Revisão: Legion

Legion é uma amálgama difícil de descrever, uma trip psicadélica multi-género, visualmente cativante e revolucionária. Noah Hawley, o homem que não deve dormir, guia-nos num novelo que se desenrola com um bom gosto incrível e faz Brilhar Aubrey Plaza e Dan Stevens, numa série capaz de voar sobre um ninho de cucos.

Óscares Barba Por Fazer 2017

A equipa do BPF elegeu os melhores do ano. Nos nossos Óscares há justiça para 'Nocturnal Animals', 'I, Daniel Blake', Mackenzie Davis, Aaron Taylor-Johnson, Rebeca Hall ou Amy Adams, e muitos elogios para Damien Chazelle e Casey Affleck

E os Óscares 2017 foram para...

Numa noite em que La La Land ganhou 6 óscares, o último e mais importante foi para Moonlight com golpe de teatro pelo meio. Damien Chazelle, Casey Affleck, Emma Stone, Mahershala Ali e Viola Davis não esquecerão este ano

Crítica: Moonlight

Eleito Melhor Filme pela Academia, Moonlight consegue, com uma beleza rara, um trabalho de câmara e um elenco extraordinário, colocar no ecrã o tempo que demoramos a descobrir que somos, e a aceitar e abraçar isso mesmo. O filme de Barry Jenkins é uma peça universal, humana e poética, fragmentada em 3 partes (criança, adolescente e adulto).

Balanço Liga NOS 16/ 17

Um Benfica de luxo à procura do inédito tetra, um Porto que defende como ninguém mas ao qual faltam golos e um Sporting em crise. Esta é a nossa análise a meio de um campeonato com o Minho em força e Chaves a surpreender

19 de maio de 2017

Dicas Fantasy Premier League - Jornada 38

Sim, é a última vez. Este Domingo chega ao fim mais uma extraordinária época da Premier League, e do seu Fantasy, e a dezena de jogos que se disputam às 15 horas põem também fim aos nossos artigos de antevisão.
    No momento próprio, publicaremos - como fazemos todas as temporadas - os nossos prémios BPF do campeonato inglês, e o respectivo Balanço do ano, analisando o percurso das equipas e destacando individualidades.

    Mas, por agora, seguem-se as nossas últimas sugestões. A nível de Fantasy, já nenhum jogador conseguirá apanhar o líder Alexis Sánchez (255 pontos; para efeitos de comparação, Mahrez, o jogador mais pontuado de 2015-16, fez 240), devendo também Heaton preservar o seu estatuto enquanto guardião com mais pontos somados. Na defesa, falta confirmar qual o defesa do Chelsea que terminará à frente, enquanto que no ataque, e depois de Lukaku passar várias jornadas na liderança, Harry Kane (agora o grande favorito para arrecadar, renovando-o, o título de melhor marcador) ameaça fechar a época como o avançado com maior pontuação.
    Olhando para a jornada, na qual poderá existir gestão de alguns treinadores cujas equipas não tenham muito em jogo nesta última jornada, a prioridade é contar com jogadores que ainda estejam a competir por algo. Nomeadamente, de equipas que ainda procurem garantir presença no Top-4: Manchester City, Liverpool e Arsenal. Com os 2 primeiros lugares fechados e o trio que desce (Sunderland, Middlesbrough e Hull) também já conhecido, ainda podem acontecer várias mexidas a meio da tabela. No topo, Manchester City e Liverpool são favoritos a assegurar lugares de acesso à Champions, deixando o Arsenal pela primeira vez fora do Top-4 no reinado de Wenger. O grande rival do Liverpool, o Everton, até pode dar uma "mãozinha" aos reds, embora a equipa de Klopp não deva precisar, e esse Arsenal-Everton é mesmo o jogo grande da jornada. Com a final da FA Cup (Chelsea-Arsenal) perto, Conte pode rodar novamente a equipa diante do Sunderland, Mourinho também deve colocar um onze diante do Crystal Palace a pensar na prioridade Liga Europa, e no Hull-Tottenham, Harry Kane procurará aumentar a sua marca de golos - actualmente, 26.

    Recuperando os principais destaques da maior double gameweek da época, Harry Kane arrasou tudo e todos ao conseguir 31 (!) pontos. O ponta-de-lança inglês de 23 anos marcou o último golo dos spurs em White Hart Lane, e depois fez um póker e uma assistência no vendaval de futebol ofensivo (6-1) do Tottenham em casa do Leicester. Com 31 pontos, Kane demonstrou ser a melhor opção possível para capitão (62) e triple captain (93 pontos só num jogador), embora Alexis Sánchez (27 pontos), uma escolha mais "tradicional" para a braçadeira, não tenha desiludido.
    Azpilicueta, Coutinho, Gabriel Jesus, Son Heung-Min e Giroud foram outros dos destaques numa jornada em que a pontuação média se situou nos 81 pontos, com a pontuação máxima a ser 223 pts.
(A todos os que acompanharam os nossos artigos durante esta época, em 2017-18, em princípio, há mais. Relativamente à nossa Liga Barba Por Fazer, os nossos Parabéns a Daniel Nunes e Rui Correia. O título decide-se entre eles, e ficará bem entregue.)


E são estas as nossas apostas para a última jornada de 2016-17:

Philippe Coutinho - Liverpool - 8.6
    Depois de uma época sem competições europeias (um dos factores que também contribuiu para o título do Chelsea), falhar o acesso à Champions seria um tremendo fracasso para o Liverpool.
    Orientados pelo intenso e "louco" Klopp, os jogadores do Liverpool sempre revelaram tendência para brilhar nos jogos contra as grandes equipas, vacilando depois contra adversários teoricamente acessíveis. A última jornada coloca o relegado Middlesbrough como último obstáculo para os reds na procura de carimbar um lugar de Champions (o 3.º dá acesso directo à fase de grupos, mas a não ser que aconteça algo de anormal no jogo do City, o Liverpool deve terminar em lugar de Play-Off).
    Ofensivamente, Coutinho e Sturridge são os jogadores da equipa de Anfield em que devem apostar. O avançado britânico é um diferencial mais exótico, mas que em dia sim e apto fisicamente continua a ser um furacão, enquanto que Coutinho é o diamante capaz de carregar a equipa nos momentos decisivos, especialmente depois da lesão de Sadio Mané.
    Mais. Podendo surgir uma proposta milionária neste Verão (Barcelona?), há uma pequena probabilidade deste poder ser o último jogo de Coutinho com a camisola do clube da cidade dos Beatles. Também por isso, Coutinho reúne todos os ingredientes para ter a motivação nos píncaros. Não tivesse estado lesionado 7 jogos, procurando reencontrar o seu ritmo noutros, e poderíamos estar perante um dos legítimos candidatos a Jogador do Ano.


Gylfi Sigurdsson - Swansea - 7.4
    O Swansea é, muito provavelmente, a equipa que encaixa melhor na designação de one-man-team. Ok, Alexis Sánchez tem carregado o Arsenal com a sua entrega e energia, Heaton foi preponderante na época do Burnley com as suas inúmeras defesas, Lukaku fartou-se de marcar golos pelo Everton, e Joshua King cresceu quando ninguém esperava. Mas não há ninguém tão influente no seu ecossistema como o islandês dos swans.
    Actualmente com 179 pontos (9 golos e 13 assistências no Fantasy), pode-se afirmar sem rodeios que Sigurdsson segurou o Swansea na Premier League. Homem das bolas paradas e do último passe, fez a sua melhor época em Inglaterra e procurará fechar a temporada junto dos seus adeptos chegando à dezena de golos.
    Depois, tal como Coutinho, há o factor "mercado". À semelhança do brasileiro do Liverpool, Gylfi parece sereno e feliz no seu clube, mas uma proposta de um clube de outro patamar pode levar o Swansea a perder o seu talismã.
    O West Brom é uma equipa forte no jogo aéreo, e por isso poderá saber anular os livres indirectos e cantos de Sigurdsson, mas não se admirem se o 23 do Swansea fizer ele próprio o gosto ao pé.


Jamie Vardy - Leicester City - 9.9
    Um ano mais tarde o campeão de 2015-16 está no 11.º lugar. Noutro contexto seria chocante. Neste caso, embora os foxes tivessem obrigação de ter terminado no Top-8, não tanto. Na melhor das hipóteses, Vardy e companhia terminarão 2016-17 no 9.º lugar, bastando uma vitória diante do Bournemouth para roubarem directamente um lugar à equipa de Eddie Howe.
    Comparando o rendimento individual, apenas Vardy soube aproximar-se (ligeiramente) do nível apresentado na época de sonho. Mahrez, Fuchs, Huth, Morgan ou Schmeichel ficaram todos bastante abaixo do que tinham feito, e mesmo no caso de Jamie o decréscimo foi claro - totalizou 211 pontos em 2015-16, devendo fechar esta edição com algo próximo dos 160.
    As prováveis ausências de Huth e Morgan levam-nos a crer que o jogo será equilibrado, e o norueguês Joshua King (Most Improved Player da época?) pode aumentar o seu nº de golos, mas estamos também confiantes que Vardy poderá despedir-se com algo acima dos seus actuais 12 golos.


Gabriel Jesus - Manchester City - 9.0
    Imaginem uma época inteira de Gabriel Jesus no Manchester City de Guardiola... tanto potencial no Fantasy.
    O prodígio brasileiro chegou a Inglaterra e mostrou estar de facto destinado a ser um jogador de classe mundial, e embora tenha estado em campo apenas 561 minutos, esse tempo foi suficiente para marcar 6 golos e fazer 3 assistências.
    Depois de 19 pontos na dupla jornada 37, Jesus deve voltar a figurar no onze do técnico espanhol numa deslocação ao reduto do Watford em que os citizens sabem que uma vitória vale a presença sem espinhas na fase de grupos da Champions.
    Aproveitem, porque Gabriel Jesus deve começar 2017-18 um pouco mais caro (10.0 ou 10.5 no Fantasy, possivelmente), dependendo também dos jogadores que o City compre no Verão.
    Podemos pôr as coisas nestes termos: sempre que esteve em campo mais do que 14 minutos, Gabriel marcou ou assistiu. O rapaz é uma máquina.


César Azpilicueta - Chelsea - 6.4
    Na luta pelo (matemático) título de defesa com mais pontos nesta edição do Fantasy, o trio do Chelsea - Alonso, Cahill e Azpilicueta - compete entre si. A gestão que Conte fará na defesa, sector no qual John Terry deve ser titular e fazer o seu jogo de despedida, acabará por ter influência nessas contas, mas parece-nos que o técnico italiano pode voltar a não dar descanso ao seu activo silencioso mas valioso, um dos 3 jogadores de campo que jogou os 90 minutos de todos os jogos até aqui.
    Reconhecido por quem sabe de futebol como um dos melhores defesas em Inglaterra, Azpilicueta (joga e bem em todo o lado, como qualquer treinador gosta), a pouca exuberância - não faz desarmes heróicos como David Luiz, não marca golos importantes como Cahill, nem apoia o ataque como Marcos Alonso - esconde-o dos olhares menos atentos.
    Mas César Azpilicueta foi um dos melhores defesas desta Premier League, e os 22 pontos de Bónus que soma por esta altura (nenhum defesa tem tantos) reforçam a qualidade do defesa silencioso.





Outras Opções:
- Guarda-Redes: Tom Heaton (5.1) merece que fechem a temporada com ele na baliza, por tudo o que foi ao longo de 2016-17. Ninguém defendeu tanto (140 defesas) como o guardião do Burnley, embora Pickford se tenha aproximado nas últimas jornadas do compatriota. E uma última clean sheet é um cenário possível diante de um pouco consistente West Ham.
    Thibaut Courtois (5.9) deve ser titular no Chelsea-Sunderland, porque as Luvas de Ouro deste campeonato ainda podem ficar entregues ou a ele ou a Lloris, com vantagem para o belga; e Forster, Caballero e Mignolet também nos parecem boas opções.

- Defesas: Falámos acima de Azpilicueta porque o defesa silencioso merece que alguém fale por ele, mas a verdade é que John Terry (5.2) até é o defesa do Chelsea mais promissor nesta jornada. O eterno capitão dos blues será certamente titular e tudo indica que este será o seu último jogo em Stamford Bridge. É claramente senhor para marcar um golinho no adeus.
    Matip, Lovren, Stephens, Yoshida, Naughton, Ake e Kompany são todos eles escolhas bastante válidas.

- Médios: Verdade seja dita, Alexis Sánchez (11.6) ainda tem uma pequenina palavra a dizer no âmbito do título de marcador. Com 23 golos, o chileno está a 1 de Lukaku e a 3 de Kane, e embora apostemos tudo em como o troféu vai novamente para as mãos do avançado do Tottenham, Alexis é menino para, pelo menos, ultrapassar Lukaku, sendo o belga seu opositor nesta ronda.
    Mencionámos Coutinho e Sigurdsson, e o facto do Leicester não dever contar com Huth-Morgan, leva-nos a incluir Joshua King (6.2) uma última vez. Dezasseis golos para um jogador do Bournemouth, fantástico.
    Özil está em forma, Willian deve surgir entre as escolhas de Conte, Eriksen foi poupado diante do Leicester portanto deve jogar contra o Hull, Wilfried Zaha (5.8) pode ser um dos destaques consoante maior seja a rotação de Mourinho, e do Manchester City, elementos como Kevin De Bruyne (10.5) e Sané continuam a caber em qualquer equipa.

- Avançados: Harry Kane (11.8). Este tem que ser o primeiro nome a surgir na vossa lista de jogadores para esta jornada 38. Depois de 5 golos (1+4) na jornada 37, o avançado do Tottenham deixou Lukaku frustrado, e a 2.ª distinção consecutiva de Melhor Marcador não lhe deve fugir. Não obstante, acreditamos que Kane - mais confiante do que nunca - não se deve ficar pelos 26 e pode mesmo fechar 2016-17 com 27 ou 28 golos. Não há limites para um ponta de lança desta qualidade.
    Lukaku quererá recuperar o terreno perdido, embora tenha pela frente um Arsenal que quer muito ganhar, e Daniel Sturridge (9.6), embora caro, parece-nos ser um dos diferenciais mais interessantes desta jornada.
    Para além dos já referidos Gabriel Jesus e Vardy, há ainda nomes como Diego Costa (se jogar), Benteke, Agüero, Vokes, e no Southampton veremos se o fraco rendimento de Gabbiadini não afecta a sua presença no 11, podendo Puel lançar Jay Rodriguez.


Da nossa parte, é tudo. E, a nível de Fantasy, até 2017-18!

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

11 (3-4-3): Heaton; Matip, Terry, Stephens; Coutinho, King, Sigurdsson, Sánchez; Kane, Jesus, Sturridge

Atenção a (Clássico; Diferencial):
Arsenal v Everton - Alexis Sánchez; Mesut Özil
Burnley v West Ham - Tom Heaton; Sam Vokes
Chelsea v Sunderland - Diego Costa; Willian
Hull City v Tottenham - Harry Kane; Christian Eriksen
Leicester City v Bournemouth - Joshua King; Jamie Vardy
Liverpool v Middlesbrough - Philippe Coutinho; Daniel Sturridge
Manchester United v Crystal Palace - Christian Benteke; Wilfried Zaha
Southampton v Stoke - Dusan Tadic; Jay Rodriguez
Swansea v West Brom - Gylfi Sigurdsson; Nacer Chadli
Watford v Manchester City - Gabriel Jesus; Kevin De Bruyne

12 de maio de 2017

Dicas Fantasy Premier League - Jornada 37

Bem, vamos lá então. À penúltima jornada da época.
    A jornada 37 promete ser decisiva a vários níveis. Primeiro que tudo, há uma altíssima probabilidade do Chelsea se sagrar campeão (o primeiro matchpoint dos blues é esta sexta à noite, quando visitarem o West Brom; podendo, caso falhem, festejar sem estar em campo se Mourinho tramasse o Tottenham, ou então mais tarde no Chelsea-Watford). Seja como for, não há grande margem para dúvidas - esta é a jornada em que o Chelsea de Antonio Conte garante o título, sucedendo assim ao Leicester City. Depois, em termos de Fantasy, a 37.ª ronda reúne todos os ingredientes para proporcionar pontuações estratosféricas - muitos Bench Boost e Triple Captain activados, com 15 (!) jogos em vez dos habituais dez, e boas conjugações de jogos para Manchester City, Arsenal, Chelsea ou Tottenham, por exemplo.
    Há assim uma só jornada de Premier League de 12 até 18 de Maio, num non-stop que nos irá oferecer pelo menos um jogo em cada um destes 7 dias. Para além da oficialização do título, a jornada terá outros pontos de interesse: Liverpool, Manchester City, Arsenal e Manchester United lutam por uma presença no Top-4, tendo os reds um jogo absolutamente decisivo no terreno do West Ham, e sendo o City nesta altura a equipa com maiores probabilidades de fechar a época no 3.º lugar. Claro está que o Manchester United pode carimbar o acesso à Champions por outra via - caso vença o Ajax, na final da Liga Europa. A meio da tabela há pouco para mexer de relevante, mas nos últimos lugares e depois do Hull City perder de modo inesperado com o Sunderland, Marco Silva terá um confronto escaldante com o Crystal Palace, entrando em campo um dia depois do Sunderland-Swansea.
    Pessoalmente, achamos que não devem cometer loucuras nesta jornada a nível de transferências, mas é importante reunir um conjunto de 10-12 (se conseguirem 15, melhor) jogadores para os quais esta seja uma double gameweek. Mas atenção, porque elementos como Romelu Lukaku ou Joshua King podem fazer num só jogo tanto ou mais do que muitos craques com 180 minutos para pontuar.
    Na jornada 36, De Bruyne e Forster foram os reis dos pontos (17 pts), e fizeram-se acompanhar a nível de destaques por jogadores como Sánchez, Vokes, Fàbregas, Xhaka, Holding, Marcos Alonso, Gibbs ou Otamendi.
(Podem-se juntar à Liga Barba Por Fazer: Código - 2518758-588128)


Estas são as nossas apostas para a 37.ª jornada:

Harry Kane - Tottenham - 11.7
    Alexis Sánchez, Hazard, Harry Kane, Gabriel Jesus e De Bruyne parecem-nos ser as melhores opções para capitão nesta jornada.
    Manchester United (casa) e Leicester (fora) são os jogos da jornada para os spurs, com particular destaque para o facto do Tottenham-Manchester United ser o último jogo em White Hart Lane - a equipa de Pochettino irá jogar 2017/ 18 em Wembley, enquanto a casa estará em obras. O saudosismo, aliado às segundas linhas que Mourinho poderá colocar em campo depois da meia-final com o Celta disputada quinta-feira, pode "acordar" o melhor de Kane, Eriksen e Dele Alli.
    Actualmente a 7 pontos do líder Chelsea, e também a sete pontos do 3.º lugar, os spurs entrarão tranquilos nos seus jogos, focados no seu bom futebol e em dizer adeus a 2016/ 17 com exibições de encher o olho. Os actuais 21 golos de Kane deixam-no a 3 tentos do melhor marcador Lukaku, e por isso mesmo não será surpresa alguma se os spurs fizerem do seu matador o jogador-alvo da esmagadora maioria dos seus ataques. Kane, comparativamente com Lukaku, tem 1 jogo a mais até ao final do campeonato, mas o facto do belga entrar em campo já nesta sexta pode - caso o avançado do Everton marque uns 2 ou 3, naquele que deve ser o seu último jogo em Goodison Park com aquelas cores - deixar Kane com mais ou menos esperança de alcançar o primeiro posto.


Kevin De Bruyne - Manchester City - 10.4
    Dezoito assistências, 175 pontos. Kevin De Bruyne - jogador que apontávamos no início da época como potencial MVP desta edição, algo que não se veio a confirmar - chega à recta final da temporada como 8.º jogador com mais pontos. Só Sánchez, Lukaku, Hazard, Alli, Eriksen, Diego Costa e Kane estão acima do craque do Manchester City.
    Sujeito, como sempre, à constante rotação que Guardiola promove neste City, deve no entanto ser titular nos 2 jogos. Os citizens recebem Leicester e West Brom, e já é sabida a diferença de rendimento de KDB quando joga em casa desde que está em Manchester.
    Depois de 17 pontos contra o Crystal Palace, com 1 golo e duas assistências, o criativo pode também beneficiar do facto de Agüero não estar a 100% (é provável que Kun não actue em pelo menos 1 dos 2 jogos), não havendo assim uma centralização tão assinalável no ataque do City, que poderá assim ver os seus pontos mais distribuídos entre Gabriel Jesus, De Bruyne, Sané, Sterling e Silva.
    Não é fácil arranjar espaço para Kevin De Bruyne, uma vez que Sánchez e Hazard também costumam fazer umas gracinhas, mas é possível ter este trio. Recomenda-se.


Cesc Fàbregas - Chelsea - 6.9
    O primeiro jogador da História da Premier League a completar 10 ou mais assistências em 6 épocas da competição.
    O espanhol, inicialmente segunda escolha de Conte no seu esquema ficando a ver Kanté e Matic em campo, conquistou o seu espaço e vincou a sua importância ao oferecer ao Chelsea aquilo que mais nenhum jogador tem: a sua visão de jogo é única, a qualidade de passe longo é inigualável, e Diego Costa agradece.
    Cesc fez 4 assistências nos últimos 3 jogos e não será surpresa se voltar a assistir os seus colegas diante de WBA ou Watford.
    Fundamental, à sua maneira, em todos os clubes por onde passou, é curioso verificar a transformação/ evolução e o lado mais camaleónico de Fàbregas, no seu percurso Arsenal-Barcelona-Chelsea. Um daqueles jogadores com uma carreira excelente e um número impressionante de títulos, mas em relação ao qual fica a ideia que poderia ter deixado uma marca mais forte no Futebol (o Barcelona certamente gostaria agora de o ter, tendo vendido tanto Cesc como Thiago, elementos que muito jeito dariam agora a aproximar o Barça de um meio-campo com craques silenciosos como Kroos e Modric).
    Se Diego Costa marcar nesta jornada, é provável que a assistência seja deste homem.


Rob Holding - Arsenal - 4.0
    O Chelsea de Conte impôs o seu 3-4-3 no futebol inglês com sucesso. Entretanto o Tottenham de Pochettino trabalhou um 3-4-2-1 capaz de se moldar em campo para o habitual 4-2-3-1 dos spurs. E neste final da época Wenger decidiu apostar em 3 centrais.
    Jogar num esquema de 3 centrais é puxado. Difícil de executar para quem não está habituado, muito difícil de contornar para os adversários quando o esquema está bem assimilado. Não se pode dizer que o Arsenal saiba jogar no seu esquema actual, mas a verdade é que os 2 últimos jogos resultaram em duas clean sheets, numa fase em que os gunners ainda procuram chegar ao Top-4.
    Avaliado em 4.0, Rob Holding é não só um central com futuro (21 anos) como um achado nesta jornada - o Arsenal joga dois jogos, devendo alcançar pelo menos um jogo sem golos sofridos.
    Holding deve continuar no 11 inicial, e cabe aos gunners fazerem a sua parte, vencendo o Stoke e pressionando o Liverpool antes dos reds visitarem o West Ham.


Gylfi Sigurdsson - Swansea - 7.4
    O Sunderland complicou e muito a manutenção a Marco Silva. Fará o mesmo ao Swansea? Veremos.
    Com Sunderland (fora) e West Brom (casa) nas últimas duas jornadas, o Swansea - 1 ponto a mais do que o Hull - tem nas suas mãos conseguir sobreviver no primeiro escalão do futebol inglês. Basicamente, Sunderland-Swansea, Crystal Palace-Hull, Swansea-West Brom, Manchester United-Crystal Palace e Hull-Tottenham serão os 5 jogos que interessam às contas da manutenção, mas só se o Hull vencer o Crystal Palace. Num cenário em que Swansea e Palace vençam nesta ronda, o Hull dirá já olá ao Championship (nesse contexto, Marco Silva deve dar o "salto" para outro clube da Premier).
    Chegando a um momento de carácter tão decisivo, o islandês Gylfi Sigurdsson deve aparecer e embora não tenha como muitos outros 2 jogos para pontuar nesta jornada, é menino para brilhar na mesma. 173 pontos fazem desta a melhor época de Sigurdsson, jogador que nas últimas duas passou sempre os 150, e temos o feeling de que, fique ou não o Swansea, Sigurdsson não deve continuar de cisne ao peito.




Outras Opções:
- Guarda-Redes: Petr Cech (5.3) e Willy Caballero (4.8) têm a vantagem de entrar em campo duas vezes, com o bónus do argentino ao ter os 2 jogos em casa e ser 0.5 mais barato.
    Forster mostrou na jornada 36 que merece ser considerado, e Lloris ou Courtois também têm um bom calendário. Pickford vs Fabianski promete revelar-se um duelo à distância importante na luta pela manutenção, assim como Jakupovic e Hennessey também serão determinantes.

- Defesas: Falámos de Holding e não se deve ignorar o bom momento de Nacho Monreal (5.9). Caso Koscielny regresse ao 11 dos gunners, Holding ou Gibbs devem ser sacrificados, mas teria mais lógica Wenger abdicar de Gibbs, colocando Monreal a ala.
     Vincent Kompany (6.0) está em grande - que diferença que o capitão do City faz naquela defesa, e no futebol de toda a equipa! - e Otamendi tem crescido de forma clara com o belga ao seu lado, e Maya Yoshida (4.5) ganha tangencialmente a Stephens e Bertrand pelas características dos adversários desta jornada.
    Marcos Alonso voltou a fazer das suas na jornada passada, chegando aos 167 pontos; Adam Smith (4.5) e Toby Alderweireld (6.3) também podem pontuar a sério.

- Médios: Alexis Sánchez (11.6) e Eden Hazard (10.6) são obrigatórios, com vantagem para o chileno porque o Chelsea pode dar-se ao luxo de gerir a equipa na recepção ao Watford caso já se tenha sagrado campeão, que é o cenário mais provável.
    De Bruyne terá a companhia de Leroy Sané (7.7), Sterling e David Silva na procura de destruir as defesas de Leicester e West Brom, Joshua King é porventura juntamente com Sigurdsson a melhor opção entre os jogadores que só têm 90 minutos para pontuar, e do Tottenham Dele Alli é o mais expectável destaque a meio-campo.
    Coutinho e Lanzini prometem um duelo de mágicos, e de resto atenção a jogadores como Özil, Zaha e Chamberlain.

- Avançados: Romelu Lukaku (10.2) e Gabriel Jesus (8.9) são, em conjunto com Kane, os avançados mais promissores nesta jornada com 15 jogos. Diego Costa, Gabbiadini e Vardy também devem ser considerados.


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

11 (3-4-3): Caballero; Monreal, Holding, Yoshida; Hazard, De Bruyne, King, Sánchez; Kane, Jesus, Lukaku

Atenção a (Clássico; Diferencial):
Everton v Watford - Romelu Lukaku; Tom Davies
West Brom v Chelsea - Eden Hazard; Cesc Fàbregas
Manchester City v Leicester - Kevin De Bruyne; Gabriel Jesus
Bournemouth v Burnley - Joshua King; Adam Smith
Middlesbrough v Southampton - Manolo Gabbiadini; Ryan Bertrand
Sunderland v Swansea - Gylfi Sigurdsson; Fernando Llorente
Stoke v Arsenal - Alexis Sánchez; Mesut Özil
Crystal Palace v Hull City - Wilfried Zaha; Christian Benteke
West Ham v Liverpool  - Philippe Coutinho; Manuel Lanzini
Tottenham v Manchester United - Harry Kane; Christian Eriksen
Chelsea v Watford - Eden Hazard; Willian 
Arsenal v Sunderland - Alexis Sánchez; Alex Oxlade-Chamberlain
Manchester City v West Brom  - Gabriel Jesus; Vincent Kompany
Southampton v Manchester United - Manolo Gabbiadini; Nathan Redmond
Leicester v Tottenham - Harry Kane; Jamie Vardy 

4 de maio de 2017

Dicas Fantasy Premier League - Jornada 36

Aproveitem, vem aí aquela que já é a antepenúltima jornada do Fantasy 2016-17. Numa jornada em que muitos Wildcards serão activados a pensar em aproveitar ao máximo a jornada 37 (quinze jogos em vez dos habituais 10), Arsenal e Southampton jogam duas vezes. É recomendável que os jogadores de gunners e saints, duas equipas que recentemente não têm enchido o olho, embora o Arsenal mesmo assim atravesse um momento melhor, tenham lugar marcado nos vossos plantéis. O jogo entre ambos acontece no estádio da equipa orientada por Claude Puel (fala-se na hipótese Marco Silva para seu sucessor, algo muito interessante), enquanto que antes disso o Arsenal recebe um Manchester United pós-meia-final da Liga Europa, e o Southampton visita Anfield.
    Nesta recta final, a boa utilização de Wildcard, Bench Boost e Triple Captain por parte dos jogadores irá alterar e muito a classificação geral. Noutro campo, a classificação da Premier League já não deve sofrer alterações no seu topo. O Chelsea passou em Goodison Park - vitória clara por 3-0 - e tem via aberta para o título. A equipa de Conte tem 3 dos seus últimos 4 jogos em casa, recebendo Middlesbrough, Watford e Sunderland, tendo pelo meio que visitar o West Brom. Parece-nos que o Tottenham não irá desarmar, e por isso mesmo espera-se que Kanté, Hazard, Diego Costa e companhia celebrem o seu 6.º título inglês durante a jornada 37.

