Previsões Óscares 2018 (Actualizado a 01/10/17)

Que filmes devem ter debaixo de olho? As previsões dos Óscares 2018 estão de volta e trazem Christopher Nolan, Daniel Day-Lewis, Gary Oldman, Saoirse Ronan, Sally Hawkins, Frances McDormand, Willem Dafoe e Sam Rockwell.

Emmys Barba Por Fazer 2017

A 12 de Julho apresentámos os nossos nomeados, diferentes da Academia de Televisão, Artes e Ciências. Estes são os vencedores, num mundo paralelo onde Better Call Saul, Carrie Coon, Aden Young, Michael McKean e Master of None são reconhecidos.

TOP | Melhores Contratações da Liga NOS

Num defeso modesto, praticamente sem Porto, o Sporting foi quem melhor se movimentou. O Benfica perdeu jogadores-chave na defesa e reforçou-se bem.. no ataque.

TOP | Melhores Contratações da Premier League

O Barba Por Fazer ordenou as principais transferências do defeso inglês num campeonato que movimentou 1,6 mil milhões de euros.

Crítica: Dunkirk

Não é o melhor filme de Christopher Nolan, mas é o melhor desde os últimos óscares. Se só puderem ir ao cinema uma vez até ao fim de 2017, escolham a experiência que é ver Dunkirk.

30 de setembro de 2013

Breve Olhar sobre as Autárquicas 2013: Isaltino e os outros

Portugal é o país no qual em noite eleitoral a Casa dos Segredos 4 supera o share das edições de noite eleitoral nos restantes principais canais da grelha televisiva nacional. Só isto chegaria para se perceber o povo português, embora normalmente as Autárquicas sejam menos badaladas do que as Legislativas ou as Presidenciais. Felizmente ainda não chegámos à altura em que a abstenção de voto é inferior à abstenção de ver o main event da TVI.

    Em linhas gerais vimos o PS a conseguir quase metade das principais câmaras, o PSD teve um péssimo resultado (pior de sempre) mas embora essa derrota seja um ligeiro recado ao governo não há uma transposição 100% linear das mesas de voto nestas autárquicas para as próximas legislativas. Assistimos sim a um fortalecer da CDU (capitalização no Alentejo) e uma boa notícia: as vitórias independentes.
    Enquanto demasiada gente preferia ver o irmão gémeo do Marco a entrar na Venda do Pinheiro, ficávamos a saber que o António Costa limpou Seara e concorrência, deixando Lisboa inequivocamente sua. O socialista de origem goesa deixou um recado a Seguro, parecendo Costa nesta altura a figura mais forte no seio do seu partido. Poder-se-ia dizer que não só Costa derrotou Seara como Judite Sousa também o derrotou, tal foi o "barulho" que conseguiu fazer nas revistas sobre o divórcio, prejudicando claramente o candidato ex-Sintra.
    Nos 5 maiores municípios (Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia, Cascais e Sintra) o PSD tinha até ontem quatro. Após o dia de ontem, ficou apenas com Cascais, perdendo directamente para o PS (Eduardo Vítor Rodrigues) a câmara de V.N. de Gaia, na tal câmara onde Manuel Almeida queria que os ninjas tomassem o poder. O Porto foi mesmo o destaque maior da noite eleitoral de ontem ao assistirmos à vitória do independente Rui Moreira (homem de raciocínio lógico, ideias e intelecto interessantes), deixando Luís Filipe Meneses em 3.º lugar.
    Em Cascais, Carreiras (PSD) manteve-se, deixando Nuno Duarte - o Jel dos "Homens da Luta" - apenas com 1,37% (901 votos).

    A derrota do Bloco de Esquerda em todo o país é um sinal que o partido está de facto a regredir desde que Francisco Louçã abandonou o leme. A força independente foi sem dúvida uma das boas coisas a retirar destas eleições. Sem a máquina partidária, vários foram os casos independentes (Rui Moreira o principal, à cabeça, embora apoiado pelo CDS-PP) com bons resultados, num claro atestado de desconfiança e cansaço para com os partidos e o que estes representam. José Sócrates, a comentar live na RTP reiterou que era sempre favorável aos partidos contra os independentes. Não deixa de ser "engraçado" o país escutar e ainda dar a Sócrates a oportunidade de opinar, depois de tudo o que se passou.

    Mas o mais "engraçado" destas eleições foi a vitória de Isaltino em Oeiras, sem ser sequer candidato (no papel). Na sede de campanha ("Isaltino Oeiras Mais à Frente") de Paulo Vistas ouvíamos ontem os gritos efervescentes "ISALTINO! ISALTINO! ISALTINO!" gritavam os que votavam no testa de ferro de Isaltino, que nem teve, coitado, a oportunidade de sentir a sua vitória como sua. Houve quem vestisse ainda mais a camisola da corrupção e preferisse ir festejar a vitória do Isaltino para a porta da prisão... A sociedade deve-se reger por determinados princípios e a população não pode exigir integridade aos que a conduzem, se não a tiverem eles mesmos ou pior, se eles passarem um atestado de confiança a um presidiário. Logicamente percebe-se o ponto de partida destes votos - "Ele é corrupto, mas ao menos faz algo por nós, melhora Oeiras, é um Robin Hood". Pois bem, o Isaltino 'Robin Hood' Morais é o espelho de que algo está mal por estas bandas. Desculpem-me adeptos portistas, mas é como os vossos festejos após o penalty inexistente do Luís Rocha sobre o Quintero. E assim Oeiras disse a Isaltino "rouba, que nós vamos estar sempre aqui para ti e por ti".

Já agora, sabemos que Isaltino Morais festejou a sua vitória atirando jornais a arder pela janela da prisão. E pronto, acabamos este breve olhar sobre as Autárquicas 2013 com isto: http://isaltinoaindaestapreso.info/

Crónica: Quintino Aires, animais e os videojogos

Legião de leitores (sim, vocês os dois), escutai a minha voz. Ouvi-me e desfrutai. Este artigo é maiorzinho que o normal, mas para o raciocínio ficar bem construído, tinha que ser, mea culpa.
    Provavelmente já terão reparado que o 'Você na TV', entre o vasto leque de ilustres convidados que recebe (ironia), tem Quintino Aires, um psicólogo, como presença assídua. O Joaquim Maria Quintino-Aires, com o seu título de professor doutor, fala ao povo hoje em dia na "Hora do Sexo" na Antena 3, "Consultório de Afecto" na Flash, "Consultório de Sexo" na TVmais e na Telenovelas e, como disse ali em cima, aparece no Você na Tv com a rubrica "Você Vê, Eu Explico". Sim, um doutorado que escreve na Telenovelas, que inveja.

    Antes de passar para a discórdia gigantesca que gerou o seu comentário no programa da Cristina Ferreira e do Goucha sobre videojogos, vou desde já influenciar-vos negativamente ao citar algumas coisas que Quintino Aires disse nos últimos anos:
"Fazer sexo com animais aumenta a ligação entre o ser humano e a natureza. Pelo que, está claro, não devemos considerar a Zoofilia uma perversão, mas sim uma celebração das nossas origens... No fundo, somos todos animais. Dois milhões e meio de portugueses, levam todos os dias, a vias de facto saudáveis relações sexuais com animais das mais variadas espécies, relações essas que, convenhamos, nada têm de censurável".
"A introdução da Educação Sexual nas escolas causa alguma confusão (...) Deveria ser demonstrado às crianças todas as variantes sexuais in loco, ou seja, deveria ser explicado através de exemplificações práticas, o verdadeiros significado do prazer, e da forma como o obter".
"O Amor não se aprende na escola... aprende-se sim nas bodegas deste país, junto de mulheres e homens, que a troco de alguns tostões, nos ensinam a razão de viver".
"As festas de swing deveriam ser publicitadas na Televisão Generalista, e ser, inclusive, incentivada a sua prática, como forma de quebrar a monotonia".
"A zoofilia deve ser desmistificada. Não se trata, hoje em dia, do pastor que, no início da sua vida sexual, de forma a substituir a masturbação copula a ovelha ou o bezerro. Nos países nórdicos é comum e socialmente aceite os actos sexuais com animais que não envolvam um tratamento desumano dos mesmos".
"Tudo o que eu digo não é opinião pessoal, é a opinião de um especialista com 30 anos de investigação e de toda a comunidade científica".

    Vamos recapitular porque, Quintino, toda a minha vida mudou agora. Eu não deveria ter aprendido nada com a minha namorada na minha inocência de adolescente, mas sim em Monsanto ou no Parque Eduardo VII. Depois, as red lights em Amesterdão deviam ser transferidas para as salas de aula do 5.º ano para as crianças aprenderem in loco. A isto se acrescenta então que, quando eu estou em casa e penso "epá, que monotonia irritante" devo então ir oferecer-me para uma festa de swing idealmente incentivada nos 4 canais ou então vou até à rua e seduzo um gato ou um cão para celebrar as origens da Natureza com eles. E claro, tenho é que ter cuidado para não o copular apenas, não posso ser desumano para com ele durante o nosso bonito acto, dizendo-lhe no fim "Cão Max, foi tão importante para ti como para mim". E eu não sabia mas pelos vistos 2,5 milhões de compatriotas meus fazem amor com animais de forma regular, em saudáveis relações sexuais. O que eu ando a perder, sou tão estúpido.
    Não coloquei aqui o facto do Quintino ter dito que o teletexto é o local certo para encontrarmos o amor, que 4 milhões de portugueses estão em relações com pessoas do mesmo sexo e de já ter utilizado nas suas brilhantes analogias as expressões "um bombeiro a descer num varão coberto de mel" e "o Manuel Luís Goucha todo nu de cócoras".


    E agora sim. O Quintino Aires colocou toda a comunidade de youtubers contra ele quando disse que "A Playstation é veneno", colocando-a lado a lado com a heroína ou cocaína. Quintino, o homem que fica sentado no carro durante minutos a observar um pai e um filho a brincarem às escondidas na rua. Algum tempo depois do Quintino bater nos videojogos, a TVI convidou um historiador de videojogos, o Ivan, para debater e defender o outro lado da moeda. No entanto, a coisa não correu muito bem. Porquê? Porque o Quintino o desrespeitou e em qualquer coisa que o Ivan dizia, o professor doutor fazia questão de dizer "Mas você não pode dizer isso (...) o que se está a passar aqui é muito grave (...) eu tenho variadíssimos prémios internacionais (...) eu só posso discutir isto com os meus pares e você não é meu par".
    Não há muito que tenha que ser dito, porque acho que já deixei a ideia que queria lá em cima ao transmitir-vos as pérolas do Quintino, mas naturalmente percebemos que o Quintino ou é mandatário da Xbox ou então guarda esta raiva depois de nunca ter conseguido terminar o Prince of Persia original. A chamada "cagança" fica mal a todos e o respeito bem a toda a gente. O senhor "sexo com animais é baril" faz questão de generalizar e defender que as suas ideias são comummente as de toda a comunidade científica e tornar juízos de valor em juízos de facto. Num debate, fez questão de o monopolizar e raramente deixar Ivan concluir o seu raciocínio, por "não ser um par". Embora nem exija muita discussão, é natural que os videojogos em excesso e sem supervisão parental podem prejudicar o desenvolvimento da criança, mas em moderação podem e desenvolvem várias componentes da criança - desde o seu inglês ao facto de ter ali uma forma de descomprimir e brincar. Ah, e para o Quintino, que acha que a criança não consegue desenvolver relações assim por se enclausurar a jogar, ele nunca conheceu o modo multiplayer porque (embora eu nunca tenha tido uma Playstation, sim é chocante) tem piada é jogar com companhia. Eu melhorei o meu inglês quando era miúdo a jogar (os jogos e filmes são úteis) e para o Quintino que acha que a criança perde movimento ao jogar videojogos, digo-lhe que eu jogava alguns jogos de futebol no computador e depois ia para o corredor com uma bola de futebol de borracha recriar os golos. Sim, eu era um miúdo querido e estranho.

    Mas pronto, provavelmente o Quintino achará que eu não posso dizer nada do que acabei de dizer, uma vez que não sou um par dele. E muito provavelmente ele preferia ter uma ovelha ou um pónei como par, se é que me estão a entender..

                    Miguel Pontares

Resultados: Suárez e Sturridge vencem o Sunderland, Roma continua a imperar em Itália

  Premier League - Este domingo foi magro para os fãs do contagiante e imprevisível futebol inglês, brindando-nos com uma pequena surpresa e com o regresso de Luis Suárez à forma a que nos habituou na época passada.
    O Liverpool deslocou-se então ao terreno do Sunderland (que parece estar melhor em piloto automático do que com Di Canio) e somou 3 pontos importantes, colocando-se no segundo lugar, isolado a 2 pontos do Arsenal. Daniel Sturridge, que tinha marcado nas 4 primeiras jornadas e tinha ficado em branco na anterior frente ao Southampton, voltou a ser determinante. O avançado inglês inaugurou o marcador após um canto de Steven Gerrard - o golo foi no entanto irregular, uma vez que Sturridge "cabeceou" com o braço. Um lance bastante enganador.
    A boa primeira parte do Liverpool - que hoje contou com Kolo Touré imperial na defesa - continuou e passados 6 minutos chegou o 2-0. Bola longa para Sturridge, o avançado inglês meteu a 4.ª e já ninguém o apanhou, acabando ele por oferecer o golo ao uruguaio Luis Suárez, no primeiro golo deste na Premier após o castigo. O Sunderland procurou responder na segunda parte, Mignolet foi defendendo alguns bons momentos até que nada podia fazer quando Giaccherini - que já vinha sendo o principal dinamizador do Sunderland - marcou numa recarga. A dúvida instalou-se mas aos 89' Suárez acabou com o jogo num contra-ataque simples mas excelente. Suárez desmarcou Sturridge, o avançado inglês temporizou e driblou um adversário acabando por servir mais uma vez o colega de ataque. Na próxima jornada o Liverpool recebe o Crystal Palace e com Sturridge e Suárez a este nível os adeptos em Anfield podem esperar coisas bastante positivas.

    No outro jogo do dia o Stoke City era favorito na recepção ao Norwich mas acabou o jogo derrotado. Foi, de resto, um jogo com poucos motivos de interesse. O Stoke defende habitualmente muito bem, mas viu-se a perder quando Howson (tem potencial para mais, só o mostrando a espaços) decidiu o jogo num remate de longe. A equipa de van Wolfswinkel sorriu e levou os 3 pontos para casa, ao defender exemplarmente e subiu na tabela igualando com 7 pontos o Stoke, Swansea, Newcastle e.. Manchester United.

  Serie A - Jogaram-se várias partidas em Itália neste domingo, sendo que o destaque maior vai para a Roma - líder incontestável - que dizimou o Bolonha por 5-0 no Olimpico. O marcador foi inaugurado cedo por Florenzi (tremendo potencial que este jovem italiano tem) e dilatado aos 16 minutos por Gervinho. Confirma-se que o reencontro entre Gervinho e Rudi Garcia está a ressuscitar o melhor do costa-marfinense. O jogo começou a ganhar contornos de goleada quando Benatia marcou, após canto, o 3-0 aos 26 minutos - 2.º jogo consecutivo do central marroquino. Gervinho acabou por ser o melhor em campo ao bisar numa arrancada imparável culminada com um bom remate, tendo Llajic fechado as contas num remate com pouco ângulo.

    Nos restantes desafios, a Juventus cumpriu e venceu com um golo de Pogba, o Inter escorregou e empatou em casa do Cagliari e a Lázio empatou em casa do Sassuolo, que está a responder bem à goleada sofrida com o Inter, tendo roubado pontos ao Nápoles e Lázio nestas últimas duas jornadas. A próxima jornada terá 3 grandes jogos: Inter-Roma, Juventus-Milan e Lázio-Fiorentina, enquanto que o Nápoles terá obrigação de aproveitar todos estes confrontos.

Outros Destaques: O milionário Mónaco empatou com o Stade de Reims e ficou em igualdade pontual com o também milionário PSG. O jogo terminou em 1-1, tendo João Moutinho marcado de livre o golo do Mónaco. O Rennes perdeu em casa com o Nantes, mas Nélson Oliveira voltou a marcar, neste caso o golo de consolação do Rennes. 
    Na Alemanha o Estugarda venceu por 4-0 enquanto que Werder Bremen e Nuremberga empataram 3-3.
    O Anderlecht - equipa do grupo do Benfica - venceu com golos de Gillet e do jovem Praet, enquanto que na Holanda, como normalmente, imperou o futebol ofensivo. O Twente goleou o Groningen por 5-0, com o jovem ganês Shadrach Eghan a bisar. O Heerenveen partilha a liderança com Twente e PSV, isto porque ganhou 2-1 e o islandês Finnbogason voltou a ser decisivo (9 golos em 8 jogos). Quem tem neste momento uma marca igual é o avançado Pelle do Feyenoord que hoje fez um hat-trick na vitória por 4-2 frente ao ADO Den Haag.

Crítica: The Butler


Realizador: Lee Daniels
Argumento: Danny Strong, Wil Haygood
Elenco: Forest Whitaker, David Oyelowo, Oprah Winfrey, Cuba Gooding Jr., Lenny Kravitz, Robin Williams, Alan Rickman, Jane Fonda, James Marsden, Elijah Kelley
Classificação IMDb: 7.2 | Metascore: 66 | RottenTomatoes: 71%
Classificação Barba Por Fazer: 71

    Ei-lo 'O Mordomo', nome do filme de Lee Daniels nos cinemas portugueses. Com Rodrigo Leão como responsável pela banda sonora e distribuído pela The Weinstein Company, o filme conta a história de um homem - Cecil Gaines no filme, mas na realidade chamado Eugene Allen - que se tornou mordomo da Casa Branca e serviu 8 diferentes presidentes.
    Naturalmente, a super-produção dos irmãos Weinstein (eles que produziram filmes como Django Unchained, Silver Linings Playbook, The Artist, The Fighter, The King's Speech, Inglourious Basterds, Pulp Fiction e a trilogia do Senhor dos Anéis) aumentou e muito as expectativas sobre 'The Butler', embora também tenha sido o selo Weinstein a garantir a maior mediatização que o filme teve, bem como o elenco de luxo que nunca mais acaba. Aos nomes ditos lá em cima, acrescentam-se, entre outros: Mariah Carey, John Cusack, Alex Pettyfer, Vanessa Redgrave, Terrence Howard, Liev Schreiber ou Minka Kelly. O trabalho de Lee Daniels e, sumariamente, o filme em si é bom e melhor do que tem sido avaliado. 'The Butler' podia muito bem ser o chamado "filme do coitadinho", como um amigo meu o projectou porque era de facto o que o trailer transparecia. No entanto, acaba por ser um filme acima de tudo sobre a relação de um pai e de um filho, contextualizada numa autêntica viagem pela realidade norte-americana e pela forma como o racismo e a sociedade evoluíram, influenciando a vida deste mordomo e da sua família.
    O filme baseia-se num artigo de Wil Haygood e tem um argumento sólido, congruente, com uma evolução interessante, que nos abana, ensina e mantém acordados durante as 2 horas e 10 minutos. Não será em princípio candidato ao óscar de melhor filme (e em princípio não o indicaríamos, também) embora seja dos que vai ficar "à porta" da nomeação principal. O selo Weinstein poderá fazer com que se mexam uns cordelinhos nos bastidores de Hollywood, embora a mesma distribuidora seja também responsável por alguns "rivais" como 'August: Osage County' ou 'Fruitvale Station', num ano em que a Columbia Pictures está forte. No entanto, Oprah Winfrey está neste momento bem colocada para ser nomeada para o óscar de melhor actriz secundária. Francamente, não é um papel do outro mundo embora já se tenham visto nomeações mais chocantes/ estranhas. De dar carros a toda a gente numa plateia, a potencial nomeada para óscar. Oprah, Oprah..
    Forest Whitaker faz um bom papel. Não ao nível de 'The Last King of Scotland' mas certamente um dos melhores papéis da sua carreira, com aquele seu olhar esquisito. Desculpa Forest, ofendi-te. De qualquer forma, com a concorrência apertada, não deve ter aspirações ao óscar. Um dos destaques do filme e que injustamente nem se fala por esta altura como possível candidato ao óscar de melhor actor secundário é David Oyelowo (filho do mordomo). Também Cuba Gooding Jr. e Lenny Kravitz - os companheiros de Whitaker a servir na Casa Branca - dão alguns momentos engraçados ao filme, mas certamente não mais do que o jovem Elijah Kelley, um nome interessante para filmes de comédia nos próximos anos.
    Uma palavra de elogio para a banda sonora do Rodrigo Leão - já se ouviram melhores, mas não deixa de ser um excelente trabalho e ainda por cima de um talentoso músico português. No filme vemos 5 diferentes presidentes, testemunhamos o evoluir da condição humana e da sociedade norte-americana, a partir de 2 perspectivas diferentes - a de Cecil Gaines e a do filho, Louis. Uma boa história, não um filme do outro mundo, mas um bom filme sobre um homem que cumpriu impecavelmente o seu trabalho, que serviu o seu país embora tendo ficado na sombra, que se manteve íntegro e que rejubilou com a vitória de Obama em 2008, tendo mesmo sido (já aposentado nessa altura) recebido pelo actual presidente dos EUA.

29 de setembro de 2013

Resultados: Real perde em casa com o rival Atlético, Dortmund goleia e Paços ganha pela 1ª vez

  Liga BBVA - Espanha parou hoje para assistir ao derby entre Real Madrid e Atlético. No Santiago Bernabéu a equipa de Ancelotti e Ronaldo acabou derrotada, tendo Diego Costa - que se mantém lado a lado com Messi no topo dos melhores marcadores - marcado o golo que decidiu o jogo.
    O golo surgiu aos 11 minutos quando Koke fez um grande passe que desmarcou o avançado disputado por Brasil e Espanha a nível internacional. Diego Costa, cara a cara com Diego López, rematou com calma e certeiro. Benzema esteve perdulário, Courtois manteve a sua baliza sem golos, Cristiano Ronaldo não se conseguiu destacar e salvar o Real e o Atlético até podia ter marcado mais - Diego Costa viu López negar-lhe um golo num lance em que correu isolado, e Koke (que jogador que se está a fazer!) viu por sua vez a barra negar-lhe um golo. Morata ainda procurou um grande golo de forma acrobática - negado por Courtois - mas no final o Atlético manteve-se 100% vitorioso e ao ganhar em casa do rival fez com que o Real ficasse a 5 pontos da dupla de líderes.
    E é uma dupla de líderes porque o Barcelona voltou a ganhar sem espinhas em casa do Almeria. Lionel Messi fez o primeiro num grande golo (é tão habitual que já nem se estranha e muitas vezes nem se destacam alguns golos por já serem "normais") e Adriano o outro golo num lance em que incorporou o ataque e foi assistido por Fábregas, claramente melhor aproveitado por Martino do que por Guardiola ou Vilanova.
    O Valência venceu em casa por 1-0 com Jonas a dar sequência ao excelente momento individual, enquanto que no duelo entre Real Sociedad e Sevilha o jogo terminou acabado empatado a um golo. Foram dois jovens a conseguir os golos - Jairo e Griezmann, 2 nomes que irão certamente estar em voga nos próximos anos.

  Liga ZON Sagres - Para além do Sporting ter ganho em Braga e do Benfica ter desiludido na Luz frente ao Belenenses, hoje foi também dia de Costinha conseguir a sua primeira vitória na liga pelo Paços de Ferreira. Depois de ter tido vários jogos difíceis e outros em que desiludiu francamente, o Paços acabou por ganhar na Madeira ao Marítimo num jogo louco (4-3). Derley inaugurou o marcador para os insulares num excelente trabalho - tínhamos apontado Derley como um avançado a seguir quando antevimos a Liga - e os restantes 6 golos foram todos na segunda parte. Primeiro foi Caetano a empatar, depois novamente Derley a bisar com muita classe mas do outro lado Bebé marcou o seu primeiro pelo Paços num remate forte. Igor Rossi pôs outra vez o Marítimo na frente com um bom cabeceamento mas o Paços não baixou os braços e Manuel José empatou tudo novamente num livre directo. Por fim, um auto-golo de Igor Rossi deu os 3 pontos aos pacenses. Um elogio para o facto do Paços ter alcançado esta vitória tendo os 14 jogadores utilizados nacionalidade portuguesa (Ricardo é cabo-verdiano mas com dupla nacionalidade).
    O Estoril - a equipa que melhor joga futebol em Portugal neste momento - ganhou em Olhão. João Pedro Galvão inaugurou o marcador, Dionisi empatou mas o central Ruben Fernandes (que pelo Portimonense fez vários golos nas suas subidas às áreas adversárias) deu a vitória de cabeça, num canto em que foi deixado completamente sozinho.
    Surpreendente foi a vitória do Nacional por 3-0 em casa do Rio Ave. Claudemir marcou o primeiro numa bomba à entrada da área e na segunda parte a vantagem foi dilatada por Rondón e João Aurélio depois de bons trabalhos de Candeias e Djaniny em cada um dos lances.
    Arouca e Académica empataram a zeros

  Bundesliga - O bom futebol do Borussia Dortmund não pára! A vítima desta jornada foi o Friburgo, vergado por 5 golos sem resposta. Marco Reus fez os 2 primeiros golos, dando depois espaço para Robert Lewandowski brilhar. Porque é que vais embora do Dortmund, Lewandowski? O ponta de lança polaco marcou o terceiro e quarto golos do Dortmund e assistiu, numa grande jogada de contra-ataque, Kuba no golo que fechou as contas. Destaque também para Jonas Hofmann, mais um jogador a despontar no Dortmund.
    O Bayern de Guardiola também ganhou, mas sem a mesma fantasia e bom futebol. Um golo solitário de Thomas Müller a encostar um cruzamento de Ribéry chegou para derrotar o Wolfsburgo. Leverkusen derrotou o Hannover 96 por 2-0, enquanto que Hoffenheim e Schalke 04 empataram 3-3.

Outros Destaques: Em Itália um bis de Pandev deu a vitória ao Nápoles em casa do Génova, enquanto que o Milan ganhou graças a um golo do esloveno Birsa. O PSG continua a sua boa performance e voltou às vitórias depois do empate com o Mónaco - o adversário do Benfica na próxima 4.ª feira ganhou por 2-0 ao Toulouse com os reforços Marquinhos e Cavani a fazerem os golos. Em França também o Marselha ganhou (Valbuena e Ayew marcaram) enquanto que em solo holandês o AZ ganhou ao PSV e o Ajax goleou por 6-0 o Go Ahead.

Mau futebol com pontos se paga (1-1)

SL Benfica    1 -1    Belenenses (Cardozo 17'; Diakité 30')

    Muito mau jogo de futebol por parte do Benfica onde nem a equipa jogou bem, nem o treinador foi capaz de mexer bem nela. Para variar, a culpa vai sempre para o árbitro. Naturalmente que o 14º treinador mais bem pago do mundo não tem - permitam-nos o vocabulário - os tomates necessários para admitir que perdeu pontos porque não anda a meter a sua equipa a praticar bom futebol, nem que os adversários têm mérito. Note-se que estamos a falar do último classificado da liga caso não empatasse hoje na Luz.
    Como benfiquistas revolta-nos esta atitude de "miúdo que não sabe perder" por parte de Jorge Jesus. Chega de apontar o dedo ao menino feio que foi beneficiado quando se joga mal e porcamente. O Benfica tem um dos melhores plantéis dos últimos anos. Será que isto não chega para ganhar ao Marítimo? Será que não chega para ganhar ao recém-promovido Belenenses? Chega. Só não chega porque Jorge Jesus não está a fazer bem o seu trabalho. Como já vimos que não é capaz de admitir os seus erros, também nos custa acreditar que Jesus não é homemzinho o suficiente para demitir-se do cargo de treinador. Contudo, era o melhor que deveria fazer enquanto ainda há muito campeonato pela frente. Não tem havido melhorias no futebol medíocre que o Benfica anda a praticar e augura-se mais do mesmo, caso não haja uma mudança, ruptura, uma decisão forte.
    Quanto ao jogo propriamente dito... Pouco há a dizer. Cardozo tentou desde cedo fazer o tento inaugural e aos 17 minutos consegue mesmo. Lima faz um centro perfeito da esquerda e Tacuara cabeceia para o ângulo direito da baliza de Matt Jones. O Belenenses tentava responder de contra-ataque e de meia distância. Contudo, foi de bola parada que empatou a partida. Tiago Silva bate o canto para o segundo poste e Diakité aparece de rompante nas costas de Fejsa para atirar para o fundo das redes. O golo é irregular já que Fredy estava fora-de-jogo e fez-se ao lance baralhando Artur. 
    Até ao fim do jogo, o Benfica tentava contrariar o resultado, mas sem ideias de jogo definidas. Mais parecia que os jogadores estavam cada um por si a tentar resolver o jogo sozinhos e o Belenenses agradecia a desorganização encarnada. Ainda há uma grande penalidade por assinalar sobre Cardozo que sofre uma gravata do defensor do clube do Restelo. O árbitro nada assinalou. 
    O Benfica segue em 5º lugar com os mesmo pontos do Estoril, clube que vai defrontar na próxima jornada na Amoreira. 

Barba Por Fazer do Jogo: Tiago Silva (Belenenses)
Outros Destaques: Fejsa, Garay, Cardozo; Danielsson, João Afonso, Fredy.
Golos:
1-0 Cardozo 17'

1-1 Diakité 30'

28 de setembro de 2013

Premier League: Arsenal no topo, Manchester's perdem e Southampton é sensação

  Premier League - Mais um dia em cheio em solo inglês, com muitas surpresas, bom futebol, muitos golos e emoções ao rubro.
    Foi o último jogo do dia, mas como foi o que coroou o Arsenal como líder isolado da Premier (aconteça o que acontecer amanhã). A equipa de Wenger deslocou-se ao terreno do Swansea, num campo habitualmente difícil e onde o Swansea procura sempre impôr o seu futebol rendilhado, mas acabou por vencer de forma justa. O Swansea contou com a ausência do capitão e alma da equipa Ashley Williams. Na generalidade do encontro viu-se um Arsenal mais activo e com mais vontade de ganhar e sempre com Aaron Ramsey como uma seta apontada à baliza dos swans. O Arsenal ficou perto do golo na primeira parte em 2 lances - um de Ramsey e outro de Giroud -, mas só marcou depois. Aos 58' o jovem alemão Gnabry (substituto de Walcott) marcou o 1.º assistido por Ramsey e o galês voltou a estar em destaque ao fazer ele mesmo o segundo. Grande troca de bola do Arsenal em transição, terminada com uma assistência primorosa de Giroud para Ramsey, que depois de tirar um defesa do caminho fuzilou Vorm. O Swansea reduziu pelo lateral Ben Davies, que continua a mostrar que é um dos melhores na sua posição na Premier, depois de uma boa combinação com Wilfried Bony. Dá gosto ver jogar este Arsenal, que é o líder justo - que hoje podia ter marcado mais não fosse Özil ou Giroud terem falhado as suas oportunidades - e Aaron Ramsey seria sem dúvida por esta altura - pegando num prémio da NBA - o Most Improved Player neste campeonato inglês.

    Mais cedo houve dupla surpresa com Manchester United e Manchester City a saírem derrotados nos seus jogos.
    O Manchester City perdeu em casa do Aston Villa. A equipa de Pellegrini começou a ganhar com um golo de Yaya Touré após canto, a fechar a primeira parte, e nada fazia prever a espectacular reviravolta no 2.º tempo. El Ahmadi empatou o jogo, embora em fora-de-jogo, mas logo de seguida Džeko voltou a pôr os citizens na frente com um bom cabeceamento. No entanto, a equipa de Paul Lambert não desistiu e operou a revolução no marcador nos 15 minutos finais. Bacuna - está a ter impacto neste início de época - empatou tudo novamente num excelente livre directo e Weimann, aproveitando uma saída de Joe Hart deu a vitória ao Aston Villa.   
    Já o United perdeu também, mas em casa. Com van Persie e Fellaini no banco e Nani titular, o West Brom conseguiu 3 pontos que poucos esperariam em Old Trafford. Golos só houve na segunda parte e com
Amalfitano a brilhar no 1.º. Um rasgo individual culminado com uma finalização com classe. A resposta do United foi imediata com Wayne Rooney a empatar de livre directo (um daqueles livres que era um cruzamento em que a bola foi andando e andando até se tornar um remate e golo) mas o jovem Berahino voltou a destacar-se pelo WBA e deu a vitória, silenciando Old Trafford e conseguindo pôr ainda maior pressão em David Moyes e no percurso dos campeões em título.

    O Arsenal lidera com o Tottenham atrás de si (Liverpool poderá colocar-se no meio amanhã), os Manchester's desiludiram e o Southampton manteve o estatuto de equipa-sensação. São 3 vitórias e 2 empates, ou seja, 10 pontos - os mesmos que o Chelsea de José Mourinho - num início de temporada incrível. O Southampton é quarto neste momento e quanto muito terminará a jornada em 6.º (se as 2 equipas de Liverpool vencerem). Hoje foi o Crystal Palace a perder em casa do Southampton. Com uma defesa que impressiona e na qual o português José Fonte já justifica a chamada de Paulo Bento, os golos chegaram no segundo tempo. Pablo Osvaldo - contratação recorde do clube à Roma - estreou-se a marcar pelo clube num remate rasteiro colocado, assistido por Lallana. O 2.º chegou minutos depois com Osvaldo a ganhar uma falta que Rickie Lambert transformou num golaço de livre directo. O Southampton-Swansea da próxima jornada promete.

    Nos restantes jogos, destaque para a vitória do Hull City. Os recém-promovidos tigers estão neste momento em 7.º lugar com 3 vitórias e 1 empate em 6 jogos. O golo decisivo foi marcado pelo irlandês Robbie Brady - novamente a fazer a diferença e a dar sequência ao seu bom momento -, destacando-se no final a combatividade com que a defesa do Hull segurou os 3 pontos contra o West Ham.
    No outro jogo, uma relativa surpresa com o Cardiff a vencer em casa do Fulham. O central Caulker estreou-se a marcar pelo Cardiff de cabeça após um canto de Whittingham, mas o Fulham conseguiu o empate num dos golos da jornada. Riether assistiu Bryan Ruiz que de longe colocou a bola na gaveta, no ângulo da baliza do Cardiff. A vitória do Cardiff ficou consumada tarde com Mutch a marcar também um bom golo já no período de compensação.

Cédric dá 3 pontos preciosos ao Sporting em Braga (2-1)

Braga  1 - 2  Sporting (Alan 27'; Montero 5', Cédric 86')
    Resultado importantíssimo para o Sporting esta noite no Estádio AXA. Os leões amealharam 3 pontos e colocaram-se no 2.º lugar, mantendo a diferença de 2 pontos para o Porto e ganhando pontos a dois rivais (Braga, naturalmente, e Benfica). Fredy Montero, melhor marcador da liga com mais golos do que jogos, voltou a ser determinante. A expulsão precoce de Aderlan e Eduardo ajudaram.
    O Sporting iniciou o encontro com a surpresa Diogo Salomão a titular no lugar habitualmente ocupado por Wilson Eduardo e Rojo no eixo defensivo lado a lado com Maurício, relegando Dier para o banco. Jesualdo deixou Luiz Carlos - elemento fundamental - no banco e contou finalmente com um quarteto defensivo decente, face ao regresso de Paulo Vinícius.

    O jogo iniciou-se praticamente com o golo do Sporting. Jefferson bateu um canto do lado direito e Montero cabeceou para o golo, com Custódio a falhar na marcação. Nos minutos seguintes o protagonismo dividiu-se, até que Alan teve todo o espaço do mundo em zonas centrais para conduzir a bola e rematar com efeito à entrada da área, fazendo o empate. Remate em jeito, nem foi preciso muita força, sendo que Patrício podia ter defendido, embora tenha sido um excelente e colocado remate. Se o Estádio AXA tinha, por essa altura, todas as razões para sorrir, rapidamente isso mudou. O endiabrado e desconcertante Fredy Montero arrancou a expulsão de Aderlan Santos, depois de ser travado pelo central quando arrancava para a baliza isolado. Péssima abordagem de Aderlan (o Braga queixou-se pela proximidade de Paulo Vinícius do lance) e mérito para Montero que conseguiu reduzir o Braga a 10 unidades aos 31 minutos num lance que parecia inofensivo. Mas os males que afligiram o Braga não ficaram por aqui. Logo a seguir Paulo Vinícius teve que abandonar o jogo por lesão, sendo substituído por Hebert, que ficou com Custódio ao seu lado na defesa.
    O intervalo chegou e tudo parecia pender para uma vitória do Sporting no 2.º tempo. O Braga teria que aguentar mais 45 minutos com menos 1 jogador e com uma frágil dupla Hebert-Custódio a comandar as operações defensivas. Leonardo Jardim colocou Wilson Eduardo ao intervalo e o extremo português esteve bem na 2.ª parte. As melhores oportunidades leoninas foram criadas a partir de arrancadas pelo flanco direito, com Montero e Carrillo a desperdiçarem assistências de W. Eduardo. O Sporting chegou à vantagem já com Slimani em campo e num pressing final. Foi aos 86 minutos que, na ressaca de um canto, Carrillo armou o remate mas foi desarmado, sobrando a bola para o lateral direito Cédric Soares. Do meio da rua, Cédric arriscou e conseguiu o golo da vitória, com Eduardo a ser francamente mal batido.

    O Sporting foi feliz no jogo, mas também fez por isso. Teve "sorte" com a expulsão de Aderlan aos 31' e com a lesão de Paulo Vinícius, mas teve o mérito de encarar com boa cara um jogo tão importante como o de hoje. Fredy Montero voltou a ser decisivo: ele que se dá bem em jogos grandes, inaugurou o marcador logo de início e cavou a expulsão de Aderlan. O Braga deu boa resposta quando reduzido a 10 (Hebert mostrou que tem valor), soube sofrer e defender mas viu todo o seu esforço cair por terra quando Cédric arriscou no remate de longe. Alan continua a dizer presente nos momentos importantes do Braga, e Jesualdo não anda a saber gerir o plantel, deixando hoje por exemplo Luiz Carlos e Rafa no banco.

Barba Por Fazer do Jogo: Fredy Montero (Sporting)
Outros Destaques: Hebert, Alan; Cédric Soares, Wilson Eduardo
Golos:
0-1 Montero 5'
1-1 Alan 27'

1-2 Cédric 86'

Porto ultrapassa minhotos com penalty fantasma (1-0)

FC Porto    1 - 0    Vit. Guimarães

    Já o povo costuma dizer - «Quem não chora, não mama» - e Paulo Fonseca tanto chorou que lá mamou uma vitória de penalty inexistente. Ainda teve a displicência de dizer que «este pelo menos foi dentro de área» quando no primeiro jogo contra o Marítimo beneficiou de um penalty fora de área e no jogo do título do ano passado - onde defrontou o Porto - foi prejudicado com um penalty fora de área onde não expressou toda a sua revolta como no último jogo. A coerência das palavras em curtos espaços de tempo determinam muitas vezes a personalidade de um Homem. Paulo não foi capaz de ser coerente e, pior que isso, não conseguiu evitar - como nenhum outro treinador do Porto teve coragem de evitar - ser uma marioneta dos dirigentes do clube. 
    Quanto ao jogo, o FC Porto dominou por completo a primeira parte e logo aos cinco minutos podia ter inaugurado o golo com uma bola no ferro de Jackson Martinez. Aos 16 minutos foi a vez de Douglas brilhar e de que maneira... Bola bombeada para a área, Jackson dá para Otamendi e o central argentino atira de maneira acrobática para grande defesa do guarda-redes vimaranense. Na recarga Lucho ainda disparou, mas Douglas novamente a evitar o golo. Até ao intervalo foram muitas as ocasiões que o Porto teve para marcar, mas não estava a conseguir atirar a bola para o fundo das redes... O Guimarães defendia como podia. 
    Mas de nada serviu o espírito sôfrego da equipa de Rui Vitória porque o melhor árbitro do mundo gosta de aparecer em bom plano com o seu cabelo untado com tubo e meio de gel. Quintero tentou furar a defesa do Vitória e como viu muitos de volta dele, decide ir contra Luís Rocha. Pedro Proença viu uma queda na área e, como faz sempre, aponta para a marca de grande penalidade olhando fixamente para a bolinha branca e mal é confrontado com os protestos coloca o dito "sorriso-mete-nojo" e acena com a cabeça dizendo que "sim". Assim é o melhor árbitro do mundo. Na conversão, Josué não perdoou. Até findar o jogo, não houve mais nenhum lance de perigo eminente para nenhum dos lados. Seria uma segunda parte sem história não fosse Proença a criá-la.
    Resultado injusto para Rui Vitória onde foi claramente prejudicado com um penalty inexistente. Se ficasse empatado, os adeptos do Porto diriam o mesmo... Que foi um resultado injusto pelo que fizeram na primeira parte e porque foram a única equipa a querer ganhar. Só que não se trataria de injustiça, mas sim de frustração. Não existe injustiça alguma em não conseguir mais golos que a equipa adversária... Apenas existe a frustração de ter criado mais oportunidades e não ter concretizado alguma. Foi uma grande primeira parte do Porto onde poderia ter marcado dois ou três golos, mas não o fez e acabou por garantir os três pontos de forma irregular. Bom jogo defensivo do Vitória que se sentiu privado do melhor jogador em campo contra o Benfica - Abdoulaye - por não estar em condições curiosamente contra o seu clube. Estas constipações marotas...

Barba Por Fazer do Jogo: Quintero.
Outros Destaques: Jackson Martinez, Lucho; Douglas.
Golos:
1-0 Josué (Pen.) 50'

AVB e Mourinho empatam 1-1, no Duelo entre Aprendiz e Mestre

Tottenham  1 - 1  Chelsea (Sigurðsson 20'; John Terry 66')
 Premier League - Aprendiz e Mestre defrontaram-se pela 1.ª vez no derby da jornada, em White Hart Lane. O escaldante duelo acabou com um empate a 1 bola, com o islandês Sigurðsson e o capitão Terry a preencherem a ficha de jogo.
    Grande primeira parte do Tottenham, senhor do jogo e a jogar o seu futebol sem se preocupar em exclusivo em adaptar-se/ anular a produção do Chelsea. Villas-Boas manteve o seu que se esperava, enquanto que Mourinho voltou a deixar Juan Mata no banco, colocando David Luiz e Terry no centro da defesa e Ramires no flanco direito (com vista ao equilíbrio e auxílio à dupla Lampard-Mikel).

    Desde cedo se percebeu que o Tottenham vinha com a lição bem estudada. Enorme intensidade e garra na entrega dos spurs a cada bola, tendo sido Christian Eriksen a criar o desequilíbrio que gerou o primeiro golo. O dinamarquês arrastou vários jogadores consigo, colocou a bola na área em Soldado e o espanhol com um toque permitiu que Sigurðsson surgisse de trás e finalizasse. O 2.º não aconteceu minutos a seguir graças a um providencial corte de Ivanovic - grande jogada do Tottenham a partir do flanco direito a terminar com um cruzamento de Soldado e o sérvio a tirar o golo a Paulinho. Com a intensidade de jogo elevadíssima, o Chelsea procurou avançar no terreno através das subidas de Branislav Ivanovic, sem que Óscar e Hazard conseguissem aparecer a fazer a diferença, tal como Torres. Do outro lado do campo, Paulinho e Dembélé iam controlando as acções em alta rotação, deixando Lampard e Obi Mikel perdidos. Perto do intervalo, Paulinho voltou a estar perto do golo ao rematar ao poste depois de uma boa temporização e passe de Andros Townsend.
    O intervalo exigia a José Mourinho a entrada de Juan Mata (o herói deste jogo no ano passado) e Mou percebeu isso, pondo a sua teimosia de lado. A entrada do espanhol fez Obi Mikel sair de campo, passando a estar Ramires lado a lado com Frank Lampard.
    Os segundos 45' começaram com Fernando Torres endiabrado. O avançado espanhol teve 2 momentos "à Liverpool", servindo Óscar num deles e vendo Lloris negar-lhe o golo depois de deixar Dawson caído no relvado com um drible. AVB colocou Chadli em campo (na altura faria mais sentido Erik Lamela) e poucos minutos depois surgiu o empate. Juan Manuel Mata bateu exemplarmente um livre indirecto e John Terry surgiu isolado (ficaram dúvidas de fora-de-jogo, mas não deverá ter havido e na dúvida privilegia-se o ataque) a cabecear para o 1-1. Sucederam-se várias alterações, saindo de campo Hazard (apagado todo o jogo) e Eriksen (apagado na 2.ª parte), bem como Soldado, enquanto que Vertonghen e Torres iam desenvolvendo uma picardia entre si. Aos 82' Mike Dean acabou mesmo por expulsar Fernando Torres depois de uma bola disputada no ar com Vertonghen. O espanhol viu o 2.º amarelo, mas pareceu excesso de rigor. A expulsão do El Niño permitiu ao Tottenham ter a bola na recta final, circulando-a entre os 2 flancos à procura de uma aberta na defesa do Chelsea. Defoe rematou para Cech defender, depois de um bom passe de Chadli e aos 87' Sigurðsson arriscou num remate espontâneo à entrada da grande área. A bola passou centímetros ao lado, Cech não se mexeu e teria sido um grande golo.
    No final de contas o duelo entre AVB e Mourinho acabou empatado, num jogo em que o Tottenham teve mais ocasiões de golo e foi mais equipa, mas baixou a sua qualidade nos segundos 45 minutos. Bom ambiente no final entre Mourinho e André Villas-Boas, ou David Luiz e Paulinho, por exemplo.

    Grande jogo de Dembélé, a espalhar classe e capacidade física pelo meio-campo, numa regularidade impressionante ao longo de todo o jogo. Paulinho voltou a demonstrar que é tactica, fisica e tecnicamente um jogador espectacular e Sigurðsson continua a reforçar o seu estatuto no Tottenham - é claramente um jogador que precisa que a equipa confie nele e forneça o seu jogo (e remate) no último terço em zonas centrais a partir da esquerda. No Chelsea, a entrada de Mata acabou por ser determinante. Esperemos que Mourinho dê finalmente ao espanhol o papel de playmaker deste Chelsea, e destaque para o capitão dos blues que acabou por ser decisivo com o seu cabeceamento.


Barba Por Fazer do Jogo: Moussa Dembélé (Tottenham)
Outros Destaques: Paulinho, Sigurðsson; John Terry, Mata
Golos:
1-0 Sigurðsson 20'

1-1 John Terry 66'

26 de setembro de 2013

Lewandowski vai mesmo jogar no Bayern; Arsenal-Chelsea na taça; van der Gaag abandona Belenenses

  Lewandowski - O avançado polaco do Borussia Dortmund confirmou ontem ao Sport1 que irá mesmo assinar pelo Bayern em Janeiro, altura em que fica disponível para quaisquer propostas mediante o facto do seu contrato com o Dortmund terminar no final desta época. Já se especulava há meses que esta mudança, seguindo os passos de Mario Götze, poderia acontecer - Jupp Heynckes inclusive já o tinha dado como uma garantia - mas finalmente é o jogador a confirmar a transferência.

    BPF - Do ponto de vista do Bayern de Guardiola é naturalmente um negócio incrível e provavelmente o melhor do próximo Verão de transferências. Conseguir na actual conjuntura futebolística um avançado como o polaco a custo zero, é um verdadeiro oásis. A permanência de Lewandowski esta época no Dortmund amainou os rumores, tornando mais mensