. Terceiro golo do número 7 encarnado com carimbo argentino de Gaitán. Ivan Cavaleiro podia ter uma estreia a titular perfeita não fosse Gottardi a negar-lhe o golo após enorme passe de Nico Gaitán. Poucos minutos depois, o jovem saiu estourado recebendo uma ovação de pé e ainda teve direito a cânticos com o seu nome. O 3º golo chegou a ser gritado quando Tacuara rematou em jeito de pé direito levando a bola para as malhas superiores. Era um segundo golo bem merecido dada a grande exibição do paraguaio.

    Os encarnados sobem assim ao 3º lugar com os mesmos pontos que o Sporting tendo apresentado hoje melhorias no seu futebol - especialmente na segunda parte. Boa resposta de Nemanja Matic ao mau jogo europeu. Estreia positiva de Ivan Cavaleiro a titular. Nico Gaitán voltou às boas exibições faltando-lhe apenas o golo.

Barba Por Fazer do Jogo: Óscar Cardozo (SL Benfica)
Outros Destaques: Gaitán, Ivan Cavaleiro, Enzo.
Golos:
1-0 Siqueira 15'

2-0 Ó. Cardozo 48'

27 de outubro de 2013

Crónica: Sporting tem o 2º melhor ataque da última década

    À beira do clássico de hoje, o Sporting parte para o importante embate com o FC Porto - referente à 8º jornada - com o 2º melhor ataque da última década. A equipa criada praticamente de raiz por Leonardo Jardim fica apenas atrás do Benfica da temporada 2009/10 com 24 golos marcados em 7 jogos.
    A figura do ataque leonino é o colombiano Fredy Montero. O avançado já leva 9 golos na Liga e apenas não facturou no jogo contra ao Rio Ave no Estádio de Alvalade. Apesar da qualidade inegável de Fredy, há toda uma equipa low cost por trás que faz com que os golos surjam com maior naturalidade. O mérito é de longe de Leonardo Jardim. Voltou a apostar em jogadores esquecidos por treinadores anteriores como Cédric, William Carvalho e - o caso mais sonante - Wilson Eduardo. Este último tinha vindo a destacar-se nos últimos anos por todas as equipas que representou, mas nunca chegou a ter uma oportunidade no clube de Alvalade. Esta época finalmente teve a sua oportunidade, agarrou-a e é agora um dos elementos mais importantes da equipa. Tanto ele como Carrillo - o peruano bem mais inconstante nas suas exibições - facilitam o trabalho de Montero na frente. No miolo o patrão é William Carvalho. Um recuperador de bolas nato com uma precisão de passe incrível tem à sua frente dois bons distribuidores de jogo. Tanto Adrien como André Martins têm capacidade de pegar na bola e assumir o jogo. Arriscam se assim for preciso e também eles são importantes no ataque do leão.
    Como referi em cima, na última década o Sporting possui o 2º melhor ataque ficando apenas atrás do Benfica de 2009/10. É certo que o clube da Luz igualou a marca actual dos leões por mais duas vezes (2011/12 e 2012/13) marcando os mesmos 19 golos à 7ª jornada. Contudo, o Sporting supera-se muito ligeiramente na diferença de golos tendo apenas 4 sofridos contra os 8 (2011/12) e 6 (2012/13) do Benfica. Muita das vezes diz-se que a melhor defesa é o melhor ataque, mas é certo que o clube verde e branco tem em Rojo e Maurício uma boa dupla de centrais e Jefferson é o lateral esquerdo que há muito faltava ao Sporting. O lateral brasileiro também ele é um perigo quando sobe ao ataque. Os seus centros milimétricos dão imensas dores de cabeça à defesa adversária. Cédric é o elo menos forte da defensiva sportinguista tendo algumas lacunas defensivas ainda por limar.
    Existe um trabalho sério por parte do Sporting que remete o clube automaticamente como candidato ao título da Liga Zon Sagres. Hoje terá o jogo mais complicado da época ao visitar o campeão em título e líder da tabela classificativa. Hoje muitos dos jogadores estarão mais uma vez à prova ao enfrentar um adversário complicado num ambiente desfavorável - coisa que ainda não aconteceu. Contra o Benfica, em Alvalade, notou-se alguma incapacidade de responder por parte dos jogadores após o golo dos encarnados. Como será hoje? Será o Sporting capaz de superar o ambiente e consequente pressão que o rodeia? Conseguirá o Sporting ultrapassar o número de golos marcados pelo Benfica em 2009/10? Estaremos cá para saber...


                     Tiago Moreira

"El Classico" começa sem sal e acaba a escaldar (2-1)

Barcelona    2 - 1    Real Madrid (Neymar 18', A. Sanchez 78'; Jesé 90'+1)

