Antevisão da Barclays Premier League 2017/ 18

Não há nada como a Premier League. Quem vai conquistar a liga mais competitiva do planeta? Que jogadores se vão destacar? As previsões do Barba Por Fazer estão todas aqui.

Antevisão da Liga NOS 2017/ 18

Quem vai ganhar entre Benfica, Porto e Sporting? O Barba Por Fazer dá-te a mais completa análise à nova época do futebol português.

Crítica: Dunkirk

Não é o melhor filme de Christopher Nolan, mas é o melhor desde os últimos óscares. Se só puderem ir ao cinema uma vez até ao fim de 2017, escolham a experiência que é ver Dunkirk.

Revisão: Better Call Saul (3ª Temporada)

Uma obra-prima paciente. E a melhor série da primeira metade de 2017.

Emmys Barba Por Fazer 2017: Nomeados

Entre os nomeados dos primeiros Emmys BPF, destaque para as várias nomeações de Better Call Saul, The Leftovers, The Night Of, Master of None e Atlanta.

30 de abril de 2014

Dia 24, Madrid é em Lisboa; Mourinho afastado da final

Chelsea    1 - 3    Atlético de Madrid (Torres 36'; Adrián 44', Diego Costa 60', Arda Turan 72')

    
José Mourinho fez alinhar 6 defesas de início jogando com Azpilicueta e Ivanovic no corredor direito e com David Luiz à frente da defesa composta por Cahill, Terry e Cole. Quanto que Diego Simeone - vindo-se privado de Gabi - fez alinhar o português Tiago que envergou a braçadeira de capitão e ainda lançou Adrián Lopéz no apoio a Diego Costa, do lado esquerdo.
    Com este 11 era normal que se pensasse que o técnico português iria repetir o jogo de Domingo o que deixaria tristes os adeptos de futebol. Porém, isso não se verificou. O Chelsea - de facto - defendia muito bem, mas não abdicava de atacar. Defendia com muitos, mas atacava bem com Torres, Hazard, Willian e Azpilicueta/Ivanovic. O Atlético começou melhor o jogo com uma bola na trave por intermédio de Koke. O espanhol bateu um pontapé de canto do lado esquerdo, mas a bola foi-lhe devolvida por Azpilicueta. Sem rodeios, Koke atirou de primeira um remate em jeito que quase bateu o australiano Schwarzer - não fosse o ferro a adiar o golo. Denotava-se uma gritante dificuldade da equipa da casa em chegar à baliza de Courtois. O Chelsea começou a assumir o jogo, mas trocava a bola no seu meio campo por causa da estratégia bem montada de Diego Simeone. Os blues finalmente começaram a ser mais acutilantes no ataque e acabaram por conquistar um livre em excelente posição. Pedia-se David Luiz ou Eden Hazard, mas quem cobrou foi Willian que acabou por atirar por cima da baliza do belga. O Atlético respondia de contra-ataque, mas Diego Costa acabou por tentar o remate por duas vezes - cortados facilmente pela defesa londrina - enquanto tinha companheiros em melhor posição para criar perigo à baliza. As oportunidades iam surgindo e aos 23 minutos David Luiz ia marcando um golaço ao tentar um pontapé de bicicleta - após bom trabalho dentro de área - a razar o poste de Courtois. A intensidade de jogo voltaria a descer até aos 36 minutos onde surge o golo de Fernando Torres. Willian desenvencilha-se de dois colchoneros na direita, a bola sobra para Azpilicueta e o espanhol serve o compatriota Torres que apenas teve que encostar. O nº9 do Chelsea acabou por não festejar o golo à sua antiga equipa. Após o golo José Mourinho acabou por se chegar atrás e o Atlético aproveitou. Assumiu o jogo e partiu para o meio campo adversário nos últimos minutos do primeiro tempo. E a verdade é que deu frutos! Passe longo de Tiago a ver Juanfran desmarcado do lado direito, o espanhol centra de primeira para o segundo poste onde Adrián Lopéz  estava para disferir um remate tenso para dentro da baliza. O Atlético passava assim para cima da eliminatória antes do intervalo e deixava Mourinho irritado. Uma primeira parte bem disputada onde o equilíbrio entre as duas equipas prevaleceu.
    Pedia-se mais Chelsea. Talvez se pedisse a José Mourinho que sacrificasse o seu "jogo pelo seguro" e retirasse um dos seus 6 defensores em campo e apostasse em Schürrle ou Oscar. Contudo, o português assim não o entendeu e sofreu as consequências. O Chelsea perdeu o domínio do jogo e o Atlético foi ganhando terreno ao clube inglês. Aos 47 surgiu o primeiro aviso para o australiano. Numa jogada de insistência dos espanhóis, a bola sobra para o segundo poste onde o turco Arda Turan recebe de peito e atira forte para boa defesa de Schwarzer. Na resposta, uma gigante defesa de Thibaut Courtois! Livre batido exemplarmente por Willian na direita e John Terry atira um cabeceamento forte para uma grande defesa do belga! O melhor guarda-redes jovem do momento - e quiçá do mundo - foi ao chão negar o golo ao capitão dos blues. Uma defesa que mudou o jogo já que logo no lance seguinte o recém-entrado Samuel Eto'o comete um erro crasso ao abalroar Diego Costa dentro da grande área. Erro enorme do camaronês ao abordar de forma negligente atirando o espanhol ao chão - estando o mesmo a deslocar-se para fora da área - concedendo assim uma grande penalidade ao adversário. Na conversão - após se enervar com a bola e com a marca de grande penalidade que lhe valeu um amarelo - Diego Costa atirou a contar e complicou imenso as aspirações dos londrinos em chegar à final em Lisboa. Para além das más decisões de Mourinho no decorrer do jogo, o azar também o perseguiu. Novo livre de Willian e David Luiz a cabecear violentamente à barra com Courtois depois a completar enviando para canto. Já não bastava o resultado estar complicado, o azar também decidiu dar um murro no estômago da esperança inglesa. A moral dos pupilos de Mourinho desceu de forma abissal e o Atlético geriu o jogo como quis até matar a eliminatória. Tiago - quem mais poderia ser? - aparece com enorme espaço no centro do terreno, faz um passe longo perfeito para Juanfran que - novamente de primeira - cruza para o segundo poste onde Arda Turan surge para cabecear à barra... Porém, a bola regressou ao turco e com toda a naturalidade atira para o fundo da baliza. Até ao término do jogo, a bola praticamente não surgiu perto das balizas. Os blues baixaram os braços e só nos últimos minutos Hazard colocou de novo à prova Courtois. 
    Muito bem Diego Simeone a ser fiel ao seu jogo e ganhando assim a batalha frente a José Mourinho. Num jogo sem grandes destaques individuais, prevaleceram as estratégias dos treinadores em que a do português saiu furada. Uma boa primeira parte do Chelsea com José Mourinho a tentar equilibrar o seu onze com Azpilicueta e Ivanovic na direita, mas foi incapaz de reagir na segunda parte quando ia para o intervalo em desvantagem na eliminatória. Foi incapaz de lançar Schürrle ou Oscar (o miúdo dos grandes jogos europeus) e abdicar de um dos seus 6 defesas, como por exemplo Ashley Cole atirando Azpilicueta para a esquerda. Mourinho destruiu a sua equipa quando fez entrar Samuel Eto'o por - precisamente - Cole. A entrada de um segundo avançado no jogo não só saiu mal tacticamente como o avançado acabou por fazer a grande penalidade mal entrou. Correu tudo mal a José Mourinho e tudo tão bem a Tiago... A ter que escolher um destaque individual, Tiago é claramente a nossa escolha. Fantástico no meio campo a temporizar quando era preciso e a oferecer dois golos à equipa com dois passes perfeitos para Juanfran.  Se Tiago voltasse atrás com a sua renúncia à Selecção, Paulo Bento teria obrigatoriamente que o levar entre os 23. Tudo acabou com Tiago a enxugar as lágrimas ao capitão John Terry e assim teremos na final um derby madrileno, na Luz.
    Espera-se uma grande final entre os dois clubes espanhóis e a verdade é que em 4 finalistas europeus, 3 são espanhóis...

Barba Por Fazer do Jogo: Tiago (Atlético de Madrid)
Outros Destaques: Azpilicueta, David Luiz; Juanfran, Courtois, Koke.

29 de abril de 2014

Elenco de Star Wars VII divulgado

A Disney e a Lucasfilm divulgaram hoje finalmente o elenco escolhido para os próximos capítulos passados numa galáxia muito, muito distante. Deixando de parte a ideia de "a história estava boa e encerrada com lógica, para quê prolongá-la?", à qual a resposta é naturalmente "para fazer mais dinheiro", os actores escolhidos criam alguma expectativa. Mas só alguma.
    Como já era sabido Mark Hamill (Luke Skywalker), Harrison Ford (Han Solo) e Carrie Fisher (Princess Leia, agora Leia Solo) vão voltar nas suas incontornáveis personagens, com a acção a passar-se supostamente 30 anos após o fim do episódio VI. Os actores ligados a Chewbacca, C-3PO e R2-D2 estão também garantidos. Até aqui, o lógico. A partir daqui, as surpresas.
    Os 2 nomes mais fortes que o projecto (agora) de J. J. Abrams - com a consultoria externa de George Lucas - conseguiu atrair, ou pelo menos confirmar até ao momento, são sem dúvida Andy Serkis e Max von Sydow. Serkis, depois de Gollum, Caesar ("Rise of the Planet of the Apes") e Capitão Haddock veremos a que brilhante personagem Andy Serkis vai desta vez dar vida como mais ninguém consegue fazer. Na realidade, Serkis é um daqueles actores aos quais o Cinema talvez não dê o devido reconhecimento. Depois, o veterano Max von Sydow tem tudo para se integrar bem na mística Star Wars. A dimensão pesada do homem do Exorcista e de "The Needful Things" terá que ser trazida ao de cima, como nesses filmes.
    Passados os 2 pesos pesados, há depois alguns actores que já eram falados e que já têm alguma reputação, e outros quase desconhecidos. Adam Driver (Girls, Inside Llewyn Davis) vai certamente ter um hype brutal na carreira uma vez que já há algum tempo que era falado para este Star Wars VII, antecipando-se que será um possível sucessor de Darth Vader enquanto Sith. A acompanhá-lo, o actor principal de Inside Llewyn Davis, Oscar Isaac, e Domhnall Gleeson (actor de Harry Potter, About Time e do aguardado Unbroken de Angelina Jolie). 
    Os menos conhecidos John Boyega e Daisy Ridley (fará de descendente de Leia?) fecham as contas, esperando-se ainda que o elenco ganhe reforços com o passar do tempo. Nos infinitos rumores que já surgiram, encontram-se nomes como: Benedict Cumberbatch, Ryan Gosling, Gary Oldman, Alex Pettyfer, Liam McIntyre, Rachel Hurd-Wood, Ksenia Solo e Zac Efron. Sim, Zac Efron.
    É possível que John Boyega venha até a ser o actor principal, ele que terá alegadamente batalhado até ao fim pelo estatuto de Jedi com Ed Speleers (Downton Abbey) e Jesse Plemons (Breaking Bad).