    Para os mais distraídos, avisamos que a jornada 36 começa já nesta sexta-feira à noite, com o Tottenham a visitar o West Ham, e os fãs da Liga mais disputada do planeta terão nada mais nada menos do que 5 dias de Premier League: 5, 6, 7, 8 e finalmente 10 de Maio. O jogo grande acontece no Domingo à tarde, com o Arsenal a receber o Manchester United, numa altura em que a estrutura final do Top-6 ainda é uma incógnita, e numa perspectiva de manutenção, há 2 jogos fundamentais para seguir - Hull-Sunderland e Swansea-Everton. Com 2 pontos de vantagem, o Hull de Marco Silva está obrigado a vencer - e deve consegui-lo contra o já despromovido Sunderland - uma vez que nas jornadas seguintes o calendário do Swansea é teoricamente mais fácil.

    Na jornada passada, Jakupovic e Gary Cahill foram os principais destaques com 14 pontos. O guardião suiço do Hull segurou 1 ponto diante do Southampton ao defender uma grande penalidade no último minuto, e Cahill contribuiu para uma vitória-chave do Chelsea rumo ao título. Agüero, Negredo, Sigurdsson, Pedro, Emre Can (que golo!) e o cada vez mais habitual Joshua King também estiveram em bom plano.
(Podem-se juntar à Liga Barba Por Fazer: Código - 2518758-588128)


Estas são as nossas apostas para a 36.ª jornada:

Alexis Sánchez - Arsenal - 11.5
    Outrora incrivelmente destacado da concorrência, hoje não é tão certo que Alexis Sánchez termine a temporada como o elemento com mais pontos nesta edição do Fantasy Premier League. Actualmente com 214 pontos, o chileno já é avistado por jogadores como Lukaku (209), Hazard (207) ou Dele Alli (205) mas tem a vantagem de dispor ainda de duas double gameweeks.
    Não ter Alexis Sánchez nas jornadas 36 e 37 é um grande risco. Por um lado, o eléctrico 7 do Arsenal, que nas últimas 6 jornadas só marcou 1 golo, integra uma equipa que tem apresentado pouca chama. Mas por outro, é importante ter presente que os gunners ainda querem assegurar um lugar no Top-4, e vencer o rival United (espera-se uma postura bastante defensiva da turma de Mourinho) é um passo determinante para tal.
    Depois, temos o feeling que os rumores que ligam Alexis ao colosso Bayern podem materializar-se neste Verão. E, nesse sentido, não se transferindo o chileno para outro clube da Premier League, Alexis quererá terminar a época da melhor maneira possível, despedindo-se em grande de solo inglês. É verdade que Hazard tem-se exibido a um nível que relega Sánchez para segundo plano, mas para nós o melhor é mesmo apelarem à ginástica orçamental e garantirem que têm ambos no vosso plantel.


Eden Hazard - Chelsea - 10.5
    Se não fosse Kanté, o troféu de MVP desta Premier League iria para Hazard. Mais uma vez. Depois de um 2015-16 apagado, no qual só acordou a tempo de confirmar o título do Leicester, Eden Hazard voltou ao seu melhor nível e tem carregado ofensivamente a equipa na 2.ª metade da época, depois de Diego Costa baixar o seu rendimento individual.
    Tendo até hoje um recorde de 233 pts (2014/ 15) no Fantasy, é bem possível que haja novo máximo para Hazard, sendo que o 10 do Chelsea já fixou nova marca a nível de golos - 15 - sujeita, claro, a ser melhorada.
    Com Middlesbrough (casa), West Brom (fora), Watford (casa) e Sunderland (casa), esperam-se pontos do ataque do Chelsea, e Hazard tem sido o jogador em destaque nesse capítulo. É certo que na última jornada Conte poderá promover algumas alterações na equipa, caso o título já esteja assegurado, mas nesta fase e tendo inclusive 2 jogos na próxima jornada, é absolutamente obrigatório terem Hazard.


Manolo Gabbiadini - Southampton - 6.5
    Ter ou não ter Gabbiadini, eis a questão. Depois de um início apoteótico em Inglaterra - 4 golos nos seus primeiros três jogos - o italiano não mais marcou na Premier League. É certo que falhou alguns jogos, lesionado, mas numa fase em que há muitas e boas opções para edificar o trio de avançados, escolher Gabbiadini é um certo risco.
    A seu favor, o calendário. O Southampton joga duas vezes nesta jornada, e volta a fazê-lo na próxima. E se nesta os jogos não são fáceis (Liverpool fora e Arsenal em casa), o que não quer dizer que Gabbiadini não brilhe, na próxima a coisa melhora (Middlesbrough fora e Manchester United em casa), juntando a isso uma recepção favorável ao Stoke na última jornada.
    Claro está que há problemas. Com tantos jogos num curto espaço de tempo, e tendo o ex-Nápoles regressado há pouco tempo de lesão, não é um dado adquirido que Gabbiadini seja sempre titular. O Southampton tem Shane Long, e Charlie Austin já voltou aos treinos. Ainda assim, é muito tentador acreditar no potencial de Gabbiadini.


Harry Maguire - Hull City - 4.4
    Uma boa surpresa. O central britânico, nascido em Sheffield, cresceu tanto com Marco Silva, que até chega a fazer impressão.
    De um jogador pouco seguro, capaz de oscilar entre parecer ora um tosco ora um elemento capaz na saída com bola, passou a um dos centrais-Revelação desta Premier League, intransponível e pleno de recursos ofensivos.
    Não surpreende, por isso, a associação ao Tottenham de Pochettino, equipa que poderá precisar de contratar 1 central caso a aposta no 3-4-2-1 seja uma tendência para continuar.
    Numa jornada em que o Hull recebe o Sunderland, um jogo absolutamente decisivo para Marco Silva, que torcerá pelo Everton e pelos golos de Lukaku quando o seu jogo terminar, Maguire é bem capaz de ter clean sheet e os últimos tempos têm-no confirmado como um perigo na grande área dos adversários.
   Tem condições para ser um íman de Bónus. E, tal como Marco Silva, não acreditamos que esteja no Hull em 2017-18.


Jamie Vardy - Leicester City - 9.9
    Harry Kane é O Avançado neste momento no Fantasy. Lukaku é o melhor marcador em prova, e muitos continuam a confiar nele. Gabbiadini tem muitos jogos para disputar, Agüero vs Gabriel Jesus é um quebra-cabeças que pode ser simplificado se o argentino estiver realmente lesionado, e depois de tudo isto sobram nomes como Diego Costa e Jamie Vardy.
    O melhor jogador do Leicester em 2016-17, e o único capaz de se aproximar ligeiramente do nível da temporada passada, disparou a partir da jornada 26: em 9 jornadas, 7 golos. Quando não marcou (Hull, Everton e Arsenal), em dois desses jogos assistiu colegas, e muito se deve ao avançado inglês o facto do Leicester ter fugido à luta pela manutenção, figurando agora entre o lote de equipas que ainda ambicionam um lugar entre o Top-10.
    Um Leicester-Watford parece-nos a praia perfeita para Vardy, e embora os jogos da jornada 37 não sejam fáceis - visita o Manchester City e recebe o Tottenham - é importante não o ignorar.



Outras Opções:
- Guarda-Redes: Petr Cech (5.3) tem a vantagem de jogar por duas vezes, uma semana depois de ter evitado que o Arsenal fosse goleado pelo grande rival Tottenham. Entre os guarda-redes que só jogam uma vez, Tom Heaton (5.2) em casa é sempre especial, depois de uma clean sheet inesperada do inglês em casa do Crystal Palace, que pode ter-lhe garantido o estatuto de guardião nº 1 no final das contas da época no Fantasy.
    Jakupovic, Schmeichel e Courtois também são boas opções.

- Defesas: Com várias indefinições na defesa do Arsenal (ter Monreal é estranho, e na direita Bellerín muito provavelmente será suplente de Chamberlain, pelo menos num dos jogos), entre os double gameweekers talvez o Southampton seja mais interessante. Bertrand é quem melhor se projecta no ataque, Yoshida o alvo habitual das bolas paradas ofensivas, mas a verdade é que Jack Stephens (4.2) é que tem sugado pontos de Bónus, conseguindo 2+3+2 no espaço dos últimos 6 jogos.
    Um pouco na linha de Maguire, Michael Keane (5.1) tem sido outro dos centrais revelação desta época, tendo o seu "salto" ainda mais garantido. O Burnley-West Brom pode perfeitamente ser um jogo de poucos golos. Ou não. Afinal, estamos a falar da Premier League.
    Marcos Alonso (6.8) e Gary Cahill (6.6) custam o que custam por algum motivo, e esquerdinos como Robertson, Fuchs ou Daniels também têm uma palavra a dizer nesta jornada.

- Médios: Joshua King (6.2). Quando um jogador que começou a época a 5.5 contabiliza 164 pontos em 35 jornadas, duas coisas garantidas: trata-se de um dos "achados" da época, e é obrigatório tê-lo uma vez que recebe Stoke e Burnley nas próximas jornadas. O norueguês não tem double gameweeks, mas o facto de nas últimas 14 jornadas ter marcado em 9 delas, tratando-se de um jogador do Bournemouth, chega e sobra para nos convencer.
    Hazard e Sánchez já foram esmiuçados, e entre os spurs, Dele Alli (9.2) reúne vantagem relativamente a Eriksen e Son. Kevin De Bruyne, Grosicki, Mahrez, Sigurdsson, Coutinho (se estiver a 100%), Chamberlain e Tadic também podem ter uma boa jornada.

- Avançados: Harry Kane (11.6) não deve parar de marcar tão cedo, e numa segunda linha ao nível de Vardy e Gabbiadini surgem imediatamente 2 nomes - Romelu Lukaku (10.3) e Gabriel Jesus (8.7). O belga não é tão prolífico fora mas pode ser bastante complicado para o aflito Swansea conter o seu poderio físico, enquanto que Gabriel Jesus será ainda mais tentador caso Agüero não esteja pronto para combate.



------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

11 (3-4-3): Cech; Maguire, Stephens, Cahill; Hazard, Alli, King, Sánchez; Kane, Vardy, Gabbiadini

Atenção a (Clássico; Diferencial):
West Ham v Tottenham  - Harry Kane; Toby Alderweireld
Manchester City v Crystal Palace - Gabriel Jesus; Kevin De Bruyne
Bournemouth v Stoke - Joshua King; Ryan Fraser
Burnley v West Brom - Tom Heaton; Michael Keane
Hull City v Sunderland - Kamil Grosicki; Harry Maguire
Leicester City v Watford - Jamie Vardy; Riyad Mahrez
Swansea v Everton - Romelu Lukaku; Gylfi Sigurdsson
Liverpool v Southampton - Philippe Coutinho; Dusan Tadic
Arsenal v Manchester United  - Alexis Sánchez; Alex Oxlade-Chamberlain
Chelsea v Middlesbrough - Eden Hazard; Pedro
Southampton v Arsenal - Alexis Sánchez; Manolo Gabbiadini 

28 de abril de 2017

Crítica: Get Out

Realizador: Jordan Peele
Argumento: Jordan Peele
Elenco: Daniel Kaluuya, Allison Williams, Catherine Keener, Bradley Whitford, Lakeith Stanfield, Caleb Landry Jones, LiRel Howery 
Classificação IMDb: 8.1 | Metascore: 84 | RottenTomatoes: 99%
Classificação Barba Por Fazer: 80


    Muito bem Jordan Peele, que bela estreia a realizar.
    É natural, por se afastar da colagem que fazemos imediatamente de Peele à comédia, a surpresa de ver uma das metades de Key and Peele (para além da série da Comedy Central, entraram também na primeira temporada de Fargo juntos e talvez se lembrem de algumas Epic Rap Battles of History entre eles) lançar-se a solo atrás da câmara... num filme de terror. Depois de tanto sucesso ao lado do grande amigo Keegan-Michael Key, Peele fez tudo aquilo que se deve fazer num filme de terror psicológico. Bem, não fez tudo, porque não seguiu uma receita convencional; ousou ter a sua Voz bem presente num filme de terror. Coisa rara. Mais, Jordan Peele conseguiu com Get Out, com humor e sátira à mistura, produzir uma obra sem tabus e que, pela forma como está escrita, com uma brutal atenção ao detalhe e uma relevância gritante nos EUA (em especial) e no mundo, passa a sua mensagem numa hipérbole bizarra que nos mantém agarrados à cadeira.
    No centro de tudo, Chris (Daniel Kaluuya), um afro-americano que vai finalmente conhecer os pais da namorada, Rose (Allison Williams). A mansão dos Armitage torna-se rapidamente tão desconfortável e desconcertante para Chris como para nós, espectadores, tudo graças ao tom ambíguo dos pais - reforçado, mais tarde, pela chegada do irmão de Rose - que vão petrificando Chris, cada vez mais incomodado e desconfiado de tudo e todos à sua volta.
    A parada sobe quando a preocupação postiça, a curiosidade e o racismo em versão inveja pejam uma festa liberal e desumana, carregada de pessoas "que teriam votado em Obama pela terceira vez".
    Com Daniel Kaluuya (quem não o viu a brilhar num episódio de Black Mirror tem que ir já a correr fazê-lo) a ter o destaque como protagonista de uma longa-metragem que já merecia, Get Out conta ainda com outros membros do elenco a incorporarem na perfeição a vibe que Peele quis dar: Catherine Keener transforma-se neste papel, Bradley Whitford é o rosto da sua classe, Caleb Landry Jones revela potencial para outras coisas e em relação a Lakeith Stanfield esta é apenas a confirmação que ele sabe orbitar os projectos certos. Desde Short Term 12 a isto, passando claro está por Atlanta.

