Revisão: The Leftovers (3ª Temporada)

No seu adeus, a série da HBO manteve a brutal sensibilidade a colocar e tratar emoções no ecrã, e a inteligência de saber pisar a fé e o cepticismo, o bizarro e o profundo. Com um storytelling maduro, ambicioso e refinado, Lindelof e Perrotta deixam um derradeiro desafio aos espectadores: conseguiremos nós, desta vez nós, lidar com uma perda (de uma série) assim?

Revisão: Master of None (2ª Temporada)

É uma das peças televisivas com mais personalidade, liberdade, ousadia e autenticidade dos últimos anos, e a grande surpresa de 2017 pelo seu brutal amadurecimento. Aziz Ansari faz um ensaio sobre relações para sobre Solidão, e será difícil não se apaixonarem por Alessandra Mastronardi.

Balanço Final - Liga NOS 2016/ 17

O primeiro tetra da História do Benfica, o 36 dos encarnados, ficou marcado por um Porto incapaz de aproveitar deslizes e por um Sporting muito abaixo da época anterior. Cresceu o Vit. Guimarães, desiludiu o Braga, surpreendeu o Feirense.

Balanço Final - Premier League 2016/ 17

Depois do ano do milagre e do Impossível, a normalidade regressou. Os favoritos voltaram ao topo, e entre Guardiola e Mourinho quem ganhou foi... Antonio Conte.

Prémios BPF Liga NOS 2016/ 17

Vejam quem foram os melhores do ano para o Barba Por Fazer. O organizador de jogo do Benfica, um guarda-redes que deu pontos, um holandês que rivalizou com Messi e um Treinador do Ano inesperado estão entre as escolhas.

27 de outubro de 2012

Os da Pesada

BA-TA-TA MOH!
    Olá, humanos! Deu-me na tola para voltar a escrever sobre temas que não lembram e não interessam a ninguém. Hoje apetece-me escrever sobre um "grupo" assustador... Os pais não os querem como amigos dos filhos... Seres maldosos e vagabundos que (pensam eles) dominam a escola... Os da pesada!
    Quem são os da pesada? Não sei. Não sei quem são e, portanto, não sei descrevê-los. Só sei que não são aqueles que a Disney faz querer que são os da pesada. Normalmente nos filmes da Disney e nos filmes para crianças, os maus da escola são uns indivíduos todos vestidos de preto, com uma crista, cheios de piercings, olhos pintados de preto e assim... Quero esclarecer os pais que estejam a ler isto - esses não são "Os da pesada". Normalmente esses só se vestem assim ou porque gostam do estilo (e aí gostos não se discutem) ou porque são os ditos "freaks"... Também podem ser "freaks" que gostam do estilo... Há um pouco de tudo na sociedade.

    E após dois parágrafos cheguei à conclusão que o tema foi para o galheiro... Mas eis que retiro o trunfo da minha manga! Não sei quem são os da pesada, mas sei quem são os que fingem ser da pesada! É verdade... A maioria tem menos de 14 anos e, se não tiverem cuidado, os vossos filhos irão todos pensar que são da pesada.
    Como é que podem evitar? Não deem internet prematuramente aos vossos filhos, saibam dizer "Não" e talvez dando uma galheta ou outra quando eles começarem a fazer estalidos com os lábios em jeito de reprovação (esse é um dos primeiros sintomas que indiciam que o seu filho esteja a ficar, como se diz em bom português, com a mania que é esperto).

    Se ainda estiverem com dúvidas do que é ou se pensarem que não é assim tão mau... Eu dou-vos exemplos de em que é que o vosso filho se pode tornar.



    Ora aqui está... O Mc Rapper Bruno descobriu o Youtube, sentiu que tinha talento e pumba cá vai disto! Mc Rapper Bruno necessitou apenas de toda uma esbelta indumentária, de uma lanterna para poder enviar seus vocais, de uma batida que se faz naqueles microfones de brincar, cheios de cores, que antigamente se compravam na loja dos trezentos e de palavras românticas como: «Vamos começar outra vez. Quero te ver feliz. Beijar a tua boca. Quero te pôr louca. Por mim. Para depois. Te dar um pudim. Feito por mim.» - Han? Muita bom...
    «Ah e tal... Mas nota-se que o rapaz tem um parafuso a menos...» - À partida diria que sim... Contudo, verão mais à frente que é difícil distinguir quem tem ou não um parafuso a menos. Eu confesso que ainda não consegui distinguir quem tem em falta o Teco ou é só um mero parvo.