    Veremos o que isto tudo dá, havendo naturais riscos por muitos fãs acharem que estes novos capítulos irão estragar a história, e portanto os graus de exigência estarão bem elevados.

100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (1-24)

A época está a acabar, o Mundial está aí à porta e os rumores de transferências de jogadores (no estrangeiro e em Portugal) já começaram a ganhar forma. Num exercício especulativo, deixamo-vos 100 palpites de jogadores que irão agitar o próximo Verão, e algumas considerações. Tanto jogadores que pelo que fizeram nos seus campeonatos despertarão a cobiça, como elementos que têm tudo para fazer um bom Mundial ou ainda alguns jogadores que se deverão tornar excedentários nos seus plantéis.
    São palpites, e apenas isso, mas são 100 nomes a ter em conta, porque vão estar no radar de muitos emblemas. Hoje, o remate final com os 24 nomes que irão agitar mais o próximo defeso.

1. Luis Suárez (Liverpool) - O uruguaio, melhor marcador e melhor jogador nesta época da Premier League, tem tudo - infelizmente - para ser o Gareth Bale do próximo Verão. Florentino Pérez vai querer atingir um novo recorde com novo galáctico e Suárez parece o alvo ofensivo mais apetecível. Real Madrid e Barcelona serão certamente indicados como potenciais interessados, capazes de bater os 100 milhões, mas estamos em crer que Suárez pode ficar em Anfield. Tem uma equipa onde se sente bem, um capitão que venera e há algum tempo falou-se que, caso o Liverpool conseguisse apurar-se para a Champions, Suárez ficaria. Aquilo que Suárez sente actualmente quando está em campo, o amor do público de Anfield, a importância do uruguaio no modelo de jogo, o conhecimento que já tem da Premier League e das características dos seus colegas de equipa e ainda o facto de ser ele a ficar com a braçadeira de capitão na ausência de Gerrard, são tudo motivos mais do que válidos para Suárez permanecer no clube no qual já se tornou um herói histórico.

2. Lionel Messi (Barcelona) - É muito pouco provável que Messi abandone Barcelona. Tanto neste Verão como em qualquer outro. No entanto, pode acontecer que o clube blaugrana queira operar uma revolução ainda maior do que toda a gente pensa, e com o aval da FIFA para inscrever jogadores, esse cenário volta a ganhar relevo. Messi deverá continuar a ser a figura dos catalães mas, caso estes o considerem transferível, há alguns magnatas prontos a chegar aos 200 milhões pelo argentino. Em Inglaterra (o City sempre pareceu atrair ligeiramente Messi) e França. Probabilidade? 0,5%. Probabilidade de rumar ao rival Real Madrid? 0,01%.

3. Paul Pogba (Juventus) - O incrível médio francês da Juventus vai garantidamente ser um dos principais nomes do próximo mercado de transferências. Tem tudo para fazer um bom Mundial (pelo menos a nível individual) e tanto o Real Madrid como o PSG têm-no no topo das prioridades para o meio-campo. Quem o agarrar pode dormir descansado porque terá um dos melhores médios do mundo dos próximos largos anos.

4. Diego Costa (Atlético Madrid) - Uma vez que Lewandowski já está comprometido com o Bayern, e considerando que Suárez e Messi são alvos muito complicados de assegurar, Diego Costa vai ser - juntamente com Agüero, Mandzukic e noutro patamar Falcao e Cavani - o avançado mais mencionado a curto prazo. O Chelsea parece querer fazer uma remodelação a nível de pontas de lança e a nova referência ofensiva de La Roja pode ser o avançado que Mourinho tanto quer. Mas Simeone tudo fará para o manter. E neste cenário, surge o nosso próximo nome.

5. Thibaut Courtois (Chelsea) - Um dos grandes mistérios: onde irá jogar Courtois em 2014/ 15? É jogador do Chelsea, mas Petr Cech parece ainda aguentar mais uns anos. No entanto, não faz sentido que o Chelsea continue a emprestar ano após ano o melhor guarda-redes jovem do mundo ao Atlético. Diego Costa e Courtois podem acabar envolvidos numa troca, mas largar Courtois seria um erro gigantesco de Mourinho.

6. Victor Valdés (Barcelona) - O guardião do Barça, talvez o melhor do mundo a jogar com os pés, vai sair de Camp Nou a custo zero. Isso é já um dado adquirido. O destino ninguém sabe ainda qual será mas Arsenal (embora Szczesny tenha realizado uma boa época) e Manchester City (e aí Joe Hart tornar-se-ia transferível) estarão entre os que mais o desejam. Uma certeza a sua transferência, mas uma incógnita o seu destino. Talvez o Mónaco tenha capacidade - financeira sim, mas desportiva? - para o contratar..

7. David Luiz (Chelsea) - É verdade que José Mourinho passou a utilizar sempre David Luiz nos jogos grandes, embora a meio-campo, mas o central brasileiro nunca foi ao longo desta época um jogador intocável para o técnico português e há quem o queira para jogar na sua melhor posição. Bayern Munique e Barcelona terão o antigo jogador do Benfica, um dos melhores do mundo na saída com bola, nas suas prioridades a nível de centrais.

8. Marco Reus (Borussia Dortmund) - Depois de perder Kagawa, Götze e Lewandowski, Klopp deverá dizer adeus a Marco Reus neste Verão. Aquele que foi porventura o jogador alemão em melhor forma ao longo desta temporada tem muitos pretendentes: vários emblemas de topo na Premier League e o Barcelona.

9. Ricardo Rodríguez (Wolfsburgo) - Num Verão onde muito se falará de defesas esquerdos (Shaw, Coentrão e talvez Baines continue a ser referido), Ricardo Rodríguez verá a sua cotação a disparar em termos de mercado. Reúne todas as condições para ser um dos destaques do Mundial 2014 ao serviço da Suiça e um dos melhores da competição na sua posição. Com apenas 21 anos, o seu futuro promete e muito. Não fosse o Bayern ter Alaba e encaixaria na perfeição na política de transferências dos bávaros. Outro jogador suiço que poderá sair em alta do Mundial é o já bem conhecido Gökhan Inler - o Nápoles é uma boa equipa mas tanto ele como Marek Hamsik podem ter propostas de outros patamares...

10. Toni Kroos (Bayern Munique) - Aquele que é um dos melhores médios da actualidade foi associado ao Manchester United no defeso de Inverno. Os red devils precisam de um médio com as características do alemão mas seria um crime Guardiola abdicar dos serviços de Kroos. O alemão vai crescer muito nos próximos anos e tornar-se uma referência na posição (se é que não o é já), e a única coisa que o poderá atrair será um projecto no qual se sinta mais importante do que na Baviera. Mas continua a ser muito difícil vê-lo fora de Munique.

11. Sergio Agüero (Manchester City) - O avançado argentino, embora esteja já inserido num dos melhores plantéis do mundo, vai certamente ser associado a Real Madrid e Barcelona. A fidelidade de Suárez ao Liverpool (esperemos nós) poderá fazer com que as atenções se virem para Kun.

12. Luke Shaw (Southampton) - Com apenas 18 anos, o lateral esquerdo inglês conseguiu ombrear com Leighton Baines pelo estatuto de melhor lateral esquerdo da Premier League desta época. Shaw é daqueles cuja qualidade não engana e estará no topo das prioridades de Liverpool e Manchester United. O que vimos em 2013/ 14 é apenas uma minúscula amostra do potencial de um jogador que vai explodir a curto-médio prazo.

13. Koke (Atlético Madrid) - Tal como Pogba e Kroos (e Strootman estaria neste lote se não se tivesse lesionado, pois o Mundial faria a sua cotação subir a pique), o médio do Atlético é um dos alvos mais apetecíveis para quem precisa de remodelar o meio-campo. Acreditamos que continuará em Madrid mas, sendo um dos médios mais completos do Mundo, pode haver quem perca a cabeça por ele.

14. Juan Cuadrado (Fiorentina) - Cuadrado já não é um jogador propriamente barato mas é praticamente impossível que continue em Florença na próxima época. O Arsenal foi por várias vezes associado ao jogador colombiano (tem tudo para ser um dos destaques da sua Selecção no Mundial), e - atendendo à política de mercado habitual - a Juventus poderá acabar por considerar a sua contratação.

15. Mario Mandzukic (Bayern Munique) - Uma vez que Lewandowski será o avançado do Bayern de Guardiola versão 14/ 15, Mandzukic talvez acabe por rumar a outras paragens. Tem sido constantemente relacionado com Chelsea (caso falhe a contratação Diego Costa), Arsenal, Tottenham e Manchester United, entre outros.

16. William Carvalho (Sporting) - O primeiro português da lista trata-se do jogador revelação da Liga ZON Sagres. O Sporting não deverá conseguir segurar William (veremos por quanto será transferido), mas uma jogada de antecipação poderá fazer o médio defensivo lusitano rumar a outro campeonato por um valor superior ao expectável. Uma vez que William Carvalho seria justamente titular no meio-campo português, pode acontecer que alguém pague mais para o ter antes do Mundial, jogando com a potencial valorização do jogador. Em Inglaterra já surgiram rumores de que o Manchester United teria já chegado a acordo com o clube de Alvalade. Veremos. No Sporting, para além de W. Carvalho, Marcos Rojo parece ser o 2.º elemento com mais mercado neste Verão e Slimani, eventualmente, o 3.º.

17. Antoine Griezmann (Real Sociedad) - A campanha da Real Sociedad deve-se em grande parte à contribuição e ao crescimento enquanto jogador de Griezmann. O extremo francês passou a ser um jogador com números, melhorou a sua finalização (uma evolução Hazard, chamemos-lhe assim) e quando se está próximo de Benzema, Gareth Bale e Pedro Rodríguez na lista de melhores marcadores é porque as coisas estão a correr bem. Cheira a Arsenal, mas talvez só por ser francês.

18. Julian Draxler (Schalke 04) - Por falar em Arsenal, Draxler esteve quase para rumar ao clube londrino há uns meses, veremos qual o seu destino nos próximos tempos. Parece cada vez mais difícil o Schalke segurar este craque, até porque poderá dar espaço a Max Meyer para ser o seu sucessor, e - uma vez que é fiel e não parece querer representar outro clube na Alemanha - talvez Inglaterra seja o destino mais provável.

19. Adam Lallana (Southampton) - À imagem de Luke Shaw, Lallana tornou-se esta temporada um dos jogadores com mais mercado em Inglaterra. Liverpool e Manchester United poderão batalhar pelo incrível criativo e capitão dos saints, e até pode acontecer que Shaw e Lallana rumem juntos a novo clube inglês. Lallana terá um Mundial pela frente, no qual deverá ter mais minutos do que Shaw, por isso seria astuto da parte dos interessados garanti-lo antes da competição no Brasil se iniciar.

20. Mario Balotelli (AC Milan) - Dispensa grandes apresentações e considerações. É um talento puro, embora ainda não se possa considerar maduro tem hoje mais cabeça do que há um ano ou dois, e tem estado a desperdiçar a sua carreira. Merece competições europeias, e o AC Milan actualmente não lhe pode dar isso, mas não sabemos que treinador que lhe poderá dar a mão e os conselhos que precisa neste momento para se tornar o craque que pode ser.

21. Marc-André Ter Stegen (Borussia Gladbach) - Imaginamos que, perante o facto da FIFA ter suspendido o impedimento de contratações do Barcelona, Ter Stegen acabe por rumar à Catalunha. A confirmar-se será de facto uma brilhante contratação. E o suiço Yann Sommer (outro incrível guardião, do Basel) será o seu sucessor no Borussia.

22. Ivan Rakitic (Sevilha) - Outro dos casos que é praticamente impossível que continue no seu clube actual. Rakitic, capitão do Sevilha, fez uma temporada monstruosa. Golos, assistências, tudo. Os interessados serão muitos, talvez em Inglaterra, Alemanha e Espanha, e está eminente uma boa prestação no Mundial ao lado de Modric, Kovacic e Perisic.

23. Seamus Coleman (Everton) - Em Espanha, Griezmann foi um dos jogadores que mais se desenvolveu este ano (Di María também poderia ser esse Most Improved Player mas pela mudança táctica), mas em Inglaterra esse estatuto pertenceu a Seamus "Goalman" Coleman. O lateral direito goleador do Everton é uma máquina, um dos jogadores da actualidade que consegue manter maior intensidade e estar tanto atrás como à frente com grande impacto. Ficar no Everton seria uma boa opção, mas o revolucionário United, com o novo chorudo patrocínio da Nike, pode querer desembolsar bom dinheiro para ter um grande lateral direito.

24. Ezequiel Garay (Benfica) - Curiosamente surge nesta lista num lugar que é o número da sua camisola. Os benfiquistas torcerão para que Garay se mantenha de águia ao peito, mas o argentino (que será titular da selecção do seu país no Brasil) acaba por ser um dos melhores centrais do mercado a nível de qualidade/ preço. 20 Milhões por um jogador da qualidade de Garay? É demasiado bom para alguns "tubarões" resistirem.

100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (25-49)
100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (50-75)
100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (76-100)

Incrível Real Madrid humilha Bayern e vai tentar a "Décima" na Luz

Bayern Munique  0 - 4  Real Madrid (Sergio Ramos 16' 20', Cristiano Ronaldo 34' 90')

    No arranque para este jogo sabia-se que o Bayern era especialista em eliminar o Real, e que o Real Madrid era especialista em retirar da Champions os campeões em título. A segunda tradição falou mais alto. Com uma 1.ª parte monstruosa e um jogo (também) perfeito a nível defensivo, o Real garantiu bilhete para o Estádio da Luz, onde procurará conquistar a tão desejada 10.ª Champions League. Será sempre especial. Não só por se tratar de uma final da competição mais prestigiada de clubes mas também porque: ou os merengues revêem o seu anterior treinador - José Mourinho - ou defrontam o rival da cidade, o Atlético.
    Para este jogo, Guardiola teimou em colocar Mandzukic (um corpo estranho no processo ofensivo do Bayern, embora se esforce e até seja ainda assim o melhor marcador actual da Bundesliga) e Ancelotti apenas trocou Isco por Bale, mantendo o seu 4-4-2 sem bola, com Bale e Di María com pulmão infinito no apoio a Modric e Alonso, e CR7 e Benzema mais soltos na frente. O Real esteve longe de montar um autocarro, nunca abdicou de atacar e sempre que recuperou a bola procurava sair a 150 à hora apostando na velocidade de Bale, Ronaldo e Di María, com Benzema a combinar bem com os colegas velocistas.

    O jogo foi arbitrado por Pedro Proença e depois de 1 minuto em memória de Tito Vilanova, a bola começou a rolar. O Real começou melhor e Bale e Di María ficaram perto de inaugurar o marcador cedo. Mas o golo chegou mesmo. O croata Luka Modric bateu bem um canto do lado direito, Ronaldo subiu muito alto, mas foi Sergio Ramos a cabecear de forma fulminante. A festa merengue ainda tinha apenas começado porque 4 minutos depois - e após Proença ter perdoado uma possível expulsão a Dante - o central contratado ao Sevilha quando tinha 19 anos voltou a fazer das suas. Di María cruzou de forma exímia um livre indirecto, Pepe penteou a bola com a sua (hoje em dia) farta cabeleira e Sergio Ramos bisou. O campeão em título Bayern não sabia onde estava, a sua posse de bola originava zero oportunidades de perigo e os alas Robben e Ribéry permaneciam nos bolsos de Coentrão e Carvajal, respectivamente. Ramos e Pepe "limpavam" qualquer iniciativa com vista a colocar a bola em Mandzukic ou, ocasionalmente, Müller, mas o golo voltou a surgir na mesma baliza. O Real mostrou-nos mais uma vez como contra-atacar: Di Maria abriu em Benzema, o francês deu para Gareth Bale e depois... depois ligou-se o turbo. Numa arrancada fantástica, Bale traçou caminho em excesso de velocidade e, na hora H, decidiu bem e colocou a bola em Ronaldo, melhor colocado para marcar. O altruísmo de Bale valeu o 3-0 marcado por Ronaldo, e uma entrada do português para a História: novo recorde de golos numa edição da Champions League - 15. Cristiano Ronaldo ficou perto do bis com um remate quase do meio-campo e até ao intervalo o único momento de destaque foi o cartão amarelo a Xabi Alonso, com Proença a impedir o médio espanhol de jogar a final.
    Guardiola trocou Mandzukic por Javi Martínez ao intervalo e, nos primeiros 25 minutos da 2.ª parte, aí sim o Real abdicou praticamente de atacar. Fechou os caminhos para a sua baliza, manteve total concentração e grande comunicação entre os seus elementos da defesa e meio-campo. Grande entre-ajuda, grande disciplina, uma equipa. Robben ficou perto de marcar, mas os minutos começaram a passar e o Bayern - que precisava de um milagre chamado "marcar 5 golos" - continuava sem conseguir um único. Os minutos finais trouxeram mais oportunidades, mas divididas. Toni Kroos quase fez um grande golo e, do outro lado, Coentrão e Ronaldo quase fizeram o 4.º. E o quarto e derradeiro golo chegou mesmo, ao minuto 90. Cristiano Ronaldo, num livre à entrada da área, foi inteligente e rematou forte e rasteiro, aproveitando o previsível salto da barreira. O título vai mudar de mãos esta época e o Real viajará a Lisboa, ao Estádio da Luz, para uma final do outro mundo.

    Foi uma exibição de outro planeta, por parte de uma equipa que investiu e tem individualidades incríveis. No entanto, há um mérito nítido de Ancelotti em ter ao longo da época criado uma equipa e transformado jogadores. Fabio Coentrão fez mais um jogo incrível, Pepe e Ramos (que bisou) foram reis e senhores da sua área, Modric voltou a espalhar magia, a acumular infinitas boas decisões e a ser perfeito em todos os capítulos e momentos do jogo. Já não há palavras para falar deste Di María 2013/ 14 e Gareth Bale mostrou porque é que se mudou para Madrid. Bale viajou para o Bernabéu para ganhar títulos e estar nos maiores jogos do futebol europeu e tem trabalhado para isso, estando a fazer uma época de estreia brilhante. Não havendo grandes destaques num Bayern apagado, sem chama e sem sangue na guelra, destaques finais para Xabi Alonso (não merecia falhar a final e estes 2 jogos recuperaram o médio que falhava sempre nos grandes jogos, apresentando-se inclusive hoje superior a Schweinsteiger, um dos melhores médios do mundo na época passado, esta época muitíssimo abaixo), Carvajal é neste momento um dos melhores laterais direitos do mundo (já apresentava este nível no Leverkusen, mas pouca gente lhe ligava) e, por fim, Cristiano Ronaldo.
    O melhor em campo poderia ser Pepe, Ramos, Carvajal, Modric, Bale ou Di María, porque a equipa esteve compacta e funcionou como um todo. Deixamos o elogio final ao capitão da nossa Selecção porque bisou em casa do campeão europeu em título e estabeleceu novo recorde (15 golos) aumentando-o depois para 16. Que Ronaldo continue assim no Brasil, e que Coentrão e Pepe mantenham o impressionante nível de hoje.

Barba Por Fazer do Jogo: Cristiano Ronaldo (Real Madrid)
Outros Destaques: Carvajal, Pepe, Sergio Ramos, Coentrão, Modric, Di Maria, Bale

28 de abril de 2014

100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (25-49)

A época está a acabar, o Mundial está aí à porta e os rumores de transferências de jogadores (no estrangeiro e em Portugal) já começaram a ganhar forma. Num exercício especulativo, deixamo-vos 100 palpites de jogadores que irão agitar o próximo Verão, e algumas considerações. Tanto jogadores que pelo que fizeram nos seus campeonatos despertarão a cobiça, como elementos que têm tudo para fazer um bom Mundial ou ainda alguns jogadores que se deverão tornar excedentários nos seus plantéis.
    São palpites, e apenas isso, mas são 100 nomes a ter em conta, porque vão estar no radar de muitos emblemas.
    Neste 3.º artigo de 4, os destaques do lugar 25 ao 49.

25. Mats Hummels (Borussia Dortmund) - Mais caro que por exemplo, Garay, Mats Hummels é outro dos centrais que agitará este Verão. Uma vez que Thiago Silva é o alvo mais difícil, David Luiz e Hummels serão garantidamente os 2 centrais de Top para, por exemplo, a lista de Bayern e Barcelona. No entanto, Hummels não deverá querer trair os seus adeptos como Lewandowski e sobretudo Götze. E Klopp não deverá gostar da ideia de ver sair no mesmo período Reus e Hummels.

26. Alen Halilovic (Dínamo Zagreb) - Tal como Ter Stegen, o jovem croata já foi dado como certo no Barcelona da próxima temporada, mas sem ser 100% oficial. Um diamante por lapidar.