    Com estreia em Portugal marcada para a próxima quinta-feira, 4 de Maio, Get Out é uma hipnose a uma sociedade que já deveria ter acordado há muito tempo. Faz rir. Intriga. E faz pensar. Num tema em que seria bom já não termos de pensar. Pelo meio, e sem estragar o filme, há revelações inesperadas (talvez tenhamos criado expectativas demasiado altas, e por isso esperávamos mais contra-curvas), um plano com origem numa derrota aos pés de Jesse Owens, e talvez fosse melhor Peele ter terminado o filme com o final que estava inicialmente escrito. Pelo menos, era o fim que pensámos a dado momento que Get Out iria ter, e talvez tornasse o filme mais difícil de digerir. E, nesse sentido, mais marcante.

Dicas Fantasy Premier League - Jornada 35

Ultrapassada a (longa) jornada 34, e antes de nos perdermos nos múltiplos jogos das double gameweeks 36 e 37 (Arsenal e Southampton jogam a dobrar em ambas, tendo na 37.ª a companhia de Chelsea, Man City, Man United, Tottenham, WBA, Watford, Leicester e Sunderland), chega-nos uma das jornadas mais importantes na luta pelo título.
    O próximo Domingo promete ser entusiasmante, com 2 testes de fogo para os dois únicos candidatos - Chelsea e Tottenham. Os principais favoritos viajam a Goodison Park, tendo goleado o Everton por 5-0 na primeira volta, e encontrarão em Lukaku e companhia o maior obstáculo até ao final da época. Uma vitória deixará a equipa de Antonio Conte bem mais perto de se sagrar campeã, mas uma derrota ou empate (com subsequente aproveitamento do Tottenham para encurtar distâncias) pode activar uma pressão inesperada para os blues e aumentar o índice de dificuldade de, por exemplo, uma deslocação ao West Brom. Seja como for, independentemente do desfecho do Everton-Chelsea, teremos depois um escaldante derby do Norte de Londres, com o Tottenham a receber o seu grande rival Arsenal. Os spurs atravessam um grande momento, mas os adeptos dos gunners não se importarão certamente que a sua equipa seja aquela que castra as aspirações ao título da turma de Pochettino.

    Para quem ainda tem Wildcard, a melhor utilização dessa "cartada" é a próxima jornada (36), reunindo um elenco promissor para a 37. Para quem já não o tem, importa que a gestão de transferências seja feita a pensar em retirar o maior aproveitamento possível das equipas que jogam a dobrar na 37, cruzando essa variável com o momento de forma dos jogadores, das suas equipas e a dificuldade dos jogos em que estarão envolvidos. Há várias questões que importa ver respondidas em campo, e devem procurar tirar conclusões do rendimento de Agüero vs Gabriel Jesus, da capacidade de Diego Costa em manter o nível que apresentou contra o Southampton, e mesmo relativamente a Gabbiadini, interessa verificar se consegue "regressar" contra o Hull, recuperando a veia goleadora que marcou os seus primeiros tempos em Inglaterra.
    Numa jornada em que Manchester United, Middlesbrough e Crystal Palace jogaram a dobrar, Martial e De Gea (ambos 17 pontos) foram os principais destaques. As duas clean sheets dos red devils ajudaram Darmian, Bailly e Blind a surgirem também no 11 da jornada do Fantasy, incluindo-se ainda como destaques Benteke, Pugh, Diego Costa e Charlie Daniels.
(Podem-se juntar à Liga Barba Por Fazer: Código - 2518758-588128)


Estas são as nossas apostas para a 35.ª jornada:

Christian Eriksen - Tottenham - 8.8
    Eriksen adora jogar em White Hart Lane. Esse velho ditado, relativo ao dinamarquês que esta temporada já por 10 vezes alcançar pontuações iguais ou superiores a 10 pontos por jornada, não deixou de ser verdade, mas as recentes exibições contra Swansea e Crystal Palace ajudaram a demonstrar que o 23 do Tottenham é cada vez mais um jogador para fazer a diferença em qualquer campo.
    Com um total de 193 pontos (o seu recorde individual era de 178 pts, na época passada), mantemos a nossa tese de que o trio Kane-Alli-Eriksen é para manter nos vossos plantéis. Os spurs de Pochettino coleccionam oportunidades, têm vários jogadores muito confiantes, e nem mesmo o facto de receberem Arsenal e Manchester United no conjunto das próximas 3 jornadas nos desmotiva em relação ao potencial deste trio, claramente de pedra e cal no 11 ao contrário de Son Heung-Min.
    Com +47 de diferença de golos, o Tottenham está a 1 golo do melhor ataque (Liverpool, com 70 golos, mas um jogo a mais do que Tottenham e Chelsea, que marcaram 69 até aqui) e é a melhor defesa com apenas 22 golos sofridos (o Manchester United sofreu 24, o Chelsea sofreu 29). As apenas 3 derrotas em 33 jogos - registo que o United de Mourinho também tem - são um indicador preciso de quão difícil é derrotar esta equipa de Pochettino. Seja em 4-2-3-1 ou em 3-4-2-1, parece-nos que o Tottenham pode causar muitas dificuldades ao Arsenal de Wenger. Kane costuma fazer estragos, mas Eriksen e Alli também os poderão fazer.


Anthony Martial - Manchester United - 9.2
    Longe vão os tempos em que José Mourinho sugava toda a pressão dos seus jogadores para si próprio, deixando a gestão de plantel e os mind games com os seus atletas guardados no sagrado balneário.
    Desde Madrid que o Special One não é o mesmo, mas ainda assim - claro que não nos podemos esquecer do brutal investimento realizado no Verão passado, que teoricamente obrigava o United a ser campeão - há coisas positivas nesta época do clube de Old Trafford. Desde logo, vencer a Liga Europa ainda é uma possibilidade; depois, é de saudar o registo defensivo (24 golos sofridos, e apenas 3 derrotas, embora tenha por exemplo mais 10 empates do que o líder Chelsea) e também o facto de Mourinho não ter congelado a evolução de elementos como Rashford e Lingard.
    O que nos leva a Martial, um dos destaques da jornada 34 com um total de 17 pontos. O extremo francês, ainda com 21 anos, precisa de estar em campo e evoluir lado a lado com outros craques, podendo ser uma peça importante de 2017-18. Para já, diante do Swansea terá nova oportunidade de mostrar todo o seu potencial. É que até há não muito tempo, Martial era a coqueluche do futebol francês. Entretanto, o explosivo Anthony estagnou, e "surgiram" Mbappé e Ousmane Dembélé. Craques.