    «'Bora girls, zona controlada. Vocês gostam, dou-vos batucada. Vem, vem girl. Beija dama. Ya? Ya tão, vá sem drama!"» - Estão a ver? Agora qual dos dois é que não tem o Teco? Eu bem vos avisei... É que o Mc Rapper Bruno eu entendi! Eu entendi que ele queria começar outra vez... Beijar-lhe a boca, deixá-la louca por ele para depois lhe dar um pudim feito por ele! É legítimo e eu entendi... Neste moço não consigo entender o dialecto. É que para além das palavras não fazerem sentido como um todo, ele ainda faz questão de as pronunciar de uma forma... vá... estranha e parva. Depois tem sempre uma cara de quem pensa: «Tenho imenso estilo!» - Na verdade, as pessoas normais classificam o seu "imenso estilo" como azeiteiro ou simplesmente "boneco". Mas há mais... Neste vídeo  nota-se que Francisco Moreira sente que tem um corpo invejável... Senão não o exibia com tanta naturalidade. Nos comentários ao vídeo, as jovens portuguesas denominadas "pitas" vão ao céu com os abdominais de Francisco. Terá Francisco feito muito exercício para ficar assim? Quiçá... Convém é comer. Já vi crias de antílopes no BBC Vida Selvagem mais massudas que o jovem Francisco.



    E é por causa de exemplos como o de Francisco que surgem estes... Miúdos mais novos que se sentem influenciados pelos videos dos "músicos" que vêem na net e pensam que ser mau... é fixe! Então para serem fixes têm que se comportar como verdadeiros anormais, não estejamos aqui com meias palavras. Jp Gang necessitou de uma foto sua com ar de mau (pelo menos no seu entender), de uma música que de tão irritante deverá ter vindo do jogo "World Hardest Game" e de dizer cocó. Muito cocó. Jp Gang roubou muitas coisas na sua música e fumou muitos charutos. Jp Gang precisa das galhetas que lá em cima referi.



    E aqui está outro exemplo de internet dada precocemente... Irís postou este seu vídeo na rede social Ask.Fm. O que é o Ask.Fm? Segundo percebi é uma rede social onde pessoas anónimas ou não, fazem perguntas no mural de um indivíduo e esse indivíduo responde por escrita ou por um vídeo... Estúpido, não é? Mas o que é estúpido tem sucesso na pequenada. Enquanto que na minha altura se usava o Hi5 onde se escrevia «Sou bué de fixe, sou amigo do amigo e gosto de jogar à bola», agora com o Ask.Fm há uma exposição gigantesca da estupidez (como a que existe, por vezes, neste blog). A Íris tem conta no Ask.Fm. A Íris também sofre do facto de pensar que é má e julga isso fixe. A Íris viveu um drama. A Íris deu um aperto a uma colega sua e ela foi-lhe pedir uma batata no Shopping. Mas está tudo maluco ou quê? Então vai-lhe pedir uma batata assim? No Shopping? Depois de a Íris a ter desculpado? Mas andamos aqui a mangar com a tropa, ou quê? Agora a sério... Quando ficam contentes ao ver o vosso filho dentro do quarto, colado ao computador ao invés de estar na rua... É muito provável que esteja a fazer estas figuras. Não sei o que é pior... Se andar a partir vidros da casa do vizinho a jogar à bola ou tornar-se num miúdo com a mania que é da pesada.

