Antevisão da Barclays Premier League 2017/ 18

Não há nada como a Premier League. Quem vai conquistar a liga mais competitiva do planeta? Que jogadores se vão destacar? As previsões do Barba Por Fazer estão todas aqui.

Antevisão da Liga NOS 2017/ 18

Quem vai ganhar entre Benfica, Porto e Sporting? O Barba Por Fazer dá-te a mais completa análise à nova época do futebol português.

Crítica: Dunkirk

Não é o melhor filme de Christopher Nolan, mas é o melhor desde os últimos óscares. Se só puderem ir ao cinema uma vez até ao fim de 2017, escolham a experiência que é ver Dunkirk.

Revisão: Better Call Saul (3ª Temporada)

Uma obra-prima paciente. E a melhor série da primeira metade de 2017.

Emmys Barba Por Fazer 2017: Nomeados

Entre os nomeados dos primeiros Emmys BPF, destaque para as várias nomeações de Better Call Saul, The Leftovers, The Night Of, Master of None e Atlanta.

22 de março de 2013

Sócrates - o reforço do ano da RTP


Numa altura em que se fala da ida de Ricky van Wolfswinkel do Sporting para o Norwich no próximo verão, o grande reforço não é esse. O José voltou. Todos tínhamos saudades do José.

    Falo de Sócrates, ou melhor do Sócrates, porque a personagem em questão motiva em mim o à vontade para isso. Não faz sentido a ninguém tratar por você um ladrão: “Dá-me todo o teu dinheiro!”, “Terei que rejeitar a sua proposta”. 
    Com Sócrates o que se passou foi mais ou menos isso, só que ninguém teve a hipótese de rejeitar fosse o que fosse, e o ladrão não apontou uma arma ou ameaçou, optou antes por fazer um cafunézinho enquanto metia a mão no bolso pela surra. 

    O homem sexy platina para o Correio da Manhã, José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, fartou-se da sua Filosofia em Paris. Insatisfeito com o facto de apenas ter um tacho na indústria farmacêutica (enquanto Presidente do Concelho Consultivo da Octapharma para a América Latina), Sócrates quis mais. Imagino assim a conversa entre o ex-primeiro ministro e o director de Informação da RTP, Paulo Ferreira.

José Sócrates - Paulo, estou maçado com a vida que tenho levado este semestre. Não tenho muitos amigos aqui e ainda por cima a morte do meu amigo Chávez afectou-me. E há uma matéria que me atormenta e causa pesadelos, não me entra na cabeça, não a consigo estudar: a ética.
Paulo Ferreira - Estás farto de Descartes, Locke, Hume e afins?
JS - Sim Paulo, mas ganhei um respeito enorme pelos professores. Apetecia-me leccionar pá!
PF - José, o máximo que te posso fazer é dar-te 25 minutos por semana para comentares política, numa espécie de lição semanal.
JS - Porreiro pá.

    Só há uma forma de tudo isto ter algum juízo funcional. Muitas vezes as empresas responsáveis por criar seguros antivírus informáticos contratam os melhores hackerspara colaborarem com elas. A funcionalidade de ter Sócrates pode ser a de conseguir antecipar más decisões, más políticas e jogadas. Afinal de contas, ele é bom a ser péssimo. Pôr Sócrates a comentar política é como pôr o Vale e Azevedo a comentar presidencialismo desportivo ou Zé Cabra como jurado de um programa de talento musical. Claro que se pode inverter cada frase que o José disser, e aí tem-se um bom comentador.

    Uma das coisas que mais confusão me faz é… as negociações para a contratação de Sócrates terem decorrido desde o início deste ano, considerando que Sócrates não será remunerado pela sua presença no canal público. Ora, então se não se negociou em dinheiro, ou se negociou em géneros ou foi algo do género “Vá lá, vem”, “Não”, “Oh, vá lá, por favor”, “Não”, “Fogo, mas eu estou-te a pedir”. Três meses a negociar algo que não envolve um salário é curioso – ou isto é tudo uma grande treta ou então os e-mails entre o Sócrates e o Director de Informação da RTP foram muito espaçadamente respondidos, entre os arraiais académicos de Sócrates.

    É óbvio que Sócrates na RTP exponenciará as audiências – mesmo que não seja no comentário semanal, será certamente na “grande entrevista em que o antigo primeiro-ministro pretende esclarecer alguns temas a propósito dos seus 6 anos de governação”. Mas é assim a nossa sociedade. Em American PyschoPatrick Bateman (Christian Bale) mata tudo e todos e (numa das 2 possíveis interpretações do filme) pelo seu statusa sociedade escamoteia os seus crimes. Neste caso, não só a sociedade estaria a branquear a (má) influência de Sócrates no rumo do país como ainda o colocaria num púlpito para todos o ouvirmos a comentar decisores posteriores a si que têm nas mãos anos e anos de desgraças (em parte também anteriores a Sócrates) nas mãos. 
    O jantar é coelho, mas a cozinheira que foi cozinhar para França deixou o coelho cheio de moscas e a cheirar a podre. No entanto agora, a cozinheira virá refilar os erros da confecção do prato de coelho. É uma metáfora, apenas e só.

    Pena que não haja reformas, pena que não haja coragem nos mais altos cargos – a coragem de querer realmente dirigir um país e defender que quem gere danosamente as contas de uma nação, que tem que pagar de alguma maneira. Seria irracional pedir ao José que pagasse o que fez a dívida avolumar, mas umas grades à volta dele davam uma ligeira noção de justiça a muita gente e serviam de exemplo. Se um aluno tiver más notas, chumba. Se um treinador tiver maus resultados, é despedido. Se um homem bomba não explodir, perde 18 virgens. E o político?

    Das duas uma, ou a RTP está a montar uma cilada e quer apanhar Sócrates, vindo de França, acorrentá-lo a uma cadeira e julgá-lo em praça pública. Ou então, como disse o cronista do Público, Miguel Gaspar, os portugueses terão que estar munidos de um cesto de tomates podres junto à televisão em cada trecho de 25 minutos semanais. MP

21 de março de 2013

Nostronhonhoi Sporting!


    Ora bem, adianto já que este texto não vai ser muito grande. Não entendo porque comecei com esta observação já que podem ver o tamanho do mesmo... Mas adiante!
    Estou aqui para falar sobre este vídeo do Youtube ao estilo Paulo Futre, mas com a interpretação de Bruno de Carvalho - ao que tudo indica, futuro Presidente do Sporting. Bem... No passado também era o futuro e acabou por ganhar o Gordinho Lopes... Ainda me lembro dos adeptos a cantar pelo Sporting, depois sai pela porta o Gordinho Lopes com um sorriso e todos tentam atacá-lo. Foi engraçado.
    Este vídeo também é engraçado (se ainda não viram podem visioná-lo no fim do texto). O que é que concluímos com este vídeo? Que Bruno de Carvalho pretende transmitir que é mais um tio a querer ser presidente do Sporting, mas um tio autoritário, está a ver?
    Bruno de Carvalho começa por dizer que há anos que não ouve uma graçola de um amigo, seja de que clube for, sobre se ganhou ou perdeu... Realmente... Os sportinguistas levam com piadas quer ganhem ou percam. Dessa não me tinha lembrado. Perdem - «Então? Até contra o Setúbal?»; Empatam - «Um empatezito... Para vocês é uma vitória!»; Ganham - «Ontem lá ganharam! O mundo deve estar para acabar...» Perdão. Os sportinguistas excepto o Bruno de Carvalho. Ele não ouve graçolas! Mas há anos!! Os amigos! Agora imaginem de quem ele não gosta... A brincadeira vai até onde ele quer, diz ele. Um verdadeiro tio badass, mas com voz de quem já toma bagaço desde os dois anos. Devia meter "cheirinho" na chucha.
    Depois vêm as histórias com os russos. Bruno de Carvalho não é convencido. Bruno de Carvalho é gabarolas. São coisas diferentes. O convencido só é convencido quando o confrontam. O gabarolas gaba-se de tudo sem ninguém lhe ter perguntado nada. E lá se gabou Bruno de Carvalho dizendo que se dá bem com russos. Que jantou com eles na véspera da final da Taça UEFA (Sporting-CSKA) com elementos do clube russo, com o assessor do Putin, com a Maria José Valério... Foi giríssimo!! E agora vem uma das partes que marca o video - Bruno de Carvalho a imitar os russos a cantar a marcha do Sporting. «Nostronhonhoi Sporting!» - dizia Bruno de Carvalho que eles diziam... A tentar fazer o humor. «Depois cantaram sozinhos... Nenhum de nós cantou o hino deles, não é? Eles cantaram o nosso! Nós não cantámos o hino porque realmente...» - e chegámos a um ponto da gabarolice que já junta bazófia. Eles cantaram o hino do Sporting!... Mas nós não cantámos o deles... Era o que mais faltava. Mas há mais! No estádio do CSKA estavam expostas fotografias da vitória do clube russo diante do Sporting na final da Taça UEFA. Bruno de Carvalho entrou e disse que não se estava a sentir bem porque era do Sporting e, diz ele, que lhe pediram desculpa quase de joelhos e que retiraram as fotos de imediato. Bruno de Carvalho termina o seu conto com: «Meu querido, comigo não há brincadeiras... Não há fotos! Quero lá saber se ganharam ao Sporting... TIRA!» - Quem é que se mete com o tio badass nostronhonhoi? NINGUÉM!
    «Quer mais? Conto-lhe...» - diz Bruno de Carvalho. Mais contos da Rússia. Agora sobre o Spartak. Bruno de Carvalho viu o jogo do seu Sporting contra o Spartak com os russos. E o Sporting começou a ganhar. Bruno de Carvalho disse que festejou que nem um louco, gritando-lhes aos ouvidos e gesticulando-se muito. Só que os russos acabaram por ganhar 3-1 e não festejaram um único golo. O tio badass nostronhonhoi gabou-se disso. Disse que aquilo foi uma prova que com ele ninguém se mete porque senão está lixado com ele. Han? Muita bem... Se calhar os russos pensaram que o tio badass nostronhonhoi era maluco e o tio não deu por isso, já viu?
    Termino o texto perguntando: «O que se passa com o Sporting?» É que realmente só se passam lá coisas estranhas... Primeiro o Bettencourt, suas decisões apaixonadas e estranhas e as suas maracas. Depois o Gordinho Lopes, as suas decisões sem cérebro e as afirmações do tipo «Se eu não viesse para o Sporting, ele acabava.» E agora, possivelmente, vai para lá o tio badass nostronhonhoi... Eu sou benfiquista e tenho pena que o Sporting esteja neste estado. Não pelos lagartos (maioria sportinguista), mas sim pelos verdadeiros sportinguistas. Aqueles que amam o seu clube e não entram na obsessão "Anti-Benfica". São poucos, realmente... E pergunto se não será por isso que o clube está como está. TM



19 de março de 2013

Garganta Afinada. Top 20 ( nº 85 )

    Olá pessoas mai' lindas! Quem quer boa música para ouvir quando estiver a descansar? Vocês!! E como nós até somos boas pessoas fizemos mais um top rico em boas sonoridades só para vossas excelências. São uns mimados de primeira, vocês...
    Neste top vamos contar com o máior homem do mundo! The Tallest Man On Earth continua a encantar com a sua viola e desta vez deixa-nos a música "Love is All" - uma de várias boas músicas do cantor. Não tão grande como o máior, mas logo ao lado dele temos Xavier Rudd com a sua versão de "Spirit Bird" - uma música que vai conquistando e que bem podia figurar num filme que envolva natureza e cenas em breve.  Qualquer zebra cantarolaria "Spirit Bird" enquanto se ensaboava na cascata. Outro artista que lançamos hoje é Benjamin Francis Leftwich - rapidamente este intimista cantor vai ganhar o seu lugar na música, claramente bem influenciado por uma mescla de James Vicent McMorrow, Fitzsimmons e Ben Howard. Neste caso deixamos a música "Is That You On That Plane", que tem um ligeiro sabor à 23 dos Jimmy Eat World no início, sendo que a mais badalada do jovem Benjamin tem sido Atlas Hands. Também temos o Tiago Bettencourt que com a ajuda dos Manta fazem uma interpretação fabulosa da Canção do Engate do grande António Variações. Vale mesmo a pena ouvir. Continuamos a roubar cantigas às séries e desta vez sacamos duas a Arrow. Uma mais orgásmica dos The Veils e outra mais calma de Trent Dabbs e Amy Stroup. Pelo meio o projecto Rhye, que em breve também deverá ter maior notoriedade e que está a causar um hype razoável - o vídeo de "Open" é uma variante do tradicional vira, mas na cama; mostramos ainda mais uma dos M83 que nos são bastante amigos musicalmente e Jahcoustix - o homem do reagge que foi há dias ao 5 para a meia noite.
    Por fim, deixamos o último single que a banda Charlie Brown Jr lançou. Mais uma música introspectiva do cantor Chorão e que revela alguns pensamentos antes da sua morte.
    Lendas têm sido escritas, em que se conta que publicaremos mais tops. E quando chegarmos ao top nº 100, o mundo acaba, logicamente.
     Para já, humanos, oiçam ou ouçam e chorem por mais.

15 de março de 2013

Bieber - Da Febre à Estupidez

    «Salve, pulchra, creaturis. Hodie guy narrabo vobis de stupiditas! Justin Bieber et stupiditas. Cubantem piis foveamus amplexibus osculis. Chico.»

    Sim. O Papa Francisco quis abrir o meu texto sobre o Justin Bieber. O gajo é assim... Agora quer ter o dedinho em tudo... Diz que ama a ditadura e essas cenas... Antes isso que miú... Não! Não vamos entrar por aí outra vez, porra! Fat-props, Chico One!

    E agora vamos ao que interessa. O Justin Bieber esteve cá para dar um "espectáculo" no Pavilhão Atlântico. «Mas quem é o Justin Bieber?» - pergunta não-sei-quem. Justin Bieber é um miúdo que começou a sua carreira ainda mais miúdo (15 anos) pela mão do seu manager que o descobriu no Youtube e depois Usher deu-lhe a mãozinha para se tornar numa estrela pop aos 15 anos. Justin Bieber quando começou a cantar era assim:


    Então? Que tal? Tinha estilo de pintarolas, apesar de ser daquelas pessoas que nos chamam à atenção por não sabermos se é fêmea ou macho.

    O jovem Bieber não tinha grandes posses e virou estrela assim do nada. Resultado: a fama subiu à cabeça do miúdo. Até já o intitulam (os fãs) de novo Michael Jackson, mas está longe disso. Michael Jackson não era odiado por meio mundo. Bieber é. A diferença está na atitude. Michael Jackson não tinha a mania que era o maior, apenas tinha uma pancadita. Bieber trabalha muito para os media. Já para não falar na música... Michael Jackson ouve-se bem, Bieber não. Contudo, isso é derivado dos tempos. A música evolui e agora o que Bieber faz é o Pop dos dias de hoje. Há quem goste... Eu não, certamente.
    Agora, a pequenada idolatra isto:


    Han? Muita bem... Cortou o cabelo! Já não é mau. Só que agora eu olho para ele e vejo uma jovem lesbiana sem seios chamada Renata. É o que eu vejo...
    Actualmente, o cantor está a tentar passar de criança para homem com a sua música e já vomita em palcos e cenas. Até quis bater num fotógrafo assim para o cheio porque lhe chamou convencido. Está mesmo a querer sair da casca... Mas só piora a imagem que tem. A atitude conta muito e a humildade é essencial. Há imensos músicos que fazem música do mesmo estilo de Bieber e não têm assim tão mau feedback. Com isto não quero dizer que Justin Bieber seja um mau músico (até porque não o sei, apenas sei que não gosto das suas cantigas), mas podia fazer menos coisas para desagradar o publico-geral. Quando o moço surgiu, a ideia que tenho, era de que queria aparecer em tudo. Jogar jogos da NBA, aparecer na MTV, aparecer nas festas de todas as celebridades, ir a todos os talkshows, etc... Era um chato! Parecia daquelas crianças que querem sempre brincar com o brinquedo novo dos outros meninos para chamar a atenção. Era, de facto, irritante e deve ser por isso que caiu no goto do mundo, excepto das miúdas. Ahhh... Que erro! Não são só as pitas que gostam dele... Não acreditam? Ora vejam, criaturas:

 
    Vaaaasco, Vasco... «Ele ensina-nos tanto que nós não conseguimos encontrar uma forma concreta daquilo que nós sentimos por ele e do que ele nos faz sentir todos os dias» - Não sei o que dizer. Vasco ama Justin Bieber. Vasco aprende muito com as músicas de Justin Bieber. Como? Não sei... Nem ele sabe! É inexplicável!! E também é inexplicável que o rapaz não tenha noção do ridículo. Há que saber o limite de ser fã e ser... vá... parvo. E a culpa disto, é claramente dos pais. Os pais é que deixaram que o filho crescesse sem os limites do ridículo no seu pequeno cérebro. E neste caso nota-se que o rapaz teve sempre muita liberdade e não teve pais a dizer "Não" pelo menos algumas vezes na vida. A repórter pergunta à mãe se ela permitia estas coisas e ela: «Tenho que permitir!» - diz com um sorriso atrapalhado. Tem, mãe do Vasco? Vou contar-lhe um segredo: Não tem! Han? Está surpresa? É normal... Toda a gente fica à primeira vez. A senhora é mãe, logo, pode impedir o seu pequenote de fazer coisas absurdas. Não digo que ir ao concerto do jovem Bieber seja um absurdo para o moço, mas há limites no que toca à sua entrega ao cantor. Por fim, a repórter pergunta à mãe o que acha daquilo tudo e afirma que já não tem idade para aquilo, a mãe do Vasco responde: «Pois não, mas também convem nueereecvim um bocadinho ptanto» - com isto, estamos esclarecidos.

    Mas há pior! Com a moça seguinte, o Vasco passa a ser um jovem que afinal não é assim tão apanhadito! Ora cá vai disto:


    Eu bem digo que os miúdos andam todos a bater mal da cabeça. 15 anos e já tem 6 tatuagens... Ainda por cima do Justin Bieber. Pais, eu sei que fazer o amor é divertido para caraças! Nisso estamos de acordo. Mas epá... usem protecção! É que um filho não é uma planta... Não é só tratar das necessidades fisiológicas e ver crescer... E a educação? Onde fica? É que a falta de educação não pode ser só associada a ser mal educado. Isto também é falta de educação. Falta alguém que lhe diga o que é correcto e o que não é correcto, senão ela nunca irá diferenciar uma coisa da outra. É necessário que passem valores aos vossos filhos para que eles tenham, no mínimo, sanidade mental. Depois os gostos já é com cada um. O que veste, o gosto musical, etc... Isso já não é convosco. Mas repreender quando o filho erra, é elementar. Até os animais selvagens fazem isso com as crias... Quem é que nunca viu um tamanduá a dar um raspanete ao filho por ele estar a fazer figura de parvo? Claro que toda a gente já viu!
    O repórter ia fazendo perguntas e afirmações com tom de quem estava algo perplexo e, realmente, não é para menos... Ela respondia sempre algo mais ridículo. No fundo, não a culpo muito. Não passa de uma adolescente com as suas paixões e loucuras estranhas. A culpa é mesmo - e volto a repetir - dos pais que deixaram fazer tudo.
    Mas já que o mal está feito... Rapariga das 6 tatuagens do Bieber, se me estiveres a ler... Anuncio-te a morte do hamster do Justin Bieber. Chamava-se Pac e faleceu no dia 13 de Março. Já deves saber tudo isto, obviamente... Mas era só para te dar um tema se estivesses a pensar numa 7ª tatuagem. Já que é para a desgraça, é para a desgraça...

    É triste viver num mundo em que os pais já pouco se importam com a vida dos filhos e só querem que eles sejam felizes fazendo tudo o que eles quiserem. Se alguém repreende, ouve-se sempre um "Oh... Deixa lá, coitadita..." e a vontade é sempre feita à criança. É importante dizer "Não". É importante restringir as novas tecnologias quando são muito novos. É importante educar. Acreditem que com isso, os vossos filhos não vão ser infelizes. O efeito até é o contrário. TM

Sorteio Champions League e Liga Europa


O sorteio da UEFA Champions League ditou nos quartos-de-final 4 confrontos todos eles bastante diferentes, mas (pelo menos) diferentes do ensaio, ao contrário do que aconteceu no ano passado. O sorteio das meias-finais, tal como na Europa League será separado e posterior, ao contrário dos últimos anos.

Quartos de Final CHAMPIONS LEAGUE:

Málaga - Borussia Dortmund
Real Madrid - Galatasaray
PSG - Barcelona
Bayern - Juventus

    O Málaga, equipa que eliminou o Porto jogará frente a outro outsider - Dortmund - o que significa que nas meias-finais teremos uma equipa que não seria esperada à partida. Pode ser um grande momento para a história do Borussia Dortmund, com a segunda mão em sua casa. Duas equipas diferentes, orientadas por duas doutrinas completamente distintas mas unidas por não terem nenhum peso nos seus ombros. O Dortmund é mais homogéneo mas nunca se sabe o que o Málaga de Isco, Joaquín e Saviola pode fazer.
    
    A equipa de Mourinho e CR7 teve, à priori, um sorteio favorável. Evitou grandes nomes e um jogo cabeça de cartaz mas o ambiente turco na segunda mão será infernal. Foi com alguma sorte que o Galatasaray chegou a esta fase (também por algum demérito do Schalke 04), Drogba e Sneijder ainda não acrescentaram valor mas Burak Yilmaz quererá bater-se com Ronaldo, sendo eles os dois melhores marcadores da competição. Impõe-se ao Real que jogue como nunca em casa e consiga resolver a eliminatória aí.
    
    O PSG ficou atrás do Porto na fase de grupos, mas ainda perdura em competição. Ibrahimovic terá a sua hipótese de vingança, e uma segunda mão em Camp Nou, perante um Barcelona que se motivou de forma europeia depois de "virar" o AC Milan do avesso. O Barça é favorito, mas este PSG é imprevisível - à imagem do seu melhor jogador - faltando no entanto alguma capacidade de sacrifício no meio-campo e riqueza táctica para suportar a posse de bola catalã. Lavezzi, Pastore, Lucas, Verratti e Ibra esperam todos por estes momentos para se mostrar ao mundo, mas muito terão que correr pela equipa. O alien catalão jogará, e por isso o Barcelona tem vantagem.
    
    Por fim, o grande jogo destes quartos-de-final. Juventus e Bayern defrontar-se-ão numa eliminatória que tem todos os ingredientes. Duas defesas incríveis (a da Juventus ligeiramente superior), dois grandes guarda-redes, duas disposições e abordagens distintas e tínhamos alertado, esperançadamente, que o jogo que tivesse a Juventus seria bastante interessante de acompanhar. Quem daqui sair vivo, ganhará claramente motivação acrescida para as meias e, num jogo destes, os dois guarda-redes podem desempenhar papel decisivo.



A Liga Europa não ditou nenhum jogo incrível (conseguir-se-ia se houvesse um par entre Lázio, Tottenham, Chelsea e Benfica) e a melhor eliminatória acaba por ser, antecipadamente, o Benfica-Newcastle. Em todo o caso, os dois gigantes ingleses, a matreirice italiana e a maior qualidade do plantel de Jorge Jesus podem e devem fazer estas quatro equipas chegar às meias-finais. Newcastle e Rubin Kazan deverão ser quem vai querer incomodar.

Quartos de Final EUROPA LEAGUE:

Chelsea - Rubin Kazan
Tottenham - Basel
Fenerbahçe - Lázio
Benfica - Newcastle


    Caso o Chelsea se aplique e esforce, pode facilmente resolver a eliminatória em Stamford Bridge. Há argumentos suficientes para esta equipa se bater com qualquer outra, mesmo tendo no banco um homem que tem dificultado a vida a si mesmo. O Rubin Kazan é uma equipa perigosa, com vários elementos interessantes, mas sem o peso a todos os níveis de Mata, Hazard, David Luiz e companhia. Depois de ganhar a Champions, o Chelsea precisa apenas de jogar o suficiente para estar nas 4 melhores equipas da Liga Europa.

    André Villas-Boas venceu a competição há dois anos atrás e é um dos favoritos para levantar a taça em Amesterdão. O Tottenham defronta um adversário interessante, mas bastante inferior a todos os níveis a este Tottenham. Gareth Bale volta e, como tal, a equipa voltará a ter um farol após o (quase) descalabro de Milão. Vertonghen, Walker, Dembelé, Sigurdsson, Lennon, Defoe e Adebayor parecem ingredientes suficientes para bater o jovem Sommer.

    Cuidado Lázio, atenção à primeira mão, mas trata dos turcos com o rigor e cinismo que se pede. Uma inteligente Lázio deverá seguir em frente e ser uma pedra no sapato para qualquer uma das equipas que lhe apareça em sorte nas meias-finais. Claro está que o Fenerbahçe tem alguns elementos imprevisíveis, mas é menos fiável e tacticamente mais fraco. E ainda há Libor Kozák, melhor marcador da Liga Europa, a querer dilatar a sua vantagem, apoiado por Hernanes, Candreva, Mauri e tantos outros elementos.

    Por fim, o Benfica. Um bom sorteio para o clube da Luz. Seria melhor apenas se o Benfica jogasse em casa a segunda mão e não em St. James Park, mas o Newcastle é uma equipa ao alcance do Benfica e que garantirá uma eliminatória interessante. Bons jogadores, bons ambientes, naquele que é o confronto mais antecipado destes quartos-de-final. Papiss Cissé é a estrela maior do Newcastle, mas há Cabaye, Ben Arfa, Sissoko, Marveaux, Gouffran. Caberá ao Benfica dar duas grandes noites europeias aos seus adeptos. No entanto, Jesus, cuidado com a gestão, porque o que deu para se fazer com o Bordéus é perigoso com uma equipa como a de Alan Pardew.

Balanço Oitavos-de-final Europa League


    Grande noite de Liga Europa, com especial destaque para o Inter-Tottenham. O jogo do Benfica foi também rico em golos, mas as emoções foram mais fortes em Stamford Bridge, onde o Chelsea eliminou o Steaua. A emoção foi de resto sinónimo de Inglaterra hoje, tendo Papiss Cissé decidido o destino do seu Newcastle aos 93 minutos de St. James Park. 
    No resto da Europa houve bons golos, duas equipas milionárias (Anzhi e Zenit) disseram adeus e destaque-se ainda Libor Kozák, avançado da Lázio e melhor marcador desta Liga Europa, que fez um hat-trick.



17:00
Rubin Kazan 2 – 0 Levante


    O Rubin Kazan confirmou o favoritismo (depois de ter empatado a zero em Espanha) e carimbou a passagem para os quartos-de-final, após 120 minutos de futebol. A equipa russa foi sempre mais afoita na procura do golo, mas Keylor Navas, guarda-redes costa-riquenho do Levante, estava em dia Sim. Os 90 minutos mostraram duas equipas relativamente inconsequentes, embora tenha sido o Rubin a ficar por mais vezes perto do golo – Rondón (por duas vezes), Natcho e Gökdeniz Karadeniz ameaçaram a baliza, mas o guarda-redes da equipa espanhola quis levar o jogo a prolongamento.
    Foi precisamente já na segunda parte do prolongamento que o Rubin, equipa perigosa no seu terreno e já com alguma bagagem europeia, se adiantou no marcador por intermédio do avançado Salomon Rondón. A festa russa avolumou-se dois minutos depois quando o guarda-redes Ryzhikov assistiu o recém-entrado Dyadyun para o 2-0 final. Não sendo um favorito, este Rubin Kazan tem elementos interessantes e uma equipa homogénea.

Homem do Jogo: Salomon Rondón (Rubin Kazan)
Jogador da Eliminatória: Natcho (Rubin Kazan)

17:00
Zenit 1 – 0 Basel


    Witsel, Hulk, adeus. Já o podemos dizer. O Basel viajou até à Rússia com a sua vantagem de dois golos e até foi o primeiro a criar perigo através do pequeno chileno Díaz. À passagem da meia hora, os senhores milhões responderam – canto do lado direito de Hulk, Lombaerts penteou a bola ao primeiro poste e Axel Witsel só teve que encostar com a sua farta cabeleira. Witsel que voltaria a criar perigo passados poucos minutos, tendo a expulsão de Díaz em cima do intervalo dado um ainda maior alento à equipa do petróleo.
    Na segunda parte houve muito mais Zenit, sobretudo a partir da entrada de Bystrov aos 73 minutos. O jogador russo rematou ao poste e depois ganhou um penalty bem assinalado aos 87 minutos. No entanto, Yann Sommer (tínhamos referido que poderia ser decisivo na eliminatória) defendeu a grande penalidade do capitão Roman Shirokov, gelou o já gelado ambiente de São Petersburgo e deixou o Zenit pelo caminho.

Homem do Jogo: Axel Witsel (Zenit)
Jogador da Eliminatória: Yann Sommer (Basel)

  
18:00
Inter 4 – 1 Tottenham


    O jogo grande dos oitavos-de-final foi, de facto, O Jogo grande (passo a redundância). Tínhamos dito que o Tottenham de Villas-Boas deveria ter o suficiente para evitar o pesadelo em Milão, mas a verdade é que o que se viu é que Gareth Bale faz a diferença entre o céu e a terra para a equipa de Londres.
O Inter entrou fortíssimo – Cassano ameaçou Friedel e minutos depois após um grande central de Palacio, fez o 1-0 de cabeça. O caudal ofensivo manteve-se e Rodrigo Palacio rematou de seguida à barra, e até ao intervalo o melhor lance deu-se na baliza contrária, desperdiçado por Adebayor.
    Começou a segunda parte e o Inter voltou a entrar forte – grande passe de Cambiasso e Palacio (quem mais!) fez o 2-0. Só faltava um para empatar tudo e Gallas, após um livre de Cassano, deu uma ajudinha. Claramente o jogo europeu mais épico do Internazionale desde a saída de Mourinho. E a história só não se escreveu de outra forma porque Cambiasso não conseguiu marcar já no tempo de compensação.
    Villas-Boas desejaria naquele momento poder lançar Bale, mas o Tottenham entrou bem no prolongamento. Handanovic (que já se tinha evidenciado no tempo regulamentar a defender um remate de Kyle Walker), defendeu um cabeceamento de Jan Vertonghen e um forte remate de Dembelé, no qual na recarga Emmanuel Adebayor marcou o golo que fez toda a diferença e que impunha ao Inter a necessidade de marcar mais 2 golos.
Aos 109 minutos Cassano cruzou e Ricky Alvaréz marcou de cabeça. A esperança tinha voltado, mas até ao fim a emoção baixou de tom.
    Grande jogo europeu, mas nos quartos o Tottenham terá Bale e, como se viu, o poder e confiança com o jogador galês aumenta consideravelmente. Daí, ser ele o jogador da eliminatória.

Homem do Jogo: Antonio Cassano (Inter)
Jogador da Eliminatória: Gareth Bale (Tottenham)


20:05
Fenerbahçe 1 – 1 Viktoria Plzen


    Uma equipa turca nos quartos da Champions (Galatasaray) e uma nos quartos da Liga Europa. O Fenerbahçe tinha ganho 1-0 em terras checas e, num estádio nu (de público) entrou forte e dominou toda a primeira parte. Ao som do futebol brasileiro de Cristian, os turcos foram ameaçando o golo, tanto pelo nº16 brasileiro, como por intermédio do avançado Moussa Sow. No entanto acabaria por ser o jovem de 19 anos Salih Uçan, nova coqueluche do clube, que desbloquearia o jogo aos 44 minutos. Assistência de Cristian, Horvath não aliviou a bola e o jovem turco pôs alguma justiça no marcador.
    A segunda parte foi do Plzen. Não ao nível do que apresentou em Nápoles, mas mostrando muita vontade, a equipa capitaneada pelo ex-Sporting Horváth tentou o golo pelos pés do capitão, empatou o jogo com um golo de Darida e Limbersky ainda rematou ao poste da baliza de Volkan Demirel (o António Raminhos turco e maçudo).
    Precisará de sorte no sorteio para sonhar com um lugar nas meias-finais, mas quando se chega à fase de 8 equipas, nunca se sabe.

Homem do Jogo: Salih Uçan (Fenerbahçe)
Jogador da Eliminatória: Cristian (Fenerbahçe)


20:05
Bordéus 2 – 3 Benfica


    O Benfica ganhou fora um jogo europeu em que apresentou uma linha defensiva de André Almeida, Roderick, Jardel e Melgarejo. JJ continua a confiar no seu plantel, viu-se afectado pelas lesões dos seus centrais titulares mas a equipa (e Cardozo) soube responder nos momentos certos.
    O Bordéus até entrou melhor, mas foi Salvio o primeiro a ter uma grande oportunidade – Carrasso fez questão de ser um desmancha-prazeres. 30 minutos, canto de Ola John e Jardel finalmente traduziu em golo uma das milhentas bolas que consegue ganhar nas alturas em bolas paradas ofensivas. Merecia este golo o 3º central benfiquista.
    Até ao intervalo nada a registar, sendo que aí e no começo da segunda parte era Nico Gaitán (hoje capitão do Benfica) que ia orquestrando o jogo. Já se sabe que Artur na Europa é sempre Rei Artur e fora sobretudo, mas aos 73 minutos nada podia fazer após o remate de Diabaté. Cardozo tinha entrado aos 66 e um minuto depois do golo francês, voltou a pôr o Benfica em vantagem após grande jogada colectiva. Ola John, Nico Gaitán a levantar a bola e Cardozo ainda tirou um adversário do caminho antes de rematar para o golo. Frieza e classe, parte I.
    No início do tempo de compensação Jardel, danado para os golos, acabou por fazer auto-golo, o que só serviu para espicaçar Takuara. Cardozo ganhou uma bola nas alturas, teve mais uma vez calma a desembaraçar-se do opositor e lá fez o 3-2 final. Frieza e classe, parte II.
    Grande jogo de Cardozo, bom jogo de Gaitán, bom esforço do Bordéus, mas claros sinais pela eliminatória toda de que o Benfica é muito superior a este Bordéus. O clube da Luz fica agora à espera do resultado do sorteio, sendo que Tottenham, Chelsea e Lázio seriam equipas preferíveis apenas nas meias-finais – Bale, o tridente criativo (Mata, Hazard e Óscar) e a sabedoria táctica da Lázio não estão fora do alcance do Benfica, mas era prioritário o Rubin Kazan, Fenerbahçe, Basel ou mesmo o Newcastle.

Homem do Jogo: Óscar Cardozo (Benfica)
Jogador da Eliminatória: Óscar Cardozo (Benfica)


20:05
Newcastle 1 – 0 Anzhi


    Grande noite em St. James Park. O Newcastle seguiu para os quartos e tem na Liga Europa o seu foco desta época, dando sequência à incrível Premier League que realizou na época passada.
    A primeira parte até teve mais Anzhi. A endinheirada equipa de leste procurou o golo, sempre com Samuel Eto’o envolvido nas jogadas. A segunda parte, essa, foi bem mais animada. Os 51 minutos Steven Taylor, o sempre esforçado central inglês, desperdiçou um lance de muito perigo na sequência de um livre do capitão Cabaye e, poucos minutos depois, um dos momentos determinantes do jogo. Uma imprudente entrada de Carcela-González valeu-lhe o segundo cartão amarelo e a partir daí, o poderio africano do Newcastle fez-se sentir. Tioté procurou o golo, Sissoko foi crescendo com o jogo, mas em cima dos 90 minutos Boussoufa ia gelando o ambiente em Inglaterra, mas o seu livre directo foi à barra.
    Aos 93 minutos, Marveaux colocou a bola na área e Papiss Demba Cissé cabeceou sem hipóteses, para os quartos-de-final da Liga Europa.

Homem do Jogo: Papiss Cissé (Newcastle)
Jogador da Eliminatória: Papiss Cissé (Newcaslte)


20:05
Lazio 3 – 1 Estugarda


Vénia a Libor Kozák. Tínhamos aconselhado Petkovic a colocar o ponta de lança checo a titular neste jogo, ele fê-lo e Kozák deu-lhe 3 golos.
A Lázio ganhara 2-0 em solo germânico e hoje já estava com o mesmo resultado aos oito minutos. Aos 6 minutos o lateral Radu cruzou tenso para o faro de golo de Kozák e, dois minutos volvidos, foi o “cérebro” Hernanes a descobrir Kozák para o bis.
O jogo não teve muita história e os lances de perigo voltaram com o golo alemão. Uma rara descoordenação defensiva fez com que Hajnal reduzisse, sendo que Bizzarri (já tinha entrado para o lugar do guardião Marchetti) ainda teve que fazer uma defesa apertada para travar o ímpeto do Estugarda. Foi só no fim que Libor Kozák voltou a dar um ar da sua graça, com um oportuno cabeceamento após bom cruzamento de Candreva.
A Lázio, equipa de Pereirinha, é uma equipa perigosa e, embora seja à priori inferior a Tottenham, Benfica e Chelsea poderá ser um quebra-cabeças para quem a apanhar. Seria interessante a todos os níveis um Lázio-Newcastle. Palavras finais para Kozák, melhor marcador isolado desta Liga Europa, e um jogador que pode muito bem transferir-se no próximo Verão. Premier League ou Bundesliga têm muitas equipas onde ele assentava bem.

Homem do Jogo: Libor Kozák (Lázio)
Jogador da Eliminatória: Libor Kozák (Lázio)


20:05
Chelsea 3 – 1 Steaua


Pois é, presidente do Steaua, mais valia termos ficado calados não era? Era. “Ah e tal, para o ano na Champions só o Barcelona e o Real é que nos param, o Chelsea é muito inferior a nós”. Pessoalmente, não simpatizo com o Chelsea. Não gosto de Abramovich, de Rafa Benítez, espero que Mourinho não volte para lá, e não gosto que alguns jogadores lá estejam (D. Luiz, Mata, Ramires, Hazard, entre outros). No entanto, era minimamente lógico que se o Chelsea se esforçasse um bocadinho e pusesse os criativos a jogar, a coisa corria bem. E correu.
Aos 12 minutos valeu Cech. Enorme defesa a evitar o fim da eliminatória logo ali. Pouco depois da meia hora, Ramires transportou jogo, serviu Mata e o mais inspirador jogador do Chelsea fez o primeiro do jogo. Em cima dos 45, o presidente do Steaua abriu a garrafa de champanhe – na sequência de um canto, Chiriches empatou. O Chelsea precisava então de dois golos e eles aconteceram. Livre indirecto de Hazard e o capitão John Terry relançou a eliminatória num bom cabeceamento. E o golo decisivo veio de quem? Foi mesmo o improvável El Niño. Mata pegou na bola, passou para a zona de Hazard que com um ligeiro toque de calcanhar/ simulação pôs Torres em posição de marcar. Até ao fim, Eden Hazard ainda ganhou um penalty (é-lhe tão fácil ganhar penalties, se quiser) só que decidiram dar a bola ao Fernando. E já se sabe, um golo é bom, mas dois já seria uma utopia. Portanto a bola foi à barra.
O Chelsea é imprevisível, e o melhor mais valia ser o sorteio ditar um Chelsea-Tottenham, para não se perder muito tempo nas viagens pelo continente e se manterem nas ilhas, e um gigante tombar logo, claro.

Homem do Jogo: Juan Mata (Chelsea)
Jogador da Eliminatória: Juan Mata (Chelsea)


Contagem final: no conjunto das duas competições mais importantes de clubes na Europa encontramos 3 equipas espanholas, 3 equipas inglesas, 2 equipas alemãs, 2 equipas italianas, 2 equipas turcas e uma equipa de Portugal, Rússia, França e Suiça.

O sorteio da Liga Europa é às 12h de amanhã, uma hora depois do sorteio dos quartos-de-final da Champions.

MP

13 de março de 2013

Europa League - Antevisão 2.ª mão Oitavos-de-Final


Amanhã a Europa continua a dar futebol aos olhos de quem mais gosta e vibra, na segunda competição europeia mais importante de clubes. A habitual liga Euro-poupanças está cada vez mais perto da altura em que as equipas deixam de gerir e poupar porque vêem o troféu próximo e nesta quinta-feira teremos alguns jogos que se perspectivam como bem interessantes.

17:00
Rubin Kazan – Levante
O empate a zero em Espanha na primeira mão deixou a eliminatória em aberto e o Rubin Kazan com a consciência de que tem o factor casa a seu favor. Sem Míchel e Ansaldi (jogadores importantes em cada uma das formações, expulsos no primeiro jogo), antevê-se um jogo entre duas equipas maduras – o Levante tem vários jogadores experientes e no apogeu da sua carreira, e o Rubin Kazan vai-se habituando às andanças europeias (precisamente na Liga Europa). Ligeiro favoritismo para a equipa de leste, que terá que ter em conta as movimentações de Ríos, Iborra, o sempre irrequieto Obafemi Martins e o capitão Barkero. Na equipa da casa, Salomon Rondón poderá desempenhar um papel importante na eliminatória, secundado por Gökdeniz Karadeniz, Natcho, Eremenko, Kasaev e companhia – a defesa do Rubin pode fazer a diferença nos confrontos individuais deste jogo.

17:00
Zenit – Basel
Witsel, Hulk, adeus. É o que qualquer benfiquista e portista acho que esperam dizer no final desta segunda mão. O Zenit reforçou-se, tem de facto um conjunto de bons jogadores mas cada vez menos tem uma equipa. Hulk não é respeitado e apoiado pela equipa, vê-se em campo, e acaba por individualmente fazer a diferença (foi assim com o Liverpool) e Witsel é um desperdício, e sê-lo-á por mais anos, naquele meio-campo. O Basel tem ganho tarimba europeia nos últimos anos, no ano passado eliminou o Manchester United da Champions League e a vitória por 2-0 na Suiça põe a equipa em boa posição para se qualificar. Não tem os nomes sonantes do Zenit (que não contará com Neto, que foi expulsou e fez um penalty na primeira mão) mas tem uma equipa sólida e com um grande guarda-redes na sua baliza – Yann Sommer poderá muito bem fazer perdurar a vantagem do Basel, e daqui a poucos anos estaremos a vê-lo num clube de maior dimensão – cheira a Premier League.

18:00
Inter – Tottenham
E às seis da tarde, hora portuguesa, o Inter procurará um milagre contra um Tottenham sem Gareth Bale. Na Premier League deste ano, nos 4 jogos que Bale não jogou o Tottenham perdeu dois (em casa com o Chelsea e fora com o Everton), mas o brilhante trabalho de André Villas-Boas com a equipa ideal para si deverá ser suficiente para evitar um pesadelo em Itália. O Tottenham tem equipa para se bater novamente com o Inter, pese embora Guarín, Palacio e companhia queiram pelo menos ganhar. O Inter poderá até ganhar, mas é difícil crer que o Tottenham não marcará – Defoe está a regressar à sua boa forma, Vertonghen tem-se exibido ao nível dos melhores centrais do momento e Sigurdsson vai progressivamente ganhando confiança. Ainda há Moussa Dembelé, que cresce ao ritmo do crescimento desta equipa do Norte de Londres. Espera-se o Tottenham nos quartos e julgo que pode ser considerado “a equipa a evitar”, nomeadamente para o Benfica.

20:05
Fenerbahçe – Viktoria Plzen
A vitória turca fora na primeira mão ajudou o Fenerbahçe a estar mais próximo dos quartos. O atemorizador ambiente caseiro joga a seu favor, mas a verdade é que este Plzen não tem pressão e já surpreendeu em Nápoles. O Fenerbahçe reúne um conjunto de jogadores curioso, equilibrando alguns experientes jogadores turcos com jogadores que podiam ter dado um melhor rumo às suas carreiras – casos de Kuyt e Sow. O Plzen, com Duris, Bakos, Kolar, Horvath (sim, o Horvath do Sporting) e Rajtoral tentará fazer o que fez em solo italiano na eliminatória anterior, mas o Fenerbahçe é favorito para seguir em frente.

20:05
Bordéus – Benfica
A meu ver, Jorge Jesus devia ter lançado um melhor onze na primeira mão, resolvido a coisa cedo e gerido depois. Uma vez que era mais fácil ter elementos menos rodados frente ao Gil em casa do que em Guimarães. A verdade incontornável é que na primeira mão o Benfica fez um jogo fraco, sem dinâmica e no qual valeu o golo de Rodrigo (a meias com Carrasso). Ficou claro que este Bordéus é muito inferior ao potencial do Benfica, e é possível que a vitória por 5-0 tenha aumentado a moral encarnada, mas veremos como Jesus dispõe a equipa em campo – provavelmente André Almeida e Rodrigo terão minutos. Com uma gestão ponderada, o Benfica pode voltar a vencer, e desta vez felizmente já tem Nemanja Matic (que diferença faz!). Jogar Lima e Salvio de início (o que talvez não aconteça) seria sempre mais seguro, ainda para mais considerando que Garay não poderá jogar e Luisão também não. Roderick (preferia Miguel Vítor) e Jardel não são uma dupla 100% segura, portanto caberá a quem estiver à frente facilitar a coisa para o Benfica passar. Porque, convenhamos, o Benfica é uma das equipas favoritas nesta Liga Europa. Tudo o que não seja o Tottenham (ou o Chelsea, mas mesmo aí não é linear quem venceria, pela imprevisibilidade da equipa de Stamford Bridge) é um bom sorteio para o clube da Luz na próxima fase, mas primeiro há que eliminar o Bordéus, acredita-se com uma boa falange de apoio portuguesa lá.

20:05
Newcastle – Anzhi
Pode-se considerar um dos jogos mais curiosos desta segunda mão dos oitavos. Newcastle e Anzhi empataram 0-0 na primeira mão e espera-se que decidam jogar à bola nesta segunda mão. A equipa inglesa poderá contar com Papiss Cissé (que não pôde jogar no primeiro jogo por estar doente) e honestamente acredito que St. James Park acabe em festa. Cabaye e Sissoko estão em grande forma e se a defesa fizer bem o seu trabalho, o Newcastle (embora longe do nível do ano passado) tem tudo para marcar presença entre as 8 equipas finais da Liga Europa. Claro que quem tem Eto’o, Willian, Lacina Traoré (será aposta a titular?), Jucilei e Carcela pode mudar o jogo a qualquer momento. Jogo interessante e que pode ganhar maior interesse se “abrir” cedo.

20:05
Lazio – Estugarda
Um pouco à imagem do Tottenham, a Lazio resolveu a coisa na primeira mão. Ederson e Onazi marcaram e o Estugarda, que não tem equipa para esta fase ou pelo menos para a Lazio, praticamente hipotecou as chances de sonhar com um lugar nos quartos. A Lazio tem na defesa uma das suas forças, secundada por um meio-campo operário e em alta rotação. Era uma boa opção por parte de Petkovic dar a titularidade ao checo Libor Kozák – com os golos que está a marcar, merece oportunidade a titular na Europa.

20:05
Chelsea – Steaua
O presidente do Steaua gozou com o Chelsea e vamos ver quais as consequências. Disse o senhor inclusive que, para o ano, só Barcelona e Real os poderiam parar na Champions League. Sim, a demagogia instalada numa cabeça romena. A verdade é que o Chelsea perdeu por 1-0 na Roménia mas, caso Benítez não seja parvo e coloque a melhor equipa a jogar, o Chelsea tem todas as condições para seguir em frente. Quem tem Mata, Hazard e Óscar e os apanha em dia sim, pode fazer qualquer coisa. É jogo para David Luiz estar na defesa, Ramires estar no meio-campo com Mikel a fechar as portas e “soltar” os criativos e já agora, que jogue Demba Ba. O Chelsea é sempre imprevisível mas, a apostar, apostava na equipa inglesa.

MP

Balanço Oitavos-de-final Champions League


5 Março 19:45
Manchester United 1 – 2 Real Madrid

    E o confronto mais aguardado dois oitavos-de-final acabou decidido pela ilustre estrela turca… Cuneyt Cakir. O árbitro cujo nome, traduzido de urdu para a língua de Camões significa “Expulsei-te Nani”. Não, não significa. Num jogo em que Mourinho teve a UEFA do seu lado (como várias vezes não teve, em outras edições), o Real seguiu em frente rumo ao objectivo Wembley. Honestamente, um jogo em que os portugueses foram gentlemen em terras de Sir Alex Ferguson.
    Após uma primeira parte disputada, com algum nervosismo nos pés e muitos lances perdidos, foi no recomeço do jogo que o United começou a escrever a história do jogo. Após uma transição, Nani reaproveitou uma bola, cruzou dentro de área e Sergio Ramos fez auto-golo. Parecia que o “Teatro dos Sonhos” ia viver uma noite para recordar. Mas poucos minutos depois o sonho ganhou tons de cinzento. Nani disputou uma bola com Arbeloa, e sem intenção atingiu o lateral espanhol no dorso. Aceitava-se o amarelo pela imprudência, mas nunca mais do que isso. E a partir daí, só deu Real? Mentira. Mourinho colocou Modric (que a par com a expulsão de Nani, virou o jogo) e o croata marcou um grande golo. Com a eliminatória empatada, coube a Cristiano Ronaldo fazer sofrer Manchester 3 minutos depois. Cruzamento de Higuaín, remate de Ronaldo e zero festejos. A partir daí, o United tentou de todas as formas, mas encontrou sempre Diego Lopéz inspiradíssimo – claramente o homem do jogo, porque até aí já tinha feito enormes defesas.
    O final monstrou um Mourinho maduro e correcto quando tem que o ser, a dizer que a pior equipa passou e que o Manchester não merecia perder assim, com a expulsão de Nani a condicionar. Claramente a não querer perder o copo de vinho com Sir Alex. Como extra, van Persie voltou a acusar a pressão dum jogo gigante (sem ser na Premier League, vimo-lo falhar no Euro 2012 e nos dois jogos com o Real não foi o jogador que pode ser) e Varane evidenciou mais uma vez que é talhado para jogos grandes e que o seu futuro é inimaginável. Por fim, vénia a Ryan Giggs, pelo jogo 1000.

Homem do Jogo: Diego López (Real Madrid)
Jogador da Eliminatória: Cristiano Ronaldo (Real Madrid)

5 Março 19:45
Borussia Dortmund 3 – 0 Shakhtar Donetsk

    No outro jogo do primeiro dia, o Dortmund evidenciou tudo aquilo que o caracteriza na actualidade e que o fez campeão por dois anos seguidos na Alemanha. Klöpp colocou a melhor equipa que podia em campo (Hummels foi baixa, e este Nuri Sahin ainda não é o que Dortmund viu partir há pouco tempo) e, tranquilamente, colocou-se nos quartos-de-final.
    O Dortmund assumiu o jogo, foi tendo mais bola e tentando criar lances, mas foi apenas à passagem da meia hora que abriu o marcador – canto de Mario Götze e Felipe Santana ganhou nas alturas a toda a gente e cabeceou de forma fulgurante para as redes de Pyatov. E o 2-0 pouco depois surgiu – transição iniciada por Reus, Lewandowski descaiu para a direita, foi servido pelo alemão e cruzou para Götze fazer calmamente o segundo golo germânico. Na segunda parte a equipa de Lucescu surgiu mais acutilante, tendo o incansável Srna e o desequilibrador Douglas Costa (que só entrou ao intervalo) procurado mudar o rumo dos acontecimentos, mas Weidenfeller tratou de deixar a sua baliza intocável.
    A ofensiva alemã matou o jogo num golo de Kuba, em jogada com Gundögan, e após contornar o guarda-redes ucraniano. Até ao fim, os ucranianos tentaram lutar por um golo de honra, Grosskreutz quase marcou pelo Dortmund e Reus quase fez um grande golo depois de passar por tudo e todos. O remate no entanto, saiu torto. Merecia o golo, o rapaz Marco. Um jogo em que o resultado falou por si e, agora, cabe ao sorteio dizer que aspirações pode o Dortmund ter nesta Champions League.

Homem do Jogo: Mario Götze (Borussia Dortmund)
Jogador da Eliminatória: Mario Götze (Borussia Dortmund)   


6 Março 19:45
Paris Saint-Germain 1 – 1 Valência

     Esperava-se PSG, e foi PSG. Para não gastar muitas linhas, apraz dizer que foi o pior jogo da 2ª mão dos oitavos-de-final. Esperava-se a qualificação da equipa parisiense e já se sabia que o jogo não ia contar com o melhor jogador dos 2 plantéis: Zlatan Ibrahimovic.
    Entrou melhor o Valência e teve melhor na primeira, embora num jogo desinteressante e com a falta do ritmo alucinante ou tacticamente rico dos grandes momentos europeus. Soldado, Albelda e Tino Costa procuraram marcar a Sirigu, mas não o conseguiram e foi só o brasileiro Jonas, já na segunda parte, que colocou algum interesse no jogo após um bom remate à entrada da área. Mas se a eliminatória podia ser ali relançada, o melhor jogador da primeira mão surgiu 11 minutos depois e acabou com o jogo de vez – Ezequiel Lavezzi, após um lance furtuito do luso-francês Kevin Gameiro, lá conseguiu marcar, à segunda tentativa consecutiva.
    Até ao fim, Ancelotti fechou as portas do Parque dos Príncipes e o PSG lá seguiu para os quartos onde, exceptuando se lhe calhar em sorte o Galatasaray, terá que melhorar muito os índices exibicionais. Mas para isso também existe Ibrahimovic. O Dinheiro Muda o Futebol – Parte I

Homem do Jogo: Jonas (Valência)
Jogador da Eliminatória: Ezequiel Lavezzi (PSG)


6 Março 19:45
Juventus 2 – 0 Celtic

     Diz-se que a história é escrita pelos vencedores, e neste caso faz sentido que sim. A Juve vinha com uma vantagem de 3-0 fora e foi tacticamente e temporalmente eficaz. Tendo sempre em Buffon um porto seguro perante qualquer ameaça que o Celtic procurou criar – por Commons, Hooper ou Ledley -, a vecchia signora adiantou-se no marcador a meio da primeira parte. Barzagli recuperou a bola, lançou Quagliarella e, na recarga do remate deste, Alessandro Matri marcou. Matri que é uma espécie de Falcao de pechisbeque. E como houve pouca história, a Juve lá foi tentando serenamente dilatar a vantagem, embora contra um Celtic combativo e que merecia um golito neste segundo jogo, pelo esforço. Vidal ameaçou Forster por duas vezes e, pouco antes dos 70 minutos, servido exemplarmente por Pirlo, acelerou e cruzou para Quagliarella fechar as contas do jogo. Tivesse Claudio Marchisio jogado neste segundo jogo e era muito mais fácil não eleger Matri enquanto destaque da eliminatória.
    Agregado de 5-0, a prova do desnível entre as duas equipas e mais uma exibição que demonstra que será interessante assistir ao jogo dos quartos de final que incluir a equipa de Antonio Conte.