    Hoje tivemos o El Classico que se disputou a uma hora fora do normal. O jogo começou às 18h (17h em Portugal Continental) com um Camp Nou a rebentar pelas costuras e também com uma homenagem a Tito - antigo treinador dos blaugranas. O jogo começou sem sal algum com um Real defensivo e na expectativa de um erro adversário e um Barcelona também um pouco cauteloso. Contudo, Alberto Mallenco - árbitro da partida e figura no Benfica-Olympiakos pelas piores razões - voltou hoje a brilhar apimentando a segunda parte com 3 erros com possível influência no resultado.
    A primeira metade praticamente não teve ocasiões de golo. O primeiro lance de perigo surgiu aos 19 minutos e resultou logo em golo. Bom trabalho de Iniesta a libertar Neymar na esquerda, o brasileiro não entrou em cerimónias e disparou para a baliza fazendo o primeiro da partida e levando ao delírio todo o estádio. A bola não ia para a baliza tendo sofrido um desvio essencial de Rafael Varane. O Real podia ter sofrido o segundo logo a seguir, mas enfrentou um Messi não tão inspirado pela frente. O astro argentino apareceu isolado pela direita, mas falhou totalmente o alvo ao rematar. Já a acabar a primeira parte, surgiu a resposta dos merengues. Ronaldo explodiu pela esquerda, centrou tenso e Khedira desviou para enorme defesa de Valdés. O lance terminou em polémica pois após a defesa de Valdés, a bola resvala no braço de Adriano fazendo a mesma voltar em segurança para as mãos do guarda-redes espanhol. Estava feito o primeiro erro de Alberto Mallenco.
    A segunda metade foi mais agitada e começou logo com outro erro de Mallenco. Numa boa jogada do Barcelona, Fabregas é claramente rasteirado por Pepe, mas o árbitro mandou seguir. Mallenco é perito em apitar lances sem falta e a deixar passar incólumes lances irregulares. O Barça voltou a criar perigo logo a seguir com Iniesta em destaque com um grande passe isolando Neymar, mas o brasileiro encontrou Diego Lopez pela frente. O Real deu um murro na mesa e virou o rumo do jogo assumindo finalmente o domínio do mesmo. O bom momento dos merengues iniciou com um pontapé violento de Cristiano Ronaldo para nova enorme(!) defesa de Victor Valdés. O guardião espanhol esteve em grande plano tendo também defendo um remate de primeira de Di Maria com algum perigo. Aos 70 minutos surge o maior erro da partida. Ronaldo isola-se na frente e Mascherano empurra explicitamente o português nas costas derrubando-o dentro de área. Se os outros lances foram rápidos e poderiam ter alguma dificuldade para os juizes da partida, este é impossível não ver. É demasiado flagrante para um árbitro (supostamente) de nível mundial não ter marcado. Mallenco já tinha estado em destaque noutro clássico espanhol tendo prejudicado novamente o Barcelona. É brilhante a forma como dão oportunidades a árbitros de tão baixo calibre de arbitrarem jogos internacionais. Benzema tentou responder com raiva com um remate fortíssimo fora-de-área, mas a bola esbarrou na barra de Valdés para alívio do espanhol. A frustração dos madridistas aumentou ainda mais quando, num contra-ataque, Alexis Sanchez faz o segundo para o Barcelona num golo de bandeira. O chileno parte para a baliza apenas a pressão de Varane, contemporiza um pouco e do nada disfere um chapéu antes da grande área surpreendendo por completo Diego Lopez... O Real Madrid já sem grande esperança, voltou a estar por cima tendo desperdiçado algumas ocasiões de golo iminente. O golo de honra surge já nos descontos com Ronaldo a isolar o jovem espanhol Jesé Rodriguez tendo o jovem rematado com força em direcção de Valdéz, mas o mesmo não conseguiu impedir o golo.
    O Barcelona segue assim em primeiro lugar com 6 pontos de vantagem do principal rival e com 4 sobre o Atlético de Madrid embora estes tenham menos um jogo.

Barba Por Fazer do Jogo: Neymar Jr. (Barcelona)
Outros Destaques: Iniesta, Valdés; Ronaldo.
Golos:
1-0 Neymar 18'

2-0 A. Sanchez 78'
3-0 Jesé 90'+1

26 de outubro de 2013

Premier League: Arsenal mantém liderança, Liverpool responde com goleada e United apanha susto

  Premier League - Como acima referimos, o Liverpool saiu desta tarde com 20 pontos e com o segundo lugar temporariamente isolado. Os Reds golearam surpreendentemente o West Brom por 4-1 numa grande exibição de Luis Suárez. O uruguaio esteve endiabrado e logo aos 11 minutos inaugurou o marcador num grande golo tirando dois adversários pela frente - fazendo um túnel ao último - e rematando para o fundo das redes sem qualquer hipótese de defesa para Myhill. 5 minutos depois, o inevitável fez o segundo num cabeceamento no limite da grande área. Suárez deu na esquerda para o ex-portista Cissokho, o francês cruzou de imediato para o uruguaio cabecear quase fora-de-área colocando a bola no ângulo superior esquerdo da baliza. Mais um golaço do avançado!
    Os golos - leia-se "Suárez" - voltaram na segunda metade da partida. Steven Gerrard bateu um livre da esquerda e o Luis fez o terceiro na sua conta pessoal em mais um grande cabeceamento. O West Brom praticamente não criou perigo e só marcou numa grande penalidade convertida por Morrison penalizando um alegado derrube de Lucas sobre Jones. Mas... Era estranho escrever sobre o Liverpool e não mencionar Sturridge. Pois bem... O avançado inglês decidiu entrar na onda dos golaços de Suárez e marcou um de se lhe tirar o chapéu (literalmente)! Daniel Sturridge, pressionado por um defesa adversário, fez um chapéu perfeito(!) fora-de-área colocando o esférico no ângulo superior direito da baliza de Myhill. Uma obra de arte do britânico colocando assim a cereja no topo do bolo.
    Os Reds esperam então por um deslize do Chelsea contra o Manchester City para ficarem isolados na segunda posição.