    E é isto, meus amigos. Internet a mais e ainda por cima precocemente anda a tirar o Tico e o Teco aos vossos filhos. Se ficaram com receio de que os vossos filhos se transformem nestes seres, já sabem o que fazer (naturalmente que existem formas mais eficazes, mas eu não sou nenhum especialista na matéria. Sou só um palerma). Se não se importarem... Rezem para que o vosso filho seja um sucesso na música para menores de 14. Caso contrário... é difícil dar a volta... Ainda por cima os Morangos com Açúcar acabaram... Torna-se tudo muito mais difícil... TM

13 de outubro de 2012

Garganta Afinada. Top 20 ( nº 79 )


    Olhós gaaajos! Então meus grandes malucos? Estavam com saudades dos Tops do Garganta Afinada? Nós estávamos... E olha... Vai, não vai e fizemos mesmo um... Assim mesmo à maluca! E quem acompanhava esta rubrica já deu conta duma novidade... É verdade... Agora comunicamos convosco no Garganta Afinada! Quem diria? Provavelmente ninguém. Fartámo-nos de vos mandar músicas sem vos dirigir nem um "Olá". A partir de hoje, falaremos co'a porra! Provavelmente não será coisa interessante, mas falaremos.
    Este pedaço de escrita esplendorosa servirá para fazer pequenos reparos nas músicas que escolhemos. Hoje damos especial destaque a Fanny e à sua Vida Louca com o sr. Canuco. Mentira, reformulemos. Hoje damos especial destaque a James Arthur, um dos potenciais vencedores do X Factor UK do recorrente ano. O britânico destacou-se no concurso musical e deixou-nos completamente rendidos com a sua entrega emocional às músicas que interpreta. Quem também está a despontar no mesmo programa é Lucy Spraggan, brilhante autora e compositora de canções, mas que não parece encaixar a 100% no programa caso a comercializem. Também damos destaque a um dos grandes artistas nacionais (Sam the Kid) que, na nossa opinião, não tem o seu devido valor reconhecido em Portugal devido ao seu estilo musical (Hip-Hop) ser um pouco desvalorizado no nosso país. Tendo em conta o artista que é, merecia muito mais. Há pelo meio o single de lançamento do último vencedor do American Idol - Philip Phillips e por sua vez Ellie Goulding largou um pouco o seu lado Pop e explorou outros registos como o Indie Pop que claramente lhe assenta bem melhor. Ainda destacamos a finalmente "chegada oficial" de Filipe Pinto ao mundo da música com o seu grande álbum "Cerne" que recomendamos seriamente. Outro fruto do programa Idolos é Carolina Deslandes. A jovem revela uma promissora carreira. No miolo deste pão todo ainda há a música de Adele para o próximo 007, mais uma do polvo musical Noiserv e no ramo mais alto da árvore, os Mumford & Sons.



1. Mumford & Sons - Babel
2. James Arthur - Superman

Tenho a Barba Por Fazer e estes Filmes Deves Ver


Denominador comum aos dois filmes de hoje: Joseph Gordon-Levitt. Um dos actores da moda em Hollywood continua a ser convidado e saber escolher os filmes certos. Desde 500 Days of Summer, já o vimos em Hesher, Inception, 50/50 e agora no final (?) duma das sagas mais badaladas dos últimos anos e num inovador filme de ficção científica, que podia muito bem ser nomeado a Melhor Argumento Original nos próximos Óscares, mas que não será. Joseph Gordon-Levitt construiu uma reputação tão sólida que já conseguiu em 2013 ter um filme realizado e produzido por si em que é co-protagonista com... Scarlett Johansson. É um tipo esperto o Josefo Gordo-Levita.

Looper

Realizador: Rian Johnson
Argumento: Rian Johnson
Elenco: Joseph Gordon-Levitt, Bruce Willis, Emily Blunt, Jeff Daniels, Piper Perabo, Pierce Gagnon
Classificação IMDb: 8.1