Maya Yoshida - Southampton - 4.4
    O Southampton de Puel não vive propriamente um grande momento. Nos últimos dois jogos, 7 golos sofridos, embora o facto de Manchester City e Chelsea terem sido os adversários atenue a coisa. Antes disso, a defesa dos saints atravessou um bom período entre as jornadas 30 e 32, com o nipónico Yoshida a totalizar 7, 11 e 9 pontos em três jornadas consecutivas.
    Ora bem, embora achemos que o Hull de Marco Silva - por precisar muito mais de pontos nesta fase do que o Southampton - pode pontuar no St. Mary's, convém começarem a reforçar as vossas equipas com elementos dos saints. Depois de receber o Hull em casa, o Southampton joga por 4 vezes no espaço das jornadas 36 e 37 e, embora tenha jogos difíceis (a sequência é Liverpool fora, Arsenal casa, Middlesbrough fora, United casa), ter defesas baratos do Southampton pode ser uma jogada inteligente na gestão destas jornadas finais.
    Bertrand é o melhor defesa disponível da equipa (isto porque o super Van Dijk já não deve regressar esta época), Cáceres não entrou ainda nas contas, e por isso são os económicos Yoshida e Stephens as opções mais tentadoras. Especial atenção para o japonês, o jogador referência de muitas bolas paradas de James Ward-Prowse.


Charlie Daniels - Bournemouth - 5.2
    É evidente para qualquer adepto da Premier League que Joshua King é o jogador-chave deste Bournemouth, e um dos melhores negócios desta temporada no jogo virtual. Não obstante, e até porque falámos do norueguês na ronda passada, importa falar sobre o lateral-esquerdo, Charlie Daniels.
    Depois de uns fantásticos 14 pontos na recepção ao Middlesbrough, o lateral da equipa de Eddie Howe colou-se a McAuley como 6.º defesa com mais pontos deste Fantasy (123). Apenas com o trio do Chelsea - Alonso, Cahill e Azpilicueta -, Kyle Walker e o lesionado Coleman à sua frente, é apenas uma questão de tempo até que Daniels figure, no mínimo, entre o Top-5 desta época.
    5.2 fazem de Daniels uma opção interessante e com um preço relativamente competitivo (basta ver que entre Azpi, Walker, Cahill e Marcos Alonso ninguém custa menos do que 6.4), e o calendário promete bons ventos para o esquerdino. O Bournemouth viaja neste fim-de-semana ao estádio do "lanterna vermelha" Sunderland, e nas próximas duas recebe Stoke e Burnley.
    É certo que os cherries são uma das equipas que não tem jornadas duplas, mas Joshua King parece-nos poder fazer mais numa jornada do que muitos jogadores em duas, e Daniels é outro elemento para terem em consideração.


Marko Arnautovic - Stoke City - 7.1
    O actual 11.º lugar do Stoke corresponde sensivelmente às expectativas de início de época. A equipa de Mark Hughes merece o meio da tabela, flutuando entre bons períodos e outros menos bons, sem nunca se intrometer entre os destaques da época, mas sem surgir igualmente entre os aflitos ou quase-aflitos.
    Esta imprevisibilidade e incapacidade de dar o salto para outro patamar, capaz de fazer a equipa lutar por uma posição alguns lugares acima, ganha corpo quando se olha para os 2 principais craques da equipa - Arnautovic e Shaqiri.
    Acertar numa boa jornada do austríaco e do suiço é... complicado. Pessoalmente, temos o feeling de que este Stoke-West Ham pode ser um bom jogo para esta dupla, sobretudo para Arnautovic. No entanto, depois de 165 pontos em 2015-16 pode-se falar em regressão no caso do irregular austríaco. Actualmente com 6 golos e 4 assistências, certamente que se quererá aproximar dos 11 golos e 6 assistências da temporada anterior.



Outras Opções:
- Guarda-Redes: Heaton ainda é o líder entre os guarda-redes, com 138 pontos, mas David De Gea (5.4) aproxima-se a cada jornada que passa. Os 17 pontos do espanhol na jornada 34 ajudaram e muito a encurtar distâncias e nesta fase não nos surpreende se o guardião, alvo do Real Madrid para 17-18, terminar a época como GR nº1 no Fantasy.
    Wayne Hennessey (4.3) e Willy Caballero (4.7), este último a sair beneficiado pela lesão de Bravo, são opções mais em conta, querendo nós acompanhar a progressão de Jack Butland (4.5) agora que está de volta. O guarda-redes inglês, um dos melhores da Premier League, pode ser um activo interessante, mas apenas para a próxima temporada.

- Defesas: Já falámos acima de Yoshida e Charlie Daniels, e entre os defesas do United o italiano Matteo Darmian (5.0) é o nosso eleito. Desde que o ex-Torino se fixou na defesa dos red devils, a equipa conseguiu 4 jogos consecutivos sem sofrer qualquer golo.
    De resto, Bertrand galgará terreno diante do Hull, a ausência de Sakho no coração da defesa do Palace poderá ser sentida, e Vincent Kompany (5.9) é bastante caro, mas é indiscutível quão melhor poderia ser o desempenho defensivo do City caso o seu capitão e patrão da defesa estivesse sempre disponível.

- Médios: Numa jornada que pode não ser pêra doce para craques como Alexis Sánchez e Eden Hazard (10.4), embora ambos se sintam como peixe na água nestes jogos cabeça-de-cartaz, para além de Eriksen há ainda Dele Alli (9.2) pronto para castigar o Arsenal com a sua qualidade técnica e aproximação à área.
    Joshua King (6.1) pode continuar a deliciar quem o tem, Zaha e Townsend têm diante do Burnley uma oportunidade para se redimirem e compensarem quem apostou neles na jornada 34, e depois menos certo é o rendimento de elementos como Tadic, De Bruyne, Son ou Philippe Coutinho.

- Avançados: Harry Kane (11.6) costuma marcar ao Arsenal, Christian Benteke (7.4) tem estado em grande - embora vá defrontar uma equipa que se sente confortável quando os adversários apostam forte no jogo directo - e Manolo Gabbiadini (6.4) tem nesta jornada a chance de nos convencer a todos que merece ser um dos nossos 3 avançados nas duas jornadas seguintes.
    Defoe, Vardy e Rashford são nomes que não se devem ignorar, importando depois ver como Guardiola gere Agüero e Gabriel Jesus, numa jornada em que todos os caminhos vão dar a Lukaku versus Diego Costa. O belga, melhor marcador da competição, é falado como potencial reforço do Chelsea para 2017-18 e, tendo brilhado ultimamente quando os jogos são em Goodison Park, pode ser uma dor de cabeça para a defesa de Antonio Conte.



------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

11 (3-5-2): De Gea; Darmian, Yoshida, Daniels; Zaha, Alli, Eriksen, King, Arnautovic; Benteke, Kane

Atenção a (Clássico; Diferencial):
Southampton v Hull City  - Manolo Gabbiadini; Maya Yoshida
Stoke v West Ham - Marko Arnautovic; Xherdan Shaqiri
Sunderland v Bournemouth - Joshua King; Charlie Daniels
West Brom v Leicester City - Jamie Vardy; Craig Dawson
Crystal Palace v Burnley - Christian Benteke; Yohan Cabaye
Manchester United v Swansea - David De Gea; Anthony Martial
Everton v Chelsea - Romelu Lukaku; Eden Hazard
Middlesbrough v Manchester City - Kun Agüero; Vincent Kompany
Tottenham v Arsenal  - Harry Kane; Christian Eriksen
Watford v Liverpool - Philippe Coutinho; Troy Deeney