Homem do Jogo: Arturo Vidal (Juventus)
Jogador da Eliminatória: Alessandro Matri (Juventus)


12 Março 19:45
Schalke 04 2 – 3 Galatasaray

     À priori esperava-se um jogo com golos, pelo encaixe das duas equipas, sendo que a confirmada baixa de Klaus-Jan Huntelaar podia fazer antever maior dificuldade para o Schalke seguir em frente tal como os seus irmãos germânicos. O jogo começou com o finlandês Pukki no lugar da estrela do Schalke e Drogba e Michel Bastos (emprestado pelo Lyon) fizeram os primeiros avisos. O golo chegaria numa bola parada. Farfán bateu o canto, nem o capitão Höwedes nem Matip conseguiram materializar em golo, e então surgiu o remate de Neustädter a pôr o estádio em delírio. A vantagem durou até aos 37 minutos, quando Altintop (ex-Schalke) após um livro marcado de forma curta, rematou a 35 metros da baliza fazendo um grande golo. Eliminatória empatada. Antes do intervalo, o inevitável Yilmaz colocou o Gala em boa posição. Erros do Schalke, conjugados com a luta de Riera e depois Yilmaz fizeram com que o avançado turco igualasse CR7 como melhor marcador da Champions.
    A segunda parte trouxe um Schalke decidido a mudar o rumo dos acontecimentos, e um Galatasaray fechado sobre si mesmo. Draxler foi espalhando magia, e o Schalke lá empatou de novo o jogo. Depois de um remate à barra, Uchida encontrou calmamente Michel Bastos para um remate simples do brasileiro. Até ao fim, o Schalke foi tentando, teve uma grande penalidade por marcar só que, após um remate de M. Bastos à figura de Muslera, quem não marcou… sofreu. Contra-ataque rápido em cima do apito final, bola em Inan e este isolou Bulut para o golo, à 2ª.
    Supostamente, parece difícil que este Galatasaray ultrapasse alguém e chegue às meias. Já agora, recorde-se que o Braga venceu por 2-0 na Turquia.

Homem do Jogo: Hamit Altintop (Galatasaray)
Jogador da Eliminatória: Burak Yilmaz (Galatasaray)


12 Março 19:45
Barcelona 4 – 0 AC Milan

    Iniesta tinha dito após a primeira mão que punha as mãos no fogo em como o Barça ia eliminar o AC Milan. E não se queimou, o pequeno génio espanhol. Pessoalmente acreditava na qualificação do Milan, pese embora achasse que o caso podia mudar de figura perante a titularidade de Pedro e sobretudo um golo cedo marcado pela equipa da Catalunha.
    E o Barcelona lá fez questão de nos recordar de algo: eles têm Messi. E quem tem Messi vê a bola entrar na baliza daquela forma aos 5 minutos de jogo. O Milan foi abalado cedo, o Barça catalisou-se, e Allegri montou mal a equipa. Os milaneses deram muito espaço, estiveram mal nos confrontos individuais e jogaram mal em antecipação. Tacticamente muito abaixo do esperado, e com algumas opções para o onze inicial que até não seriam se calhar as mais desejáveis. O Barça engatou, e foi por ali a fora. Iniesta fez um grande remate que Abbiati desviou para a barra, e o jogo ia funcionando ao ritmo de Iniesta (que jogo enorme) e Xavi. Aos 38 minutos, o jovem Niang podia ter mudado tudo, num lance isolado frente a Valdés, no qual rematou ao poste. Do outro lado, Iniesta jogou para Messi e o argentino empatou a eliminatória num forte remate.
    O Barcelona voltou forte no recomeço do jogo, mas menos acutilante e Xavi assistiu Villa para o regresso do avançado espanhol aos momentos importantes. O Milan tentou reagir de alguma forma e lutar, colocou Robinho, Muntari (era preferível ter sido titular ao invés de Niang) e fez Bojan regressar à sua casa, mas não conseguindo concretizar o pouco que criou viu apenas uma enorme cavalgada do pequenino Jordi Alba fechar o jogo de vez, já no tempo de compensação. O Barça mereceu claramente, o Milan desiludiu e a dupla Iniesta/ Messi, nestes dias, mostra tudo o que vale.

Homem do Jogo: Lionel Messi (Barcelona)
Jogador da Eliminatória: Andrés Iniesta (Barcelona)


13 Março 19:45
Málaga 2 – 0 Porto

    Em Málaga, Moutinho e Mangala sempre jogaram. E Vítor Pereira deixou James no banco. No Málaga, Pellegrini tinha os seus melhores jogadores em campo – Isco, Saviola, Júlio Baptista, Joaquín, Iturra (futuro jogador do Liverpool) e afins. A primeira parte deu mais bola ao Porto, mas os melhores lances ao Málaga. O Porto só apareceu quando Moutinho aparecia e Jackson nunca foi devidamente apoiado. Já o Málaga ameaçou a baliza de Hélton através de um forte remate de Antunes, viu um golo mal anulado ao ex-benfiquista Saviola e, em cima do final da primeira parte, Francisco Alarcón – Isco – decidiu empatar a coisa. Grande golo do jovem promissor espanhol.
    Para a segunda parte Vítor Pereira percebeu que devia ter colocado o James de início mas para colocar o nº10 em campo… retirou Moutinho. Já havia errado no onze inicial, e depois não teve a sorte uma vez que supostamente Moutinho saiu lesionado. E depois foi Defour a matar o jogo. Joaquín ultrapassou-o com um grande drible e Defour viu o segundo amarelo. Contra 10, o Málaga ficou ainda mais motivado e foi fazendo circular a bola. Saviola voltou a ameaçar o golo, e depois VP substituiu Varela por Maicon. Pellegrini mexeu na equipa aos 74min trocando Júlio Baptista por Roque Santa Cruz e o avançado paraguaio decidiu a eliminatória 3 minutos depois. Canto de Isco e Santa Cruz nas alturas, a ganhar a toda a gente. Até ao fim, Maicon ainda viu um golo bem anulado na sequência de um livre indirecto, e o Málaga poderia ter dilatado a vantagem não fosse Isco querer a todo o custo o 2º golo.
    Muito pouco Porto, muito pouco treinador no banco do Porto. O Málaga foi mais esforçado, teve um treinador que soube abordar e reagir ao jogo (nunca pensei elogiar muito Pellegrini) e os jogadores ajudaram claro – enorme jogo de Iturra em alta rotação no meio-campo, grandes exibições de Jesus Gámez, Weligton e Joaquín e claro, Isco foi o destaque maior do jogo. Fica assim afastada a única equipa portuguesa presente na Champions League. PS: O Zorro (Antonio Banderas) é do Málaga.

Homem do Jogo: Isco (Málaga)
Jogador da Eliminatória: Manuel Iturra (Málaga)


13 Março 19:45
Bayern Munique 0 – 2 Arsenal

    Partida, largada, 0-1! Foi assim que começou o jogo na Baviera. O Arsenal começou sem Wilshere (novamente lesionado) e demorou apenas 3 minutos a marcar, possibilitando a si próprio crer num milagre. Walcott isolou-se na direita, aproveitando uma escorregadela de Alaba e cruzou tenso para Giroud encostar. No entanto, daí até ao intervalo, não houve mais perigo por parte do Arsenal. A defensiva do Bayern acertou marcações e não cometeu mais erros, e ofensivamente a futura equipa de Guardiola foi pressionando e, sempre com Robben inconformado, procurou o golo pelos pés de Kroos e Müller. Mas até à segunda parte, assim a coisa se manteve.
    A segunda parte trouxe um jogo fechado, no qual Robben continuava a ser o pêndulo ofensivo do Bayern, ajudado por Kroos e Javi Martínez. O Arsenal confiava a construção de jogo a Rosicky e Cazorla, e talvez tenha sido negativo retirar Walcott de jogo aos 72 minutos. Isto porque aos 86 minutos Koscielny, o central francês, marcou na sequência de um canto. Consequência: Neuer segurou a bola com tudo o que tinha para ganhar tempo e os jogadores do Arsenal fizeram “alegremente” um moche em cima dele. Com a eliminatória empatada em golos, o Arsenal precisava de ainda mais um golo, por ter sofrido 3 em casa. No entanto, o Bayern geriu e seguiu em frente depois de uma exibição onde mostrou uma cara completamente diferente da 1ª mão. O Arsenal é tradicionalmente uma equipa que é difícil não gostar, embora sempre inocente e perseguida pelo azar ou outras vicissitudes. Parabéns pelo esforço.

Homem do Jogo: Tomas Rosicky (Arsenal)
Jogador da Eliminatória: Toni Kroos (Bayern Munique)


O sorteio dos oitavos e meias-finais será na próximo sexta-feira, 15 de Março. MP