Ponto prévio: A cara do Joseph Gordon-Levitt está estranha sim, o que lhe fizeram aos olhos deve-se apenas e só a ficar parecido com o Bruce Willis. Ficou parecido? Talvez. Ficou estranho? Sim. "Looper - Reflexo Assassino", como é designado em Portugal, parte duma ideia inovadora e ainda nunca antes explorada no cinema. A acção passa-se em 2044, nuns EUA degradados social e economicamente, e nos quais 10% da população possui poderes telecinésicos. Num futuro ainda mais longínquo (30 anos depois) são inventadas as viagens no tempo, que são automaticamente proibidas mas praticadas pela Máfia para se livrarem de determinados alvos e porque no futuro é impossível livrarmo-nos de corpos. A Máfia serve-se então de Loopers - assassinos contratados para matar quem lhes é enviado do futuro sob a condição de nunca falharem. A vida corre bem a Joe (Joseph Gordon-Levitt) até ao dia em que do futuro é-lhe enviado um alvo diferente para ele matar - ele próprio. Old Joe (Bruce Willis) vem do futuro com o intuito de vingar a morte da sua mulher, pretendendo matar Rainmaker, uma personagem que ninguém sabe bem quem é mas que foi o responsável pela morte da mulher de Joe. Old Joe sabe que Rainmaker só pode ser 1 de 3 crianças (que no futuro cresceriam e se tornariam o tal Rainmaker). Joe (sempre na quinta de Sara e do seu filho Cid, uma das 3 crianças procuradas por Old Joe) e Old Joe vão construindo o presente, o passado dum e o futuro do outro, à medida que Joe se vai apercebendo dos poderes de Cid. No final uma decisão do presente Joe muda o futuro, por se rever em Cid e imaginar como todos os passos decorreriam se não tomasse uma decisão capital. O filme deixa algumas pontas soltas/ respostas por dar, mas que partem de alguns pressupostos que tornam toda a história interessante, progressivamente cativante e que nos cabem a cada um de nós imaginar como tudo aconteceria no futuro por escrever. Grande filme e grande argumento de Rian Johnson, um dos melhores de 2012, com bons efeitos especiais, uma história muito bem pensada e que materializa bem uma ideia inovadora, ao contrário de por exemplo "In Time" no ano passado. Considerado por muitos a melhor viagem do tempo desde "12 Monkeys" (também com Bruce Willis) e um dos melhores filmes do ano, como li nalgum lado Looper sofre (positivamente) do fenómeno Feiticeiro do Oz: tem cérebro, tem coragem e tem um coração (porque é um filme de ficção científico em que a família tem um peso significativo). Para quem gosta de pensar e raciocinar quando está no cinema e não esperar que lhe encham a cabeça com um filme fácil de mastigar, vale a pena ir ver. 

The Dark Knight Rises

Realizador: Christopher Nolan
Argumento: Christopher Nolan, Jonathan Nolan, David S. Goyer
Elenco: Christian Bale, Tom Hardy, Joseph Gordon-Levitt, Gary Oldman, Marion Cotillard, Anne Hathaway, Morgan Freeman, Michael Caine
Classificação IMDb: 8.8

E assim acabou a saga Batman, nas mãos de C. Nolan. Ou então não... Mas já lá iremos. Um dos filmes mais esperados de 2012 não desiludiu em nada, pelo menos a mim. Resumidamente, passaram-se 8 anos  em Gotham City desde "The Dark Knight", a Lei Anti-Crime de Harvey Dent parece ter trazido a paz a Gotham, e o Batman está aposentado, sucumbido. É neste cenário em tudo pacífico que as águas se começam a agitar quando o terrorista Bane (Tom Hardy) desenvolve o sub-mundo do crime, com a missão de vingar a Liga das Sombras. A voz de Bane poderia estar diferente, Cristovão, é só um reparo. A crescente apoteose em Gotham faz Batman ir buscar o seu fatinho ao guarda-roupa. No entanto, o problema é muito mais profundo e envolve o legado de Ra's Al Ghul, personificado numa personagem improvável mas que torna o desfecho do filme melhor. O filme introduz Catwoman (ou Selina Kyle, interpretada por Anne Hathaway), volta a dar relevância ao forte trio Goldman-Freeman-Caine, sendo que a personagem mais interessante do filme, pela  evolução da sua importância ao longo do filme e pelo fim acaba por ser Blake (Joseph Gordon-Levitt). A meu ver é o 2º melhor filme da triologia Batman de Christopher Nolan, apenas suplantado pela imortalização que Heath Ledger deu a "The Dark Knight Rises". É mais um grande filme de Nolan, com um argumento bem construído, conduzindo da melhor forma a narrativa no que diz respeito à prisão subterrânea e ao herdeiro de Ra's Al Ghul. Pelas analepses relativas a "Batman Begins" e "The Dark Knight Rises" o filme sustenta-se como uma triologia bem montada e que parte sempre da ideia de Nolan para o "seu" Batman - o Batman é um símbolo e ele pode ser qualquer um. Se irá haver ou não continuação (tendo Nolan já dito que este era o seu último Batman) não sabemos. O génio do realizador permite, pelo desfecho, que se aceite que o filme acabe como acabou, ou que venha daqui a dois/ três anos um 4º filme. Mas para isso, seria preciso pelo menos Nolan como produtor, a manutenção de Gary Oldman, Freeman, Caine, enquanto que "Robin" Blake emergeria. O nome "The Dark Knight Rises" é também um ponto de partida para a questão se há continuidade ou não, porque se o filme é o ressurgir e erguer de Batman (Christian Bale), pode também ser entendido como o erguer de uma sucessão. Em todo o caso, C. Nolan conseguiu com esta triologia afirmar os fillmes Batman como a melhor saga de um super-herói da Marvel.

MP

3 de outubro de 2012

Benfica 0 - 2 Barcelona


Ponto prévio:
Olá. Sim, renascemos das cinzas. E sim mentimos - dissemos que em Setembro já estaríamos aqui a bombar e afinal fizemo-lo só em Outubro. Não morremos. Um de nós está doente, o outro não faz a barba há 3 semanas, porém sentimos que hoje era o dia certo para sairmos do poço e voltarmos ao quotidiano.

    Olá outra vez. O Benfica perdeu com o Barcelona. Fiz parte, tal como TM dos 63.847 espectadores que estiveram na Luz. Não posso no entanto falar muito do jogo porque adormeci enquanto os jogadores do Barça trocavam a bola. Estou a gozar, mas houve alguns momentos que deram espaço para o bocejo surgir e surgir e surgir e surgir.

    Mas vamos lá falar de futebol. Jorge Jesus disse que não temia o Barcelona, apenas o respeitava, e de facto o onze inicial escolhido espelhava isso. No entanto, a meu ver, teria preferido não ver Bruno César em campo e ver um médio com boa capacidade de decisão e último passe como Aimar (os grandes jogadores têm que jogar os grandes jogos) ou Martins de início, e preferia ter visto Rodrigo encostado a uma ala no lugar de Gaitán. Bem sei que rende mais a 2º avançado ou do lado direito, mas o jovem espanhol correria de certeza mais e seria importante num contra-ataque e numa linha de 3 Rodrigo-Lima-Salvio com capacidade de explosão e de sacrifício. Isto para não falar noutras alternativas extremistas como colocar André Gomes em campo. O senhor Tito trouxe uma excelente equipa, dando-se ao luxo de deixar no banco jogadores como Iniesta, David Villa ou Song.

    O jogo começou e foi estranho ver o Benfica sem cheirar a bola. Uma equipa que tradicionalmente consegue posse de bola de 60% via-se ali refém do jogo do Barça, e assim foi em quase todo o jogo (posse de bola final 26-74). Após a lenga-lenga catalã, o Benfica recuperou a bola, construiu um lance e Bruno César rematou, naquele que foi o primeiro lance de perigo do jogo. Logo a seguir, Messi é lançado na esquerda (várias vezes Maxi foi "papado" hoje, mas a Maxi não se pode cobrar tanto pelo que já deu  tantas vezes a mais), cruza tenso e Alexis Sanchéz lá apareceu para inaugurar o marcador. Nos minutos a seguir ao golo sofrido, o Benfica parecia acordar para o jogo. Viu-se a perder, viu que tinha que fazer pela vida e conseguiu cerca de 7 minutos à Benfica, muito graças às inúmeras recuperações de Matic e à boa verticalidade e criatividade de Salvio. Lima, aos 11 minutos, rematou com perigo após grande passe de Gaitán. Depois Messi rematou para defesa dum hoje intranquilo Artur Moraes e o jogo lá decorreu até ao fim, com muito trabalho para o meio-campo encarnado e o carrossel do Barça a fazer circular a bola, desligando-se de procurar o golo em grande parte do tempo.

    Ao intervalo Jesus achou por bem trocar B. César por Martins (viria a estar todo o jogo muito precipitado, muito agarrado à bola e a definir mal) mas a verdade é que o jogo continuou ao ritmo da música catalã, que é como quem diz ao ritmo de Xavi. Aos 56, o pequeno Lionel lá pegou na bola, chamou todos os jogadores para cima de si e soltou a bola para Fábregas fazer o 0-2 e deixar a Luz desanimada. O Benfica respondeu prontamente por Salvio, mas depois o jogo caiu no que o Barça quis fazer dele. Com jogo com o Real Madrid no fim-de-semana, os blaugrana procuraram manter a bola, fazer os jogadores do Benfica correr, e não arriscar muito. Quando Aimar aumentou a classe e a criatividade do Benfica em espaços curtos, mas não era suficiente. Sim, com Javi García e Witsel no Benfica talvez tivesse sido diferente. Sim, com a equipa de 2009/ 2010 tinha sido diferente. Até final, como Zubizarreta há pouco disse "a segunda parte foi um monólogo" do Barcelona. Destaque para algumas faltas que só o Barça "sofre", para a lesão do Puyol (as melhoras rapaz) e para a expulsão do odiável Busquets.

    O Benfica perdeu hoje em sua casa, fica em penúltimo lugar do grupo com 1 ponto e tem agora 3 jogos seguidos para ganhar - Spartak (f), Spartak (c) e Celtic (c). Isto porque será "ligeiramente" importante o Benfica chegar a Camp Nou (última jornada) com a sua vida definida.
Destaco hoje no Benfica um jogo positivo de Garay, Enzo Pérez bem atrás mas mal na fase de construção (perdendo tempo e o timming de alguns contra-ataques que não pode acontecer quando se joga contra a equipa que melhor pressiona no mundo), Salvio esteve bem na 1ª parte, Melgarejo cumpriu mais uma vez,  Lima foi mal explorado, mas o melhor do Benfica foi sem dúvida alguma Nemanja Matic. Enorme naquele meio-campo, um pouco a lembrar o jogo que fez em Stamford Bridge no ano passado.
Do lado catalão destaco Messi (parece estúpido dizer isto), Mascherano e Xavi. O argentino fez duas assistências e Xavi foi para mim o melhor em campo. A equipa gira à sua volta, foi bom ter pisado o relvado da Luz e o futebol do Barcelona e em geral vai sentir muito a sua falta quando se retirar.

    Que o Benfica no fim-de-semana tenha 70% de posse de bola contra o Beira-Mar, para se vingar de hoje. E a Champions do Benfica são as próximas 3 jornadas. Parabéns de resto ao Braga pela vitória na Turquia (Éder está-se a tornar um sério jogador). Não faremos a crónica relativa a esse jogo porque, por estarmos na Luz, não o vimos. MP

PS1: Agora que escalámos o poço e viemos à superfície, podem esperar muita coisa nos próximos dias.
PS2: Não era mal pensado o Benfica ir buscar o Manuel Fernandes em Janeiro.

Ficha de jogo
Benfica: Artur; Maxi Pereira, Jardel, Garay, Melgarejo; Matic, Enzo Pérez (Aimar), Bruno César (Carlos Martins); Gaitán (Nolito), Salvio, Lima.
Barcelona: Victor Valdés; Daniel Alves, Puyol (Song), Mascherano, Jordi Alba; Busquets, Xavi, Fábregas (Iniesta); Alexis Sanchéz, Pedro (Villa), Messi.
Golos: 0-1 6' Alexis Sanchéz; 0-2 56' Fábregas..
Destaques: Garay, Matic, Salvio; Mascherano, Xavi, Messi.
"Barba Por Fazer" do Jogo: Xavi (Barcelona)