    É impossível escrever o que quer que seja sobre o Arsenal sem elogiar o bom futebol que anda a praticar. Hoje não foi excepção. Embora um pouco mais comedido após Arteta ter sido expulso, voltou a mostrar rasgos de genialidade. Em casa do Crystal Palace, os Gunners voltaram a apresentar a sua troca de bola a transbordar qualidade, mas a barreira defensiva da equipa da casa complicou a chegada do golo. 
    O tento inaugural chegou apenas na segunda parte e de grande penalidade. Logo no primeiro minuto, Gnabry é ceifado dentro de área não deixando quaisquer dúvidas quanto à justiça da decisão do juiz da partida. Na conversão, Arteta atirou para o fundo das redes tranquilamente. O Crystal Palace começou a criar mais contra-ataques complicando a vida aos pupilos de Arsène Wenger e aos 65 minutos, Arteta parou Chamakh em falta quando este se preparava para isolar o que resultou na expulsão do espanhol. O experiente médio tentou parar o marroquino sem falta, mas apesar da sua subtileza, a expulsão é justa porque Arteta não tentou jogar a bola tendo com único objectivo parar o adversário. A partir da expulsão, o Crystal Palace começou a empurrar os visitantes para o seu meio campo criando várias dificuldades aos seus defensores. Ward foi o primeiro a deixar um aviso a Szczesny levando a bola à barra com alguma agressividade. No lance seguinte, Jedinák rematou de primeira com a bola ainda no ar obrigado o guarda-redes polaco à defesa da tarde. Enorme defesa de Szczesny! Após boa capacidade de saber sofrer dos Gunners liderada por Koscielny e Mertesacker, os visitantes mataram o jogo num contra-ataque perfeito. Ramsey partiu para o ataque a passe de Giroud no meio campo, ao chegar à área temporizou o suficiente para a chegada do francês, picou a bola e Olivier Giroud cabeceou dando mais volume ao resultado.
    O Arsenal continua líder com 22 pontos tendo apenas atrás o Liverpool com 20 pontos.

    O Manchester United continua sem se encontrar com as boas exibições vencendo o Stoke City em casa apenas nos últimos minutos. Moyes continua sem conseguir com que os adeptos esqueçam Alex Ferguson no futebol que impôs e hoje valeu mesmo o coração da equipa para superar a má exibição do United. O jogo começou logo mal para os da casa. Logo aos 4 minutos, Peter Crouch inaugura o marcador após ter falhado o desvio primeiramente de um centro vindo da esquerda, concretizando apenas à segunda com a ajuda da atrapalhação de Phil Jones. O Stoke podia ter dilatado o marcador, mas De Gea esteve à altura. Na resposta Rooney atirou duas vezes à baliza, mas encontrou duas exímias estiradas do bósnio Begovic. Contudo, a segunda - um cabeceamento após cruzamento perfeito de Nani - resultou em golo já que a bola sobrou para Robin van Persie no miolo da área tendo o holandês disparado a contar. O empate surgiu a dois minutos da segunda parte, mas o Stoke colocou-se logo em vantagem no lance seguinte. Arnautovic marcou um golaço de livre que deixou De Gea sem qualquer hipótese, mesmo tendo o espanhol tocado na bola.
    A segunda parte trouxe um Manchester com alguma ansiedade de dar a reviravolta, mas a mesma ânsia atrapalhava as decisões dos jogadores nas jogadas. Atrapalhou tanto que só quando faltavam 12 minutos para o fim da partida é que os Red Devils responderam com um golo de Wayne Rooney. Canto batido na direita e Rooney a cabecear ao primeiro poste em arco não dando quaisquer hipóteses aos defensores adversários. Os jogadores da casa aproveitaram a galvanização do golo e da reacção dos adeptos e fizeram a remontada no minuto seguinte! Incursão de Evra pela esquerda com o francês a cruzar de forma exímia para o segundo poste onde estava livre de marcação Chicharito. O mexicano apenas teve que dizer "Sim" tamanha a facilidade da concretização.
    O United conseguiu uma vitória arrancada a ferros que lhe permitiu não se afastar ainda mais dos líderes da tabela.

    O Aston Villa e o Everton disputaram uma partida que se verificou equilibrada no Villa Park tendo a vitória caído para os visitantes já a meio da segunda parte, com mais um carimbo de Romelu Lukaku. Os Villans ressentiram-se do golo do belga e voltaram a sofrer outro a 10 minutos do fim por Osman num remate colocado de fora-de-área. 
    A equipa de Liverpool deu continuidade ao bom momento em que se encontra e com esta vitória voltou a intrometer-se na guerra dos "grandes".

    Com tantos golos nesta tarde, não sobrou nenhum para a partida que opôs o Norwich e o Cardiff. Uma partida sem qualquer história apenas marcada por uma grande defesa de Rudy e um alívio em cima da linha de um defensor dos galeses a remate de Leroy Fer.
    O Norwich continua no fundo da tabela classificativa enquanto que o Cardiff está apenas um pouco acima da linha d'água.


    A última partida da melhor liga do mundo desta tarde ditou uma derrota por duas bolas do Fulham frente ao Southampton de José Fonte. O central português jogou novamente de início e viu a sua equipa a adiantar-se no marcador logo aos 20 minutos. Canto extremamente bem marcado por Ward-Prowse, Jay Rodriguez salta mais alto que todos desviando a bola para o segundo poste, onde surge Lambert livre de marcação a inaugurar o marcador. 20 minutos depois, Lambert retribui o golo assistindo Jay. Magnífico cruzamento de Lallana, Lambert amortece para o segundo poste e Jay Rodriguez não perdoou.
    O Southampton é outro dos clubes que continua a se intrometer na luta dos "grandes" igualando os 18 pontos de Everton e ficando à frente de clubes como Chelsea, City e Tottenham (embora tenham menos um jogo).