27. Eliaquim Mangala (Porto) - Na péssima temporada portista, Mangala e Fernando terão sido os únicos dois elementos capazes de escapar às críticas. O central francês, embora ocasionalmente cometa alguns erros estranhos, é um portento físico, um patrão fortíssimo no jogo aéreo dos 2 lados do campo. O Manchester City já o quis e seria certamente uma excelente contratação. Passar de Kompany-Demichelis a Kompany-Mangala era... bastante bom para Pellegrini.

28. Fábio Coentrão (Real Madrid) - Uma incógnita. Coentrão nunca foi realmente feliz em Madrid e, depois de ficar muito perto de ser emprestado ao Manchester United, neste Verão poderá sair. Pretendentes não irão faltar para o lateral das Caxinas, até porque Coentrão é sempre um dos jogadores que se agiganta em competições internacionais e vai sair em alta do Mundial. Pode acontecer o Real apostar nele a 100%, uma vez que está agora num bom momento, mas continua a ser um crime um clube ter Marcelo e Coentrão.

29. Jordy Clasie (Feyenoord) - A gritante ausência de Strootman no meio-campo holandês no próximo Mundial aumentará as responsabilidades de Clasie na Laranja Mecânica. Médio de execução perfeita, regular, com boa recepção, passe e posicionamento, vai dar o salto. Resta saber para onde. Teria o Everton capacidade financeira para o adquirir? Também na Holanda o capitão do Ajax, Siem de Jong, poderia finalmente fugir para um clube com outras aspirações uma vez que tem futebol para dar e vender.

30. Tim Krul (Newcastle) - Um guarda-redes com as características do holandês é um desperdício continuar no Newcastle. Com 26 anos, Krul já foi associado ao AC Milan e é alegadamente um dos desejos de Seedorf para a próxima época. Teremos mais um holandês a vestir a camisola do histórico de Milão?

31. Edinson Cavani (PSG) - A sua época de estreia ao lado de Ibrahimovic deixou-o quase sempre na sombra do avançado sueco e poderá dar-se o caso de algum plantel querer cometer uma loucura financeira e ter Cavani como figura de proa, algo que só o tempo poderia dar a Cavani em Paris. Em Inglaterra continua a ser altamente pretendido por mais do que um emblema.

32. Radamel Falcao (Mónaco) - A grave lesão retirou a Falcao boa parte da época e ainda se desconhece se estará apto ou não para marcar presença no Mundial como grande referência da Colômbia. O Mónaco, num projecto que assegurou a Champions, não deverá querer perder Falcao mas é inevitável que esteja entre no lote de avançados que despertarão cobiça (Diego Costa, Suárez, Cavani, Mandzukic, Agüero..).

33. Ciro Immobile (Torino) - Quando um jogador como Immobile faz a época que está a fazer num clube como o Torino... a transferência é uma consequência quase imediata. Era apontado juntamente com Gabbiadini como um dos grandes avançados italianos para o futuro, mas foi o único que esta época explodiu. É um finalizador nato, com as características habituais dos avançados italianos e formou esta temporada uma dupla temível com Cerci. A lógica demandaria um "salto" para um grande italiano, mas o futuro o dirá, até porque o Dortmund também parece estar à espreita (e que bem ficaria o italiano no modelo de Klopp).

34. Fernando (Porto) - A par de Mangala, um dos destaques inevitáveis do Porto. Sem dúvida o jogador mais regular dos dragões, sempre competente, mas claramente à procura de outros voos. É um trinco como já há muito poucos, um dos melhores do mundo na sua posição, e esta temporada evoluiu bastante a sua qualidade em posse. Falou-se do Manchester City, e é todas as épocas ligado ao futebol italiano.

35. Mehdi Benatia (AS Roma) - O central marroquino, um dos destaques da extraordinária campanha da Roma, é mais um dos nomes que poderão interessar a quem precisar de reforçar o centro da defesa. Um jogador fortíssimo e ligeiramente mais barato que os nomes mais sonantes.

36. Robin van Persie (Manchester United) - O próximo treinador do Manchester United terá, juntamente com a Direcção, muitas decisões a tomar. Van Persie não parece ser hoje em dia um jogador intocável no plantel dos red devils. Um regresso ao Emirates seria estranho, mas já aconteceram movimentações mais bizarras. Caso aconteça ser Van Gaal o técnico escolhido, embora Ancelotti seja o preferido de Sir Alex Ferguson segundo a imprensa, Van Persie poderia ter um importante aliado holandês.

37. Rodrigo (Benfica) - Embora o seu passe já tenha sido comprado por um fundo, ninguém sabe ao certo qual será o destino de Rodrigo. Precisamente por já não pertencer ao Benfica, imagina-se que rumará a outras paragens, mas graças ao estranho negócio que foi feito, só o Benfica saberá se tem ou não uma palavra a dizer sobre as propostas que surgirem. Os adeptos encarnados, embora já tenham assumido antecipadamente a sua venda, certamente desejarão continuar a assistir ao seu desenvolvimento enquanto futebolista. Com a recta final de época que está a ter, clubes interessados não deverão faltar.

38. Ross Barkley (Everton) - Com Roberto Martínez, Barkley teve uma evolução monstruosa como jogador. Ainda assim, estamos em crer que a melhor opção para o médio inglês seria ficar em Goodison Park. Recentemente surgiram notícias de que o Liverpool queria roubar o prodígio ao clube rival, e o Manchester United desde o Inverno que tem sido insistentemente cogitado como futuro destino de Barkley, que poderia seguir as pisadas de Wayne Rooney.

39. Juan Iturbe (Porto) - O Porto emprestou o extremo argentino ao Hellas Verona e Iturbe aproveitou para se fazer jogador. Tendo o Hellas Verona opção de compra não é de descurar a hipótese do clube-sensação do calcio comprar o jogador para o vender posteriormente por uma quantia superior. Certo é que a carreira de Juan Manuel Iturbe mudou esta temporada.

40. Romelu Lukaku | Lucas Piazón | Thorgan Hazard (Chelsea) - Mourinho já disse que o Chelsea não iria ser capaz de potenciar todos os jovens que tinha emprestados e por isso alguns serão certamente vendidos no próximo defeso, ou emprestados novamente. O Hazard mais novo e Piazón cresceram muito esta época, mas muito dificilmente terão lugar em Stamford Bridge. Piazón ainda poderia justificar um novo empréstimo, mas Thorgan Hazard começa a ter futebol a mais para estar emprestado algures. No caso de Lukaku, o mais sensato para Mourinho seria apostar nele mas, caso seja vendido, Everton e Tottenham parecem bem colocados para o contratar. A melhor opção para o avançado belga, caso seja vendido, seria manter-se sob o comando de Martínez.

41. Enzo Pérez (Benfica) - Um jogador no ponto. É assim Enzo Pérez. Com 28 anos, Enzo parece estar naquela idade que garante total rendimento para o Benfica, mas pode (felizmente para os encarnados) afastar o interesse dos "tubarões" por não ser um jogador com mais 7/ 9 anos pela frente. O melhor jogador da época do nosso campeonato seria titular de caras no meio-campo da Argentina no Mundial, mas Sabella parece não contar com ele. Por um lado é uma boa notícia para o Benfica, tal como em certa medida o despedimento de David Moyes. Isto porque Moyes viajou à Luz no Benfica-Porto para ver Garay, mas saiu de Lisboa com Enzo na carta para o Pai Natal veranil. Dissemos "em certa medida" porque, embora Moyes tenha abandonado o clube, o interesse em Enzo parece ter ficado instalado em Old Trafford, e a sua super-exibição contra a Juventus certamente só terá ajudado. 30 Milhões parece ser o preço de um jogador... sem preço.

42. Alexis Sánchez (Barcelona) - Um jogador com a qualidade de Alexis não pode ser um jogador que joga de vez em quando. Terá que perceber nesta janela de transferências qual será o seu papel no Barcelona e caso continue a ser um jogador de rotação, há muitos e bons clubes capazes de dar bastante dinheiro para assegurar os serviços do chileno. Outro elemento do Barça que poderá acabar por viajar para outro clube é Césc Fábregas. Césc era um dos melhores médios do mundo quando estava em Arsenal e a sua cotação em Inglaterra mantém-se intacta. Teremos regresso de Fábregas à melhor liga do planeta, passará a ter outro papel na Catalunha ou vai continuar a passar ao lado de uma carreira excepcional? Também Cristian Tello pode mudar de ares neste defeso que se avizinha.

43. Nani (Manchester United) - Supostamente será um dos jogadores que integrará a lista de jogadores para vender na eminente revolução em Manchester. Nani está numa fase da carreira em que precisa realmente de ser titular e sentir-se importante numa equipa, mesmo que dê um passo atrás a nível de clube e de folha salarial. Para o bem dele, e de Portugal.

44. Lazar Markovic (Benfica) - Os moldes nos quais chegou à Luz levam a crer que poderá ser um novo Ramires. No entanto seria inteligente, para o seu próximo clube ou para o fundo que o colocou na Luz, deixá-lo mais uma temporada de águia ao peito. A 1.ª época de Markovic foi impressionante mas algo irregular. Tem tudo para explodir no Benfica em 2014/ 15 e caso consiga manter sempre um alto nível, o nível que apresenta normalmente nos grandes jogos, será um dos melhores do mundo. O Liverpool e o Chelsea estão à cabeça nos interessados, mas seria bom continuar a vê-lo por cá a gritar "Benfica Sempre!".

45. Alberto Moreno (Sevilha) - Outro dos destaques do Sevilha nesta época, tal como Rakitic. Fazio cresceu bastante, Jairo mostrou que caso seja aposta regular vai dar craque e no ataque Vitolo e Bacca foram um perigo à solta, mas deverão continuar no clube. Alberto Moreno é mais um dos laterais esquerdos da moda. E justifica-o todos os jogos.

46. Yevhen Konoplyanka (Dnipro) - Deverá, juntamente com Yarmolenko, comandar o futuro da Ucrânia e parece ser um desejo de Brendan Rodgers para o Liverpool. Esteve perto de acontecer em Janeiro, veremos se o sonho se torna realidade neste Verão.

47. Hulk | Axel Witsel (Zenit) - André Villas-Boas não os quererá perder por nada mas tanto o extremo brasileiro como o médio belga têm neste Mundial 2014 a grande oportunidade da carreira para "fugirem" da Rússia para um grande clube e um grande campeonato. O problema está, claro, no preço a pagar porque o Zenit não quererá ter prejuízo face ao que gastou para adquirir os jogadores ao Porto e Benfica.