25 de outubro de 2013

Liga Europa: Estoril ainda sonha, Guimarães prejudicado e Paços de Costinha continua mal

  Liga Europa - As quintas-feiras nunca têm o brilho futebolístico dos dias anteriores na prova máxima - Champions - mas esta época, mediante o menor nível qualitativo das equipas presentes em prova, temos visto jogos disputados, equilibrados e as equipas a porem o seu melhor onze em campo. O Tottenham, 100% vitorioso e sem golos sofridos, será a excepção à regra. Num percurso tão bom como a equipa de AVB temos por esta altura o Eintracht Frankfurt, a Fiorentina, o Red Bull Salzburg e o surpreendente Ludogorets. Hoje vimos o Paços de Ferreira, de Costinha, perder em casa (emprestada) hipotecando praticamente a passagem. Um golo de Sebá na Alemanha permite ao Estoril sonhar por esta altura e o Guimarães, a equipa portuguesa que melhor se tem exibido nesta Liga Europa foi prejudicado em terrenos de nuestros hermanos.

Friburgo 1 - 1 Estoril: Na Alemanha o Estoril conseguiu um bom resultado, que deixa a qualificação ainda em aberto (caso a equipa da linha ganhe em casa a Friburgo e Liberec). O jogo começou melhor para os da casa mas Vágner exibiu-se a bom nível e Mehmedi a procurar o golo. Só um remate do checo Darida - grande contratação do Friburgo neste Verão - bateu o guardião brasileiro, depois da bola ser desviada por Yohan Tavares. 1-0 aos 11 minutos para os penúltimos da Bundesliga. O Estoril teve personalidade e empatou no segundo tempo - os velocistas Luís Leal e Sebá construíram o empate. Grande passe de Luís Leal e Sebá, em velocidade-cruzeiro, a chegar primeiro que Baumann.
Barba Por Fazer do Jogo: Vágner (Estoril)

Bétis 1 - 0 Vit. Guimarães: O Guimarães merecia melhor sorte. A equipa de Rui Vitória teve uma entrada muito forte no jogo e por diversas vezes tentou o golo (faltou melhor pontaria na hora H). Ficou por marcar uma grande penalidade sobre Malonga e o árbitro grego voltaria a errar no golo que decidiu o jogo. Vadillo, mais um dos talentos para acompanhar em Espanha nos próximos tempos, recebeu a bola em fora-de-jogo e finalizou com técnica. No final acabou por ser o guardião Stephan Andersen a segurar a vitória sevilhana, ajudado ainda pelo desacerto de Marco Matias. 
Barba Por Fazer do Jogo: Álvaro Vadillo (Bétis)

Paços Ferreira 0 - 2 Dnipro: A jogar no D. Afonso Henriques, o Paços voltou a perder e pode-se dizer que não seguirá em frente. A equipa de Costinha tentou como sempre jogar um bom futebol, mas perdeu como sempre tem perdido nestes primeiros meses. Sérgio Oliveira foi um dos melhores elementos dos castores, sempre a tentar visar a baliza de longe e António Filipe assustou os adeptos pacenses quando ofereceu o golo a Kalinic. O avançado croata acabou por desperdiçar. Na 2.ª parte o Paços procurou o golo com Sérgio Oliveira, Bebé, Ruben Ribeiro e Seri a merecerem mais, mas acabou por ser o Dnipro a marcar (e por duas vezes!) nos minutos finais. O experiente Rotan fez o 1-0 e minutos depois Konoplyanka arrancou pelo lado esquerdo e a bola só parou no fundo das redes.
Barba Por Fazer do Jogo: Yevhen Konoplyanka (Dnipro)

Valência 5 - 1 St. Gallen: Em Espanha o Valência finalmente jogou de acordo com o seu estatuto. A juventude esteve em evidência num jogo cuja história começou a ser escrita por Paco Alcácer - remate de seco do espanhol numa recarga. Fede tornou-se a figura do jogo ao bisar em 9 minutos. O jovem argentino contou em ambos os golos com a preciosa ajuda do guarda-redes Lopar, sem dúvida o pior em campo. O português Ricardo Costa cabeceou para o 4-0 e Canales marcou de livre directo, fechando a loja valenciana. O St. Gallen viria ainda a conseguir o seu golo de honra.
Barba Por Fazer do Jogo: Fede (Valência)

Sheriff 0 - 2 Tottenham: O passeio da equipa de André Villas-Boas na "piscina dos pequenos" do futebol europeu continua. O Tottenham segue com 3 vitórias em 3 jogos, 7 golos marcados e nenhum sofrido. O nível da competição tem permitido ao Tottenham gerir plantel e hoje não foi excepção. Em casa do Sheriff, o "xerife" foi Jan Vertonghen - o central belga inaugurou de cabeça depois de um bom cruzamento de Eriksen. O romeno Chiricheș salvou um golo - para além de ter tido um pormenor delicioso no jogo - e está a ter um excelente início pelo Tottenham. Podiam ter entrado mais, mas foram apenas 2. O segundo por Jermain Defoe depois de um toque subtil de Chadli.
Barba Por Fazer do Jogo: Jan Vertonghen (Tottenham)

Swansea 1 - 1 Kuban Krasnodar: No País de Gales o Swansea desiludiu frente a Melgarejo e seus amigos. O Kuban teve as melhores oportunidades e foi já com "Melga" substituído que o inevitável Miguel Michu fez o 1-0. O Swansea parecia então capaz de segurar a vitória mas Tremmel cometeu uma grande penalidade perto do fim. Djibril Cissé não vacilou na conversão.
Barba Por Fazer do Jogo: Maksim Zhavnerchik (Kuban Krasnodar)

Eintracht Frankfurt 2 - 0 Maccabi Tel Aviv: O Eintracht Frankfurt continua em bom plano na Liga Europa e hoje venceu os israelitas do Maccabi Tel Aviv. O regresso de Alexander Meier - 3.º melhor marcador da Bundesliga na temporada passada - foi importante tendo o veterano alemão estado na origem do 1-0 do jovem Vaclav Kadlec e tendo ele próprio marcado o segundo golo, depois de um canto de Barnetta. O guardião Juan Pablo evitou que fossem mais.
Barba Por Fazer do Jogo: Alexander Meier (Eintracht Frankfurt)

Outros Destaques: Miguel Vítor continua a marcar golos, o central português contribuiu para a vitória do PAOK por 3-2 frente ao Maccabi Haifa; Liberec e Sevilha, equipas do grupo do Estoril, empataram 1-1 com o empate a ser conseguido pelo espanhol Vítolo bem perto do fim; a Fiorentina, em gestão de esforço e de activos, venceu por 3-0 o Pandurii (Ryder Matos, Joaquín e Cuadrado marcaram); o Lyon venceu o Rijeka com um golo solitário de Grenier, enquanto que o Salzburg venceu o Standard Liége por 2-1 (Soriano e Mujangi Bia voltaram a estar em evidência); o Dínamo Kiev venceu o Thun por 3-0, com golos de Yarmolenko, Mbokani e Gusev.

Águias viram-se gregas para jogar futebol (1-1)

SL Benfica    1 - 1    Olympiakos (A. Dominguéz 21'; Ó. Cardozo 83')

    O Benfica voltou a somar um resultado negativo na Liga dos Campeões dando continuidade a um futebol pobre sem ideia de jogo. Continua a ser notória a má forma de alguns jogadores fulcrais no jogo do Benfica. Ontem, no Estádio da Luz, os encarnados apenas somaram 1 ponto frente ao Olympiakos tendo, para além do mau futebol apresentado, dois inimigos - o terreno e o árbitro.
    A equipa da casa começou bem, mas de bola parada. Um livre ao jeito de Cardozo com o paraguaio a enviar uma bomba para o lado direito da baliza adversária, mas Roberto a fazer uma boa defesa. O Benfica não construía bem o jogo e perdia imensas bolas a meio campo que originavam contra-ataques perigosos para os gregos. Uma das perdas de bola deu em golo. Matic perdeu o esférico em território proibido e os gregos não perdoaram. Dominguéz ainda teve tempo para tirar Garay do caminho com uma simulação antes de colocar a bola fora do alcance de Artur Moraes. O golo surgiu aos 21 e após o tento, praticamente não existiram oportunidades. O Benfica continuava sem conseguir criar ataques e o Olympiakos continuava a recuperar bolas, mas sem dar o melhor destino às jogadas. Ola John estava a ser o pior em campo.
    Jesus notou a má forma do holandês e substituiu-o dando entrada a Ivan Cavaleiro. Estava feita a primeira ovação na Luz. Porém, Cavaleiro não entrou sozinho. No intervalo do jogo houve um temporal tremendo colocando o relvado da Luz digno de ser um arrozal. A bola não rolava, mas o árbitro da partida pelos visto não é conhecedor das regras. O jogo deixou de ser corrido e começou a ser mais directo. Bolas bombeadas e corridas para apanhar a mesma. O relvado encharcado dificultou e muito a concretização de alguns lances de ataque do Benfica nomeadamente numa jogada em que Lima passou a Cardozo - que tinha a baliza toda escancarada -, mas a bola ficou a meio do caminho... O atacante brasileiro foi ainda destaque na marcação de um livre que saiu rente ao poste do antigo guardião encarnado. O Olympiakos respondia em contra-ataque e o que anteriormente tinha tramado o Benfica, salvou a seguir. Maniatis isolado atira por baixo dos braços de Artur, mas a bola para a meio do caminho evitando assim o segundo dos gregos. A menos de 10 minutos do fim, Cardozo iguala a partida. Canto irregular a favor do Benfica (era pontapé de baliza) marcado por Rodrigo, Roberto não chegou à bola - lance típico do espanhol -, Luisão amortece ao segundo poste e Tacuara em cima da linha atira a contar. Explosão de alegria na Luz num momento em que todos os jogadores lutavam (no verdadeiro sentido da palavra) pela vitória contra a gritante dualidade de critérios do árbitro espanhol. 
    E assim acabou o jogo. Muito má primeira parte do Benfica penalizada pelas adversidades da segunda parte. Não haviam condições para se praticar futebol e a única medida que Alberto Mallenco deveria ter tomado era a suspensão do jogo e consequente adiamento. Para além disso foi protagonista de uma má arbitragem. Os benfiquistas eram bastante penalizados em faltas que não lhes eram assinaladas e aos gregos praticamente tudo era assinalado ao mínimo toque. 

    As duas equipas portuguesas presentes na Liga dos Campeões foram prejudicadas pela dualidade de critérios que não se consegue entender de tão gritante que foi. 

Barba Por Fazer do Jogo: Enzo Perez (SL Benfica)
Outros Destaques: Cardozo, Lima, André Almeida; A. Dominguéz, Fuster.
Golos:
0-1 A. Dominguéz 21'
1-1 Ó. Cardozo 83'

Tom Hardy vai ser Elton John; 50 Shades of Grey tem novo protagonista encaminhado

Não, não é mentira. "Rocketman" - boa escolha de nome para o filme - vai ser realizado pelo até agora desconhecido Michael Gracey e será sobre a vida de Elton John, músico que tantas gerações marcou. O argumento simplificado indica que a viagem partirá dos tempos de Elton John como prodígio na Royal Academy of Music até aos tempos da sua parceria musical com Bernie Taupin - que resultou em êxitos incontornáveis como "Your Song", "Daniel", "Candle in the Wind" ou "Don't Let the Sun Go Down on Me". Ainda não se sabe quem será o actor a fazer de Bernie Taupin mas a Focus Features, que irá distribuir o filme, anunciou hoje Tom Hardy como Elton John.
    Hardy é, para nós, um dos melhores actores da sua geração e por isso mesmo a sua interpretação de Elton John reúne à partida muita curiosidade. O terrível Bane, último rival de Batman na trilogia de Christopher Nolan, esteve bem em Inception e Bronson mas foi no papel de Tommy Conlon, em "Warrior" que teve o seu auge até agora. Ficaremos atentos a este "Rocketman".

    Também foi hoje anunciado o possível substituto de Charlie Hunnam no já tão antecipado "Fifty Shades of Grey". O actor de Sons of Anarchy terá declinado o papel por razões familiares e o substituto já está encontrado: Jamie Dornan poderá ganhar alguma fama nos próximos tempos ao ser o protagonista, lado a lado com Dakota Johnson. O actor desempenhou o papel de Caçador na série "Once Upon a Time" e é por esta altura o nome melhor colocado para fazer de Christian Grey no filme de Sam Taylor-Johnson, a pôr a obra mundialmente famosa de E. L. James. A Universal e a Focus Features recusaram-se a reagir a este rumor, isto numa altura em que também o "vampiro" Alexander Skarsgård vinha sendo cogitado para o papel principal. Tudo isto numa altura em que os fãs dos livros ficaram bastante desiludidos com a escolha tanto de Dakota Johnson como, inicialmente (embora talvez menos), de Charlie Hunnam.

24 de outubro de 2013

Factor X: Audições 3

Mais um Domingo, e mais umas audições do Factor X. O último programa teve alguns bons concorrentes - no geral ainda está abaixo dos padrões de qualidade/ versatilidade que se tem visto sobretudo no Reino Unido - e confirmou a pouca qualidade do júri do programa, que gerou polémica e controvérsia perante actuações que não deixariam dúvidas a ninguém. Sónia Tavares vai mostrando ser claramente o elemento do júri com mais ouvido e sensibilidade musical, uma agradável surpresa, Paulo Junqueiro não se enterra muito mas Paulo Ventura (esperava-se mais precisamente por gerir a carreira, por exemplo, do grande Tiago Bettencourt) já teve momentos bastante estranhos, como no último programa com David Dias. Torna-se alarmante considerando a importância que o júri terá no decurso do programa.


    Comecemos então com polémica. Com potencial para dar uma perninha numas músicas de Bon Iver e com uns trejeitos de Cameron Mitchell na voz, chegou ao palco do Factor X o David Dias. Sem dúvida um dos melhores concorrentes até agora do programa e, sem dúvida também, um dos que se poderia considerar mais artista do que concorrente. Mas não para Paulo Ventura. O Ventura fez questão de gerar polémica e tornar a passagem do David uma aventura autêntica - o seu "Hallelujah" devia ser suficiente para passar, mas foi ainda obrigado a cantar uma 2.ª ("Stay" da Rihanna com Mikky Ekko) e em ambas ficou patente que, mesmo não tendo um vozeirão, tem muito potencial, bom gosto e não é uma voz que se ouça muitas vezes em Portugal. Talvez venha a ter a vida difícil no programa - por exemplo se Ventura ficar com os "jovens" -, mas para já passou com a persistência de Sónia Tavares e Junqueiro a ceder no último segundo.
    Fechem os castings para dobragens de músicas da Disney, a Raquel Couto dá conta de tudo. Sim, desafinou um nadinha, ao sair da sua "praia" aguda mas depois de vermos passar alguns concorrentes banais... surge uma professora de inglês e espanhol a cantar uma música do Fantasma da Ópera como cantou e o júri (desta vez não tiveste culpa, Paulo Ventura) hesita. Dá Deus cadeiras de júri a quem não tem ouvidos. Mas como Sónia Tavares disse será uma concorrente que terá que ser bem direccionada e apoiada em boas escolhas de músicas. PS: Bom momento da mãe da Raquel "Obrigada Manzarra".


    Mantenhamo-nos então no feminino, mas com duas gerações perfeitamente distintas. A senhora Nina Pereira decidiu aos 61 anos dedicar algum tempo a si mesma. E em boa hora o fez. Mãe da actriz Paula Castelão, cantou o "Avé Maria" de Franz Schubert e, a partir do momento em que (aconteceu comigo, porque eu sou estranho) consegui tirar a imagem mental do Zach Galifianakis a cantar na Ressaca 3, pude apreciar a voz desta senhora. Seria um crime ela não passar, mas veremos como encarará as próximas fases da competição.
    Invertem-se os números e de 61 passamos para 16 anos. Boas notícias para a açoriana Mariana Rocha: vai ter um bom futuro musical pela frente. A cantar "Stronger than Me" de Amy Winehouse e com um timbre a fazer lembrar Selah Sue, a Mariana é - à imagem do David Dias - uma voz invulgar no panorama nacional. Completa, e a acompanhar bem com a sua viola, com um mentor inteligente terá muito para explorar e dar.


    Os grupos continuam a não ter uma qualidade de encher o olho mas, depois dos 2605, surgiram nesta 3.ª amostra de audições dois grupos com alguma coisa. Quando se começaram a ouvir os X4U era inevitável pensar: "Olha os One Direction, mas com uma garrafa de azeite Oliveira da Serra vertida para cima deles". A verdade é que à medida que ouvimos a actuações dos rapazes (juntos pela produção após a pré-selecção) a ideia que fica é que de facto faz sentido que exista um grupo assim, com a herança natural dos One Direction. Os X4U cantaram "One Way or Another" na versão de, claro está, One Direction. A harmonia vocal conjunta é relativamente interessante mas curiosamente são os 2 rapazes que aparentam ter menos confiança ou à vontade que parecem ter melhor voz.
    Os The Bliss são compostos por um rapaz e uma rapariga, em perfeita sintonia - vocal e não só - e são até ver o grupo vocalmente mais afinado que surgiu em palco. As vozes combinam bem, sabem adequar-se um ao outro e podemos esperar mais "caretas" do Paulo nas próximas fases.


    Para acabar, mais duas raparigas. A concorrência vai ser bastante apertada nos "jovens" com este júri em tríade - era melhor terem arranjado 4 elementos para o júri e, consequentemente, 2 categorias de jovens, - rapazes e raparigas. Como lá fora.
    O palco é da Mariana Pádua - que se cale quem o negar. A jovem de 16 anos entusiasmou e cativou a plateia com "Proud Mary" de Tina Turner, mas deixou alguma curiosidade para ver o nível que vai mostrar na fase seguinte. Já a Mariana Rodrigues, mais uma fadista, superior a Jéssica Meireles mas ao nível de Marisa Ramos, justificou também plenamente a passagem. Em todo o caso, ter-lhe-ia dito: já passaste, mas canta aí outra coisa.

    Aconselho ainda a verem a audição do Pedro Rocha - o rapaz foi cantar Drake e Dengaz (ft. Agir) e infelizmente foi pena não ter uma voz e um inglês melhores. Claramente a audição mais cómica até agora, com a mãe dele envolvida, e as melhores respostas ao júri. Pode não se aproveitar musicalmente (é pena porque seria bom alguém trazer a onda Drake) mas talvez alguém pegue nele para o mundo da televisão. Depois, para além do Emanuel Delgado e da Ana Maio que não passaram, a Mariana Azevedo optou por imitar integralmente a audição da concorrente Jannel Garcia do X-Factor norte-americano. E no próximo domingo lá haverá mais..

23 de outubro de 2013

Champions League: Ronaldo e Ribéry brilham mas o furacão Ibrahimovic é o grande destaque da noite

  Champions League - Foram 27 os golos espalhados por todos os palcos europeus nesta quarta-feira de Champions. PSG e Bayern destruíram os seus adversários, o Leverkusen goleou o Shakhtar num encontro que se previa mais equilibrado e Cristiano Ronaldo fez a diferença no grande Real-Juventus. De qualquer forma, um nome brilhou mais alto que todos os outros: Zlatan Ibrahimovic.

Anderlecht 0 - 5 PSG: Era bastante grande a probabilidade, à priori, do PSG terminar esta 3.ª jornada com o pleno de pontos, dado o diferencial de qualidade entre os belgas e os parisienses. Duas arrancadas de van der Wiel - que voltou a exibir o bom nível que já tinha demonstrado contra o Benfica - culminaram aos 17 e 22 minutos em duas finalizações imaculadas do avassalador Ibrahimovic (uma delas, mais ou menos, com o seu calcanhar goleador). O momento do jogo e desta noite europeia ocorreu aos 30' - na ressaca de um alívio defensivo, Zlatan Ibrahimovic puxou a culatra e, do meio da rua, rematou uma bomba impressionante. Um remate com uma potência absurda do jogador que vai encontrar Portugal no play-off e que por esta altura é sem margem para dúvidas um dos melhores do mundo. O marcador só voltou depois a mexer na 2.ª parte com Cavani a marcar assistido por Matuidi e Ibrahimovic a fechar em beleza com um póker ao fuzilar Kaminski. São 6 golos em 3 jogos para Ibra, menos 1 que o senhor de que se falará a seguir.
Barba Por Fazer do Jogo: Zlatan Ibrahimovic (PSG)

Real Madrid 2 - 1 Juventus: Em Madrid as expectativas eram elevadas para o jogo da noite - o vice-campeão espanhol frente a frente com o campeão italiano (curiosamente ambos em 3.º lugar nos seus campeonatos neste momento). Para quem esperava um jogo "amarrado", Ronaldo cedo tratou de desmistificar essa ideia. Aos 4 minutos grande passe de Di Maria, grande desmarcação de Ronaldo, com o português a driblar Buffon antes de rematar para a baliza. A Juventus empatou por Llorente, num lance de insistência após um cabeceamento de Pogba. Casillas podia ter feito melhor perante o 1.º remate e a defesa podia ter reagido mais rápido. O golo que fez a diferença foi também marcado pelo português - penalty conquistado por Sergio Ramos e CR7 a não perdoar. O recorde de golos na Champions é de 14 e recordamos que Ronaldo já leva 7 em 3 jogos, tendo 1 a mais que o seu rival de play-off, Ibrahimovic. A segunda parte começou com a expulsão de Chiellini - um vermelho directo que pode ter parecido exagerado para alguns ao atingir Ronaldo quando corriam lado a lado, Vidal ainda conseguiu ser destaque com um estranho remate em cheio no relvado em vez de na bola, e a vantagem de um golo seguiu merengue até final.
Barba Por Fazer do Jogo: Cristiano Ronaldo (Real Madrid)

Galatasaray 3 - 1 Copenhaga: O Galatasaray ascendeu hoje ao 2.º lugar do Grupo D, depois de não dar hipóteses ao Copenhaga no inferno turco. O ambiente começou a animar-se quando Felipe Melo cabeceou de forma fulminante para o 1-0. Sneijder, a atravessar um bom momento, ampliou a vantagem depois de bem apoiado por Eboué e o médio/lateral camaronês voltaria a fazer uma assistência, desta feita para Didier Drogba. Na segunda parte o "Gala" tirou o pé do acelerador e viu ainda Claudemir reduzir. Será muito interessante acompanhar o Juventus-Real e Copenhaga-Galatasaray da próxima jornada, sobretudo pelas implicações relativas ao 2.º lugar.
Barba Por Fazer do Jogo: Emmanuel Eboué (Galatasaray)

Bayern 5 - 0 Plzen: Aguardava-se um jogo de sentido único e foi o que aconteceu na Baviera. O Bayern chegou ao pleno em 3 jogos - à imagem de Atlético, Real e PSG - e os golos foram aparecendo, uns atrás dos outros contra um débil Viktoria Plzen. Na 1.ª parte foram dois - Ribéry inaugurou as hostes de penalty e David Alaba marcou (de pé direito) numa boa incursão depois de um passe de cabeça de Mandzukic. Nos segundos 45 o Bayern em 3 minutos marcou dois golos e "matou" completamente o jogo. Ribéry fez novamente o gosto ao pé com um bom golo - o francês tirou 2 adversários do caminho (a fazer lembrar Diego Costa no jogo de ontem) e picou a bola numa finalização com muita classe. Minutos depois Götze assistiu Schweinsteiger para um bom remate à meia volta do eterno 31. Götze fez o 5-0 final com uma excelente recepção e um bom remate depois de um grande passe de Arjen Robben.
Barba Por Fazer do Jogo: Franck Ribéry (Bayern)

CSKA 1 - 2 Manchester City: Na Rússia jogou-se hoje um jogo que podia muito bem ser o típico jogo em que o City vacilava. No entanto, os jogadores de Pellegrini conseguiram uma vitória muito importante e na próxima jornada podem ficar muitíssimo bem encaminhados para (finalmente) os oitavos-de-final da Champions. A verdade é que até foi o CSKA a inaugurar o marcador - Honda assistiu de cabeça e Zoran Tošić, fugindo à marcação de Javi García, "chapelou" Joe Hart. O City não baixou os braços e respondeu por intermédio do seu melhor jogador: Kun Agüero marcou 2 minutos depois e carimbou a vitória passados alguns minutos. O primeiro golo do avançado argentino ocorreu após uma assistência de David Silva e o último e decisivo, marcado de cabeça, depois de um cruzamento do companheiro de ataque Negredo. Moralmente e pontualmente determinante esta vitória, e o City segue moralizado para um interessante ida a Stamford Bridge no domingo.
Barba Por Fazer do Jogo: Kun Agüero (Manchester City)

Leverkusen 4 - 0 Shakhtar: Esperava-se um jogo taco-a-taco, mas o Leverkusen não esteve para brincadeiras hoje em casa no 1.º de dois duelos determinantes com os ucranianos do Shakhtar. Numa noite infeliz para Pyatov, Kiessling e companhia deram sequência ao bom momento na Bundesliga e sem redes rotas. O 1.º golo foi do gigante de 1,91m Stefan Kiessling - a "torre" alemã marcou de cabeça depois de um bom cruzamento de Donati, mas com Pyatov mal batido. No 2.º tempo foram três golos: o capitão Rolfes marcou de grande penalidade, Sidney Sam (melhor marcador da Bundesliga neste momento) também marcou e Kiessling bisou na partida, ao aproveitar mais uma terrível falha de Pyatov. A próxima jornada deste Grupo A será bastante interessante.
Barba Por Fazer do Jogo: Stefan Kiessling (Bayer Leverkusen)

Manchester United 1 - 0 Real Sociedad: No jogo mais desinteressante do dia o Manchester United de David Moyes conseguiu vencer a Real Sociedad, equipa da qual se poderia esperar uma "gracinha" de Vela, Griezmann e companhia. O golo que decidiu o jogo foi um auto-golo de Iñigo Martínez (um central com enorme futuro). Wayne Rooney brincou na grande área espanhola, rematou ao poste e quando a bola se encaminhava para Chicharito, Iñigo decidiu roubar o golo. Um lance bastante infeliz, com o golo a ser apontado por um central que daria jeito ao United. Batalhou-se muito num jogo em que o resultado foi justo para o United que foi superior nos 90 minutos, com Phil Jones, Valencia e Rooney em bom plano mas com um colectivo longe de deslumbrar.
Barba Por Fazer do Jogo: Phil Jones (Manchester United)