48. Shinji Kagawa (Manchester United) - Nani parece já não fugir à lista de dispensas, com Kagawa o caso é diferente. O japonês também estará à partida no conjunto de transferíveis mas, face ao incrível talento e qualidade de último passe e decisão, e ao facto de ainda não ter tido realmente uma oportunidade de dar seguimento ao que representava em Dortmund, talvez a sua situação dependa da opinião do próximo treinador. O facto do M. United ter Juan Mata no plantel não joga a favor do japonês. Que Nemanja Vidic irá sair de Old Trafford já é garantido também, veremos para onde. Futebol italiano para o sérvio?

49. Jackson Martínez (Porto) - É o melhor marcador da liga portuguesa mas teve uma temporada para esquecer. Foi uma sombra do que pode ser, mas deverá abandonar o Porto neste Verão. Pinto da Costa já se pronunciou e referiu que Mangala, Fernando e Jackson deveriam sair em breve.

100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (1-24)
100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (50-75)
100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (76-100)

Suárez Jogador do Ano da Premier League; Hazard é o Jovem; Equipa do Ano anunciada

 Premier League - A associação de futebolistas profissionais (PFA) realizou hoje a cerimónia de entrega dos mais aguardados prémios da liga inglesa. Com a jornada 36 a decorrer e ainda sem sabermos quem será o campeão (Liverpool, Manchester City e Chelsea ainda podem levantar a taça), foram hoje divulgados o "Jogador do Ano", "Jovem Jogador do Ano" bem como o onze desta temporada.

Com o avançar da noite ficámos a saber que o melhor 11 de 2013/ 2014 foi:
  • Petr Cech (Chelsea); 
  • Seamus Coleman (Everton), Vincent Kompany (Manchester City), Gary Cahill (Chelsea), Luke Shaw (Southampton); 
  • Adam Lallana (Southampton), Steven Gerrard (Liverpool), Yaya Touré (Manchester City), Eden Hazard (Chelsea); 
  • Luis Suárez (Liverpool), Daniel Sturridge (Liverpool)
    Não nos iremos alongar na justiça ou não das nomeações para a Equipa do Ano. Em breve publicaremos os prémios BPF da Premier League e poderão ver que, na sua maioria, concordamos com as opções tomadas. É bom ver sobretudo a boa época do Southampton premiada, ao ter Lallana e Shaw no onze do ano. Eles que, muito provavelmente, rumarão a um clube inglês de maior dimensão neste Verão. No meio-campo e no ataque não havia outra hipótese se não escolher os 6 elementos que foram escolhidos, podendo-se apenas debater o centro da defesa. Na baliza o ano não teve um elemento que se destacasse de forma esmagadora, e é também positivo ver a explosiva época de Seamus Coleman reconhecida pela PFA.

    
    Relativamente ao Jovem Jogador do Ano e, claro está, ao prémio mais aguardado - o Jogador do Ano 2013/ 14 - a Associação de Futebolistas limitou-se a tomar as melhores opções. O extremo belga do Chelsea, Eden Hazard, foi considerado o Jovem do Ano, deixando Daniel Sturridge em 2.º lugar e o lateral esquerdo Luke Shaw em 3.º. No início da temporada este prémio parecia destinado a Aaron Ramsey mas a sua lesão e a regularidade exibicional (nivelada por cima) de Hazard, Sturridge e Shaw justificaram plenamente o pódio, tendo em conta os critérios utilizados na triagem, permitindo que sejam considerados jogadores ainda com 24 anos. Hazard fez a sua melhor época em Inglaterra e tem tudo para continuar a melhorar com Mourinho a melhorá-lo enquanto finalizador, Sturridge fez a melhor época da carreira até ao momento e Luke Shaw reúne todas as condições para na próxima época poder ser ele a ganhar esta distinção.

    A noite terminou então com a justiça a ser feita e com o uruguaio Luis Suárez a ser distinguido como Jogador do Ano da Premier League 13/ 14. A fantástica época de Suárez (jogador com mais golos e com mais assistências no campeonato) não poderia deixar ninguém indiferente. Esteve 6 jogos de fora, regressou com toda a determinação deste mundo e do outro e tornou-se um verdadeiro profissional de futebol. Um exemplo, um jogador esforçado, com uma qualidade técnica, recepção, finalização e criatividade de outro planeta. Nas próximas semanas veremos se o Liverpool consegue erguer a Premier League, conquista que hoje ficou um pouco mais complicada, mas ainda temos esperança que os reds e o seu capitão Steven Gerrard consigam a tão almejada conquista. A completar o pódio, Eden Hazard ficou no 2.º lugar e Yaya Touré fechou a contagem em terceiro.
    Quanto a nós, Yaya teria inevitavelmente que ser o segundo classificado uma vez que esta temporada foi o único jogador a conseguir "cheirar" os calcanhares de Suárez. O uruguaio, quando eleito vencedor, agradeceu à sua equipa dizendo que 95% da sua distinção se devia aos seus colegas em campo e à equipa técnica do Liverpool.

27 de abril de 2014

Praxe afasta Porto da final da Taça da Liga

FC Porto    0 - 0 (3-4 G.P.)    SL Benfica

    O Benfica foi hoje ao Dragão vencer o Porto nas grandes penalidades após estar em desvantagem numérica (novamente) desde a meia hora de jogo.
    Os novos campeões nacionais foram ao reduto do rival em "modo poupança" e alinhou apenas com 4 jogadores que actuaram no jogo contra a Juventus - Siqueira, André Gomes, Sulejmani e Cardozo. Já o Porto apresentou-se na sua máxima força fazendo regressar ao onze Quaresma e Defour - as duas únicas alterações após o último jogo frente ao Rio Ave. 
    O Benfica começou melhor apresentando uma troca de bola tranquila nos primeiros 5 minutos de jogo. Porém, logo a seguir o Porto assumiu o esférico e apontou as setas à baliza. Após um primeiro remate de Lima ao lado, começou o festival de desperdício de Jackson Martinez. Herrera deixou - pela primeira vez - Steven Vitória para trás e centrou em esforço para a cabeça do colombiano que não fez melhor do que atirar por cima. Herrera era de longe o melhor jogador em campo e - aos 14 minutos - descobriu Silvestre Varela à entrada da área isolando o extremo português. Contudo, o jogador do Porto não olhou para a baliza e acabou por errar o alvo. Mas não foi o único. Herrera voltou a passar por Steven Vitória no flanco esquerdo - com o luso-canadiano a falhar por pouco quer a bola, quer a cabeça do mexicano -, deu o golo a Jackson Martinez que apenas tinha que encostar, mas o colombiano disse "não" e atirou por cima preferindo entrar ele pela baliza a dentro. Teria sido um golo formidável se se tratasse de futebol humano! Aos 31 minutos surge um dos momentos do jogo. Jackson parte em boa posição do lado esquerdo do ataque azul e branco até que Steven Vitória seifa o avançado colombiano. Marco Ferreira acabou por exagerar e tirar do bolso o cartão vermelho excluindo o benfiquista da partida. A admoestação foi exagerada já que Jackson não ia em direcção à baliza e haviam mais dois jogadores do Benfica muito perto. Jorge Jesus foi obrigado a abdicar de uma das suas poupanças e lançou Ezequiel Garay no jogo em detrimento de Lima. Tal como o técnico acabou por confidenciar no fim, o jogo pedia a continuação de Lima, mas o jogo de quinta-feira em Turim pedia a sua poupança. O Benfica recuou as suas linhas e apresentou um jogo mais defensivo e tranquilo graças à presença de Garay. Até ao término do primeiro tempo nada houve a assinalar e assim surgiu o interregno.
    O Porto entrou para a segunda metade decidido a marcar, mas a verdade é que nos momentos decisivos não o era. A bola rondou muitas vezes a baliza de Oblak, mas o perigo não existia com a bola muitas vezes a morrer ou nas mãos ou punhos do esloveno. Varela e Herrera eram dos mais inconformados. Quaresma finalmente apareceu no jogo e - com a sua trivela - colocou a bola na cabeça de Jackson que apenas tinha a baliza pela frente. Todavia, o avançado do Porto parecia ter a cabeça na lua e era para lá que todas as bolas iam. Na ressaca a um canto, Herrera agarrou na bola e atirou um remate a razar a barra que - se entrasse - daria um grande golo. Seguiam-se falhanços atrás de falhanços o que ia alimentando a ansiedade dos jogadores do Porto. Notava-se que os jogadores não queriam perder o jogo, mas o relógio passava e abalava a confiança dos jogadores. Do outro lado, o Benfica estava tranquilo a apresentar um jogo ao estilo de José Mourinho muito por força da expulsão de Steven Vitória. O fim do jogo chegava ao som de assobios das bancadas que estavam desiludidos com a prestação da sua equipa. Mais uma vez em superioridade numérica e sem conseguir bater o rival Benfica. Chegavam assim as grandes penalidades já com a braçadeira de capitão em Jardel e com os olhos colocados em Fabiano e Oblak. 
    Aqui - se havia algum benfiquista calmo no seu sofá - era a hora de se levantar e sofrer com a equipa porque é quase impossível assistir a grandes penalidades sem o fazer. Nas primeiras grandes penalidades Garay e André Gomes falharam as suas grandes penalidades e Jackson e Maicon do lado do Porto. Jackson acabou por fechar com chave de ouro a sua má exibição atirando a bola para onde tinha a sua cabeça. Siqueira, Jardel e Enzo marcaram as restantes 3 grandes penalidades para o Benfica enquanto que Quintero, Ghillas e Varela consumaram para o lado do Porto. Surgiu então o mata-mata onde a pressão é ainda maior. Ivan Cavaleiro, com um enorme peso nas costas por se tratar de uma grande penalidade de "vida ou morte", não tremeu e atirou fora do alcance de Fabiano. Por fim, Fernando colocou um ponto final na única aspiração do Porto ganhar algo este ano atirando ao poste e dando azo à festa benfiquista no Dragão em jeito de vingança. 
    O Porto já conta com 3 eliminações a jogar contra 10 elementos durante largos minutos esta época. Duas perante o Benfica e uma perante o Sevilha. Mais uma vez apresentaram-se nervosos e com o passar do tempo, com as oportunidades constantemente desperdiçadas, alimentaram a ansiedade que era combatida por uma tranquilidade exímia por parte do Benfica. Grande trabalho de Jorge Jesus e dos jogadores do Benfica que mostraram uma solidariedade enorme durante toda a partida. Do lado do Benfica, apenas Steven Vitória merece destaque claramente negativo. Do lado do Porto apenas se pode destacar Herrera. Era o "jogador mais" do Porto e o único a criar dores de cabeça à defesa encarnada. Pelo menos enquanto Steven Vitória esteve em campo. Oblak foi muito seguro na baliza e fundamental nas grandes penalidades. Jardel e Garay foram irrepreensíveis e André Gomes e Rubén Amorim foram fundamentais à frente dos dois defesas.
    O Benfica enfrenta agora o Rio Ave na final da Taça da Liga, final essa que se repetirá no Jamor no dia 18 de Maio. É caso para dizer que - quase sem querer (por estar a pensar na meia final em Turim) - o Benfica está em mais uma final. Uma época boa se olharmos para os feitos até agora - Campeão Nacional, uma meia-final da Liga Europa e duas finais nas Taças Internas.

Barba Por Fazer do Jogo: Jan Oblak (Benfica)
Outros Destaques: Herrera; Garay, Jardel, André Gomes, Ruben Amorim, Siqueira. 

100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (50-75)

A época está a acabar, o Mundial está aí à porta e os rumores de transferências de jogadores (no estrangeiro e em Portugal) já começaram a ganhar forma. Num exercício especulativo, deixamo-vos 100 palpites de jogadores que irão agitar o próximo Verão, e algumas considerações. Tanto jogadores que pelo que fizeram nos seus campeonatos despertarão a cobiça, como elementos que têm tudo para fazer um bom Mundial ou ainda alguns jogadores que se deverão tornar excedentários nos seus plantéis.
    São palpites, e apenas isso, mas são 100 nomes a ter em conta, porque vão estar no radar de muitos emblemas.
    Neste segundo artigo, os destaques do lugar 50 ao 75.

50. James Rodríguez (Mónaco) - Tem sido o melhor jogador do clube do Principado e, caso Falcao não vá ao Mundial, vai garantidamente carregar a Colômbia às costas. Vai terminar a temporada como um dos jogadores com mais assistências nas principais ligas europeias, contabilizando neste momento 12 tal como Reus, Bale, Fábregas e Suárez, e tendo apenas menos que Koke e Di María, com 13 e 14 assistências respectivamente. Ainda não é perceptível qual é a noção que os grandes clubes europeus têm do talento de James, mas o Mundial servirá para aguçar o apetite de muitos relativamente ao camisola 10 da Colômbia. Ainda assim, e tal como Falcao, o Mónaco quererá manter os seus melhores jogadores agora que o seu chorudo projecto alcançou lugar de Champions.

51. Nico Gaitán (Benfica) - Mercado nunca lhe falta, mas tem sido menos referido curiosamente na melhor época da sua carreira. Fez-se jogador, tornou-se regular e maduro a nível competitivo. Inteligente do ponto de vista táctico. Qualquer benfiquista desejará que Enzo e Gaitán continuem. Seria uma pena Gaitán ser vendido no ano em que mudou a postura, finalmente percebeu o que representava o Benfica e no qual disse pela 1.ª vez que gostaria de continuar no clube nos próximos anos.

52. Dedé (Cruzeiro) - Em tempos falado para o Benfica, o central brasileiro já não deverá estar ao alcance das águias (nem o Benfica quereria caso consiga manter Garay ao lado do capitão Luisão) mas outros clubes talvez estejam dispostos a pagar o necessário.

53. Edin Dzeko (Manchester City) - Por incrível que pareça, Negredo é neste momento o avançado com maior probabilidade de se manter em Manchester. Agüero poderá acordar alguns gigantes europeus e Dzeko poderia ser o sucessor de Lewandowski em Dortmund. Pellegrini parece querer continuar a contar com o avançado bósnio mas a Bósnia tem tudo para fazer um bom Mundial, ao ritmo de Miralem Pjanic e com os golos de Dzeko e Ibisevic. A ambição de Dzeko de deixar de ser o jogador que salta do banco para marcar pode pesar.

54. Josip Drmic (Nürnberg) - Mais provável do que Dzeko seria o Dortmund contratar Drmic. O jovem avançado suiço seria uma opção claramente mais em conta e tem sido bastante falado, mesmo depois de se saber que Klopp contará com Adrián Ramos no seu plantel da próxima época. Que mercado terá o brasileiro Raffael (Gladbach) e sobretudo o compatriota Roberto Firmino (Hoffenheim)?

55. André Gomes (Benfica) - Um cenário semelhante ao de Rodrigo (surgirá uns lugares acima). Um jogador com o qual o Benfica já fez dinheiro, e que por esta altura - leia-se, depois do Benfica-Porto - terá vários clubes interessados. Mónaco, Nápoles, clubes espanhóis, clubes ingleses... Ainda lhe falta conseguir jogar sempre como joga nos grandes jogos. Tal como Rodrigo, seria bom o Benfica conseguir manter André Gomes. Mas parece não estar nas mãos (asas) das águias.

56. Will Hughes (Derby County) - Com 19 anos, o médio de 1,85m é já um dos jovens ingleses com mais mercado na Premier League. Está mais do que pronto para dar o salto e será um garante de consistência no meio-campo da equipa pela qual assinar. Os rivais de Liverpool já foram associados ao jogador.

57. Wilfried Bony (Swansea) - A primeira época de Bony no Swansea correspondeu às expectativas. Embora a equipa do País de Gales tenha feito um campeonato muito abaixo do que tinha obrigação, salvou-se Bony. E estes 2 factos (boa época de Wilfried Bony e má época do Swansea) podem levar um clube doutro "campeonato" (Tottenham, por exemplo) a tentar contratar o avançado da Costa do Marfim. Benteke seria também uma opção com perfil semelhante que muitos considerariam mas a sua lesão deverá mantê-lo no Aston Villa.

58. Asmir Begovic | Ryan Shawcross (Stoke) - O guardião bósnio é indiscutivelmente um dos melhores guarda-redes a jogar em Inglaterra. Tem-se mantido no Stoke mas com a qualidade, reflexos e consistência que apresenta, o futuro reserva-lhes um emblema com outro peso. Está na hora dele, e o Mundial deve valorizá-lo. Relativamente a Shawcross, o raciocínio é em parte o mesmo. Esteve abaixo da sua incrível época de 2012/ 13 mas está a chegar àquela altura em que ou sai agora ou já não sai mais do Stoke. Uma incógnita a sua transferência, mas uma certeza o seu valor. Um grande central inglês.

59. Guilherme Siqueira (Granada) - Será que o Benfica irá desembolsar 7 milhões (opção de compra) para contratar Siqueira? O lateral brasileiro parece rendido a Lisboa e à dimensão do clube da Luz mas, caso o Benfica não esteja disposto a pagar tanto, terá garantidamente mercado e o Granada fará sempre dinheiro com ele neste Verão.

60. Kevin Volland (Hoffenheim) - Foi uma das revelações da Bundesliga e parece preparado para dar o salto. Embora não lhe fizesse mal ficar mais uma temporada no Hoffenheim, não temos noção quanto estariam os grandes clubes dispostos a pagar já pelo alemão. Certo é que se deixarem passar um ano, Volland será mais caro. Assentava que nem uma luva no Dortmund, resta saber se o clube amarelo e preto tem capacidade financeira para o contratar.

61. Memphis Depay (PSV) - A temporada do PSV tem sido negativa, mas Depay tem sido um dos factores positivos. Vai ao Mundial pela Laranja Mecânica e estará certamente no conjunto de 13/ 14 jogadores mais utilizados por Van Gaal durante a competição. É jovem (20 anos) mas a sua qualidade não engana e não deixa ninguém indiferente.

62. Domenico Berardi (Sassuolo) - Pertence, supostamente, em regime de co-propriedade (uma daquelas manhas estranhas dos italianos) ao Sassuolo e à Juventus. Com a excelente época que está a ter pelo Sassuolo e atendendo ainda à sua tenra idade (19 anos) a melhor opção seria a Juventus ficar com 100% de Berardi. Um dos grandes avançados do futuro no futebol europeu.

63. Bruno Martins Indi (Feyenoord) - Titular da Holanda, excelente jogador do Feyenoord (de volta ào seu nível de outrora) e mais um dos defesas que merece outros palcos.

64. Manuel Fernandes (Besiktas) - O médio português, um daqueles jogadores que merecia ter outra cabeça e que poderia ter tido outra carreira, acaba contrato em Junho. Há rumores na imprensa turca de que o Porto irá contar com o jogador formado no Benfica em 2014/ 2015. Seria uma contratação à Porto, que faz sentido a vários níveis.

65. Rémy Cabella (Montpellier) - Há uns tempos eram Belhanda e Giroud que brilhavam no clube que ganhou a Ligue 1 em 2011/ 2012, mas agora é Cabella o craque por aquelas bandas. Encaixa na política de transferências do Newcastle, mas terá certamente outros clubes interessados. Também a militar no futebol francês, o avançado camaronês Vincent Aboubakar (22 anos) poderá fazer as malas e sair do Lorient. Fez uma boa época e, a par com Alex Song, talvez seja um dos destaques dos Camarões no Mundial.

66. Danny Ings (Burnley) - o Burnley garantiu a subida à Premier League e muito deve à sua dupla de avançados - Vokes e Ings. O galês Sam Vokes, camisola 9 e 24 anos, tem algum mercado mas Danny Ings, camisola 10 e 22 anos, tem ainda mais e poderá chegar à Premier League mas para representar outro clube que não aquele que ajudou a promover.

67. Valentin Stocker (Basel) - Ano após ano a transferência de Stocker parece estar prestes a acontecer mas nunca se consuma. É um dos jogadores mais cotados do Basel, equipa com bastante reputação nas competições europeias recentemente, e em ano de Mundial poderá finalmente ser transferido. Bundesliga ou Premier League?

68. Daniel Agger (Liverpool) - Brendan Rodgers quererá ter um lateral esquerdo novo, mas talvez também queira um novo central. Skrtel é intocável para o fantástico técnico dos reds mas nesta recta final de época (também graças às lesões do dinamarquês) Sakho parece ter o lugar mais certo do que Agger. Daniel Agger, caso esteja no mercado, poderia ser uma opção mais económica do que Hummels ou David Luiz para o Barcelona, mas não é garantido que o Liverpool o venda. Ficar com Skrtel, Agger e Sakho seria o mais sensato.

69. Neto (Zenit) - Demorou a jogar sob o comando de Villas-Boas mas não tem o seu lugar seguro. É sabido que o Zenit quer Ezequiel Garay e Neto já foi insistentemente associado ao Benfica. É um central de qualidade mas, nesta conjuntura, apenas há a referir que Garay merece melhor destino do que os petro-dólares do Zenit.

70. Adam Johnson (Sunderland) - A inclusão de Adam Johnson nesta lista fará mais sentido caso o Sunderland desça de divisão. Johnson é craque e simplesmente não pode jogar no segundo escalão em Inglaterra. Mesmo que o Sunderland se aguente na Premier League, Adam Johnson merece estar num clube capaz de lutar pela Europa. Seria, por exemplo, um bom jogador para o Southampton, embora os saints tenham vários jogadores na formação com potencial capazes de jogar no flanco. O próprio Tottenham ficaria bem servido com o ex-jogador do Manchester City, que simplesmente não sabe jogar mal, e "à Robben", os seus movimentos são sempre os mesmos, mas resultam sempre.

71. Ashley Cole (Chelsea) - A probabilidade de permanecer no Chelsea é alguma coisa como 1%. Mourinho deu justamente a titularidade a Azpilicueta e Ashley Cole irá procurar novo clube no Verão. Um regresso ao Arsenal, uma estranha opção do Liverpool, um passo atrás no universo de clubes ingleses ou uma aventura no estrangeiro?

72. Loïc Rémy (QPR) - É de certeza um dos desejos de Alan Pardew para o Newcastle de 2014/ 15, mas Rémy parece querer um futuro mais significativo para si. Pouco fiel e com pouca vontade de permanecer no mesmo clube muito tempo, Rémy acha que merece um clube com outro estatuto, mas permanecer no Newcastle (mas a título definitivo) seria porventura a melhor opção. Garantido é que o QPR não conseguirá aguentar o francês.

73. Kevin Kampl | Alan | Sadio Mané (Red Bull Salzburg) - A grande época do clube austríaco vai levar a que a Direcção seja inundada com propostas, desmanchando-se uma equipa com uma capacidade ofensiva extraordinária. O treinador (Roger Schmidt) vai treinar o Bayer Leverkusen em 2014/ 15 e poderá eventualmente levar alguns elementos consigo. O extremo esloveno (falado já como hipótese para o Fenerbahçe), o avançado brasileiro e o velocista do Senegal são apenas 3 exemplos de jogadores que evoluíram, num plantel onde ainda se destacou Jonathan Soriano (com 28 anos a referência do Salzburg pode fazer o último grande contrato da carreira) e veremos qual o caminho dos jovens Valon Berisha e Martin Hinteregger.

74. Ander Herrera (Athletic Bilbao) - O Bilbao está a fazer uma boa temporada e Ander é um daqueles jogadores que enche o olho. Há vários bascos que podem mexer com a carteira dos melhores clubes europeus (Muniain, por exemplo, já teve mais mercado mas toda a gente sabe que é craque) e Ander Herrera é um daqueles jogadores que garante uma qualidade em posse assombrosa.

75. Alfred Finnbogason (Heerenveen) - O máximo goleador do futebol holandês (donde normalmente saem bons jogadores, embora pouco preparados para ligas mais intensas, a bom preço) já deve estar no radar de muitos clubes desde o início da época. Eminente um razoável encaixe financeiro para o Heerenveen, num ano em que também Aron Jóhannsson e Luc Castaignos se destacaram como goleadores na liga holandesa. Noutra liga, a belga, será Michy Batshuayi a mexer com o mercado, ele que já foi dado como pretendido por águias e dragões.

100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (1-24)
100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (25-49)
100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (76-100)

Vitória "à Mourinho" complica sonho do justo campeão Liverpool

Liverpool  0 - 2  Chelsea (Demba Ba 45', Willian 90')

    O Liverpool vinha de 11 vitórias consecutivas na Premier League e não perdia desde 29 de Dezembro quando foi derrotado... em Stamford Bridge. Em Anfield os reds escorregaram, literalmente, e uma abordagem típica de José Mourinho nos grandes jogos ditou o resultado final. O Chelsea ofereceu o jogo à equipa da casa - até porque se não tivesse declaradamente oferecido, Mourinho sabia que perderia o jogo - e marcou, à serial killer (ou serial winner), no final da 1.ª e da 2.ª parte. Mourinho, tendo em vista a segunda mão da Champions com o Atlético, deixou de fora David Luiz, Oscar, não contou com Ramires suspenso, Cech, Terry e Hazard lesionados e deixou no banco Gary Cahill e Willian, mas ganhou.
    O fantástico ambiente de Anfield, possivelmente o estádio mais romântico para os verdadeiros amantes de futebol, viu Coutinho ter o primeiro lance de perigo. Suárez trabalhou no lado direito e com um grande passe descobriu o brasileiro, que rematou à malha lateral. Cedo se percebeu que o jogo teria resumidamente um sentido, a baliza de Schwarzer, com o Liverpool a ter uma esmagadora posse de bola e a rematar bastante mais. As transições do Chelsea resumiam-se a 3 homens (Schürrle, Salah e Ba) com o trio Matic, Mikel e Lampard sempre muito próximo da defesa, hoje comandada por Ivanovic. Aos 38' os jogadores do Chelsea pediram penalty por uma mão de Flanagan, mas Martin Atkinson fez bem em não assinalar - um árbitro rigoroso poderia considerar grande penalidade, mas estragar um dos jogos do título inglês com uma mão polémica era mau. Suárez e companhia continuaram a tentar comprar bilhete para o autocarro do Chelsea, e as constantes perdas de tempo do Chelsea ditaram que o árbitro compensasse os reds com 3 minutos de compensação. Rigorosamente no último minuto de descontos, o capitão Steven Gerrard escorregou (personificação literal da "escorregadela" do Liverpool) e Demba Ba teve via aberta rumo à baliza de Mignolet. O senegalês não perdoou e pôde ajoelhar-se e beijar a relva, como sempre faz. O resultado ao intervalo beneficiava a equipa que procurou defender praticamente em exclusivo, esperando o erro do adversário. Erro esse que o Liverpool não merecia cometer, e muito menos na pessoa do seu capitão, Gerrard, o elemento que mais merece erguer a taça de campeão.
    A 2.ª parte mostrou-nos mais do mesmo. O Liverpool continuou a ter a iniciativa, mas progressivamente foi revelando alguma imaturidade, com os jogadores a ficarem frustrados perante a muralha montada por Mourinho, numa estratégia hiper-defensiva mas eficaz, e algumas más decisões a surgirem mediante a gigante vontade de mudar o rumo do jogo. Gerrard, querendo redimir-se, começou a rematar mais vezes do que o normal (a maioria das vezes com sentido, outras não) e quando o esférico ia com perigo à baliza Schwarzer dizia presente - foi o caso dos remates de Joe Allen e Gerrard. Rodgers colocou Sturridge, Mourinho respondeu com Willian, e aos 63' valeu Mignolet com um excelente estirada a impedir que Schürrle fizesse o 0-2 numa diagonal. A experiência do Chelsea ia valendo, afundado cada vez mais atrás, e fazendo o Liverpool desnortear-se com o passar dos minutos. José Mourinho manteve o seu plano de jogo - que lhe estava a correr de feição -, colocou Gary Cahill passando a ter uma linha de 5 defesas, e Rodgers trocou Flanagan por Iago Aspas (uma desnecessária substituição, como se veio a verificar). Nos minutos finais o Liverpool colocou a circulação de parte e tentou jogar directo, subiu praticamente toda a equipa, mas acumulou erros e opções sem nexo: Iago Aspas começou a marcar (mal) os cantos, quando estavam em campo Coutinho, Gerrard e Suárez para o fazer; Sakho e Glen Johnson coleccionaram más abordagens, e no último minuto do período de compensação Sturridge perdeu a bola e deixou meio-campo para Fernando Torres e Willian correrem sozinhos. Uma perda de bola de um ex-Chelsea originou o contra-ataque do ex-Liverpool El Niño, tendo o espanhol dado o golo a Willian. Depois de vencer em casa do Manchester City por 1-0, Mourinho conseguiu levar o Chelsea a vencer em Anfield por 2-0. O treinador português não joga bonito, não ganha bonito, mas muito poucos têm a capacidade dele nos grandes jogos.

    Se o Liverpool vencesse hoje ou, no mínimo empatasse, continuava a ser o principal favorito na Premier League. Mourinho terá ajudado, sobretudo, o Manchester City. Os citizens vencendo os 2 jogos que têm a menos neste momento saltam para o 1.º lugar por terem superior goal average. Claro está que Mourinho conseguiu ainda que a sua equipa se mantenha viva e com algumas aspirações até ao fim, esperando algum erro de Liverpool ou City. Tanto Liverpool como City têm que jogar no terreno do Crystal Palace (o City está a vencer lá 1-0 neste momento, o pool joga na próxima jornada). Um dos jogos mais importantes desta Premier League passará a ser o Everton-Manchester City de 3 de Maio - o dia em que o Everton pode ajudar o maior rival a chegar ao título. Como havíamos dito há umas semanas, o título vai-se decidir nos jogos em Liverpool (como hoje foi exemplo disso).
    A nível individual, vários jogadores do Liverpool não compareceram na hora H. Gerrard, Suárez e Sterling ficaram frustrados perante a profunda defesa do Chelsea, e Coutinho talvez seja o melhor elemento da equipa da casa. No Chelsea, toda a defesa fez um incrível trabalho, fechando todos os caminhos possíveis e imaginários. Matic foi importantíssimo à frente da defesa e juntamente com Obi Mikel engoliram tacticamente Suárez, Schwarzer tal como em casa do Atlético Madrid não sofreu golos, Ivanovic foi o patrão da defesa e Azpilicueta foi mais uma vez impressionante. Ofensivamente apareceram nos momentos certos os jogadores certos (Schürrle e Ba, sobretudo), mas talvez o maior elogio hoje deva ser feito ao jovem central checo Tomas Kalas. Com 20 anos teve o seu 1.º jogo (e que jogo!) na Premier, não falhou e mostrou como os jogadores de Mourinho - sobretudo do ponto de vista táctico e físico - se transcendem nestes momentos chave.

Barba Por Fazer do Jogo: Tomas Kalas (Chelsea)
Outros Destaques: Coutinho; Schwarzer, Ivanovic, Azpilicueta, Matic, Mikel

26 de abril de 2014

100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (76-100)

A época está a acabar, o Mundial está aí à porta e os rumores de transferências de jogadores (no estrangeiro e em Portugal) já começaram a ganhar forma. Num exercício especulativo, deixamo-vos 100 palpites de jogadores que irão agitar o próximo Verão, e algumas considerações. Tanto jogadores que pelo que fizeram nos seus campeonatos despertarão a cobiça, como elementos que têm tudo para fazer um bom Mundial ou ainda alguns jogadores que se deverão tornar excedentários nos seus plantéis.
    São palpites, e apenas isso, mas são 100 nomes a ter em conta, porque vão estar no radar de muitos emblemas. Neste primeiro artigo, poderão ver os primeiros 25 destaques.

76. Alex Song (Barcelona) - Será possivelmente um dos poucos destaques dos Camarões num grupo do Mundial onde Brasil e Croácia deverão seguir em frente. Todos temos saudades do médio que era Alex Song na sua derradeira época no Arsenal. Um regresso a Emirates ou uma transferência para um clube onde possa jogar a médio centro seriam positivos, isto caso ele se insira nos elementos vítimas de "vassourada" em Camp Nou.

77. Rafa (Braga) - Um diamante português em desenvolvimento. Quer no centro, quer na esquerda, o jovem do Braga já deliciou os adeptos logo na sua 1.ª época e concorrentes não faltarão ao Porto caso os dragões o queiram comprar. Com encaixes avolumados prestes a acontecer (Jackson, Fernando, Mangala) o Porto terá dinheiro para gastar e Rafa incorpora na perfeição o método de aquisições habitual do clube da Invicta. O Porto irá ainda assim enfrentar uma vasta concorrência de clubes com capacidade financeira. O Mónaco já foi associado ao jogador, bem como a Roma, outros clubes italianos e alguns alemães. Não se deve também retirar para já o Benfica da equação.

78. Mattia De Sciglio | Riccardo Montolivo (AC Milan) - Nos dois casos é improvável que abandonem Milão, mas o Mundial pode mudar as coisas. Montolivo é muito respeitado e acarinhado actualmente pelos adeptos mas, uma vez que poderá surgir em bom plano no Mundial, podem surgir propostas de clubes que lhe garantam maior sucesso desportivo. De Sciglio, o "novo Maldini" (um exagero para já, claro) é um nome a reter sobretudo se tiver bastantes minutos no Mundial. Com 21 anos tem um futuro muito prometedor mas tirá-lo do clube no qual se formou não será fácil.

79. Tom Ince (Blackpool) - O filho do histórico Paul Ince vai garantidamente provocar muitas dores de cabeça e encher páginas de jornais em Inglaterra. Está emprestado ao Crystal Palace, Pulis quer contar com ele a título definitivo, mas não lhe tem dado uma motivadora titularidade absoluta. Ince poderá assim ponderar outras propostas, e vai de certeza assinar por um clube da Premier League.

80. Fabian Schär (Basel) - Mais um dos centrais do futuro, mais um suiço que vai estar no Brasil e que tem cada vez mais mercado. Exímio marcador de grandes penalidades, muito forte no jogo aéreo e com grande estampa física, Schär não durará muito mais tempo no seu país.

81. Bebé (Manchester United) - Pertence ao Manchester United, está emprestado ao Paços Ferreira. Todavia, depois da sua melhor época de sempre, está na altura de Bebé assinar por um clube português capaz de o fazer dar o salto. O potencial está lá todo, mas ainda falta ser constante e aceitar que teve um hype desmedido e precoce sem justificação. Os 3 grandes são candidatos. Sporting e Porto seriam cenários mais adequados, mas o Manchester United pode querer incluir Bebé caso negoceie William Carvalho ou Garay com leões e águias, respectivamente.

82. Gareth Barry (Manchester City) - Não há muito a dizer neste caso. Depois da brilhante época que está a ter no Everton, por empréstimo do City, a melhor opção seria rumar ao Everton de vez. A qualidade que a dupla Barry-McCarthy confere será algo que Martínez não quererá abdicar no Everton versão 14/ 15.

83. Éverton Ribeiro (Cruzeiro) - Que é craque ninguém duvida, mas falta-lhe provar que é capaz de mostrar na Europa, a um ritmo e intensidade totalmente diferentes, aquilo que faz dele um dos melhores do Brasileirão.

84. Álvaro Morata (Real Madrid) - É um alvo de mercado consistentemente associado ao Arsenal e a equipas italianas e talvez saia mesmo neste defeso. O Real parece querer comprar um avançado e o espaço de manobra de Morata no plantel merengue pode ficar menor, até porque a evolução (embora travada pela lesão) que Jesé conseguiu ter, Morata ainda não a teve.

85. Alexandru Maxim (Estugarda) - Pouco falado e com "pouca imprensa", Maxim tem sido um dos principais destaques do Estugarda neste ano e, dada a má classificação do clube alemão, vários jogadores poderão rumar a outras equipas. O romeno Maxim é um dos exemplos, ao qual se juntam Harnik, o jovem avançado Timo Werner e o japonês Sakai. No seu país de origem, os jovens Stanciu e Iancu do Steaua podem também despertar alguma cobiça, embora ainda estejam uma fase bastante precoce da carreira.

86. Mateo Musacchio (Villarreal) - Depois de algumas épocas sem conseguir mostrar o seu real valor, Musacchio foi peça importante na boa temporada do Villarreal na La Liga. Teve uma evolução semelhante à de Fazio no Sevilha e poderá ser objectivo de equipas de nível médio alto no panorama europeu.

87. Dória (Botafogo) - Tal como Dedé, é um dos grandes centrais do futebol brasileiro. É mais novo e por isso tem também mais tempo para sair do Brasil mas veremos o que o futuro lhe reserva. Portugal não seria um destino impossível, visto que cada vez mais os empresários e fundos brasileiros encaram o futebol português como um campeonato no qual o jogador se adapta rapidamente, tendo uma rampa a curto-médio prazo.

88. Éder (Braga) - Saindo do Porto Jackson Martínez, Éder será garantidamente uma das primeiras opções que passará pela cabeça de Pinto da Costa e da Direcção portista. Reúne todas as condições para ser o avançado titular de Portugal e uma transferência para o Porto seria um passo importante na sua carreira. Será que teremos novo Porto-Benfica na luta por um jogador?

89. Matthias Ginter (Friburgo) - Diversas vezes associado ao Arsenal, Ginter está a crescer de época para época e poderá ser no Verão de 2014 que dá o salto. Premier League ou um clube melhor da Bundesliga (foi já várias vezes associado também ao Dortmund)?

90. Evandro (Estoril) - Marco Silva deve despedir-se no fim da época de um dos seus melhores jogadores. Evandro joga, faz jogar e a sua reputação tem crescido a olhos vistos. O destino é ainda incerto, com clubes portugueses, espanhóis, franceses e do leste europeu interessados no jogador.

91. Aymeric Laporte (Athletic Bilbao) - Talento não falta ao jovem central basco do Athletic Bilbao. Laporte tem sido associado ao Barcelona e é juntamente com Ander um dos jogadores mais pretendidos do Bilbao. Quem o adquirir estará a comprar um dos futuros centrais de La Roja, mas sendo tão novo talvez fique no seu clube mais uma ou duas épocas.

92. Joel Campbell (Arsenal) - Contratado pelo Arsenal, Joel Campbell mostrou ter valor quando emprestado ao Lorient e reforçou essa qualidade esta época no Olympiakos. Vai estar no Mundial pela Costa Rica (a tal selecção que está inserida no grupo com Uruguai, Inglaterra e Itália) e até pode acontecer que o Arsenal conte com ele.

93. Paulo Oliveira (Vit. Guimarães) - É indiscutivelmente um dos melhores centrais portugueses da sua geração e o Guimarães não o conseguirá aguentar por muito mais tempo. Fala-se do interesse do Sporting e seria uma excelente aquisição para a turma de Leonardo Jardim. As exageradas mas compreensíveis comparações com Ricardo Carvalho fazem-no ser também um possível alvo do Porto.

94. Derley (Marítimo) - Quando um jogador consegue ter o impacto que Derley teve no nosso campeonato na sua 1.ª época, o salto para um grande torna-se uma hipótese não tanto remota. O Sporting contratou Héldon e poderá agora tentar juntar Derley aos seus quadros. Certo é que os leões precisam de comprar bem e barato, e têm privilegiado o mercado interno, e o Sporting precisa de um plantel com mais soluções caso queira elevar a fasquia e os seus objectivos na próxima época.

95. Ross McCormack (Leeds United) - O máximo goleador do Leeds e do Championship está a chegar àquele momento da carreira em que o seu futebol pede Premier League. O Leeds teima em não subir, mas McCormack (que esteve perto de assinar pelo Sunderland no Inverno) tem que subir de escalão. É uma boa opção tanto para as equipas promovidas como para algumas que já estão na Premier League.

96. Ricardo (Académica) - O guardião da equipa de Coimbra termina contrato em Junho e vai-se tornar um jogador livre para decidir o seu futuro. Já se falou no interesse do Porto mas, tendo os dragões Hélton e Fabiano, o Braga seria, achamos nós, uma opção melhor para a carreira de Ricardo. Isto tendo em conta que Eduardo está emprestado pelo Génova e a sua época não justificou propriamente a compra em definitivo.

97. Candeias (Nacional da Madeira) - Daniel Candeias vai garantidamente rumar a outras paragens neste defeso. Rei das assistências no nosso campeonato, Candeias foi já várias vezes falado para reforçar o Braga e talvez isso venha mesmo a tornar-se uma realidade neste Verão. Tanto ele como Pedro Moreira (Porto B) são desejos de António Salvador para recuperar o estatuto alcançado pelo Braga e perdido nesta época graças a vários erros. Foram também já dadas notícias de um interesse do Benfica, a aproveitar a saída a custo zero do jogador português. É mais provável Candeias rumar a Braga, mas a Luz não é um destino impossível (ainda não é perceptível a dimensão da "nacionalização" de que LFV falou, e o Benfica até pode querer antecipar-se comprando Candeias para depois o utilizar como moeda de troca).

98. Adriano (Gil Vicente) - Outro dos grandes guarda-redes do nosso campeonato e que também termina contrato em Junho. Adriano faz defesas impossíveis, surge sempre em bom plano contra os grandes e evitou o descalabro em vários jogos. Outra boa hipótese para o Braga, também com 31 anos tal como Ricardo.

99. Sami (Marítimo) - Foi dado como certo no Sporting mas os leões já negaram taxativamente que Sami venha a fazer parte do plantel da próxima temporada. Sami vai sair a custo zero do Marítimo em Junho e qualquer clube da liga portuguesa ficaria bem servido com o jogador guineense. Temos a sensação que seria capaz de lidar bem com grandes palcos, sem acusar o peso da camisola, e sempre nos pareceu um jogador que o Porto tentaria contratar. Estoril (seria uma grande contratação, e encaixava na perfeição no modelo de jogo) e Braga seriam outras opções. Danilo Dias termina contrato também em Junho e o Braga, mais neste caso, parece ser um destino bastante lógico.

100. Ali Ghazal (Nacional da Madeira) - O médio defensivo egípcio do Nacional despertou a cobiça de Sporting e Porto. Com as vendas a curto prazo de William e Fernando, Ghazal parece ser forte candidato a sucessor de ambos. Anderson Esiti, do Leixões, parece ter no entanto maior qualidade, mas ao contrário do egípcio não tem ainda experiência de primeiro escalão. Filipe Augusto (Rio Ave) será outro médio bastante abordado nos próximos tempos, numa equipa que chegou a 2 finais e na qual elementos como Marcelo, Ukra e Hassan também terão visto a sua cotação crescer.

100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (1-24)
100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (25-49)
100 Alvos de Transferência no mercado de Verão (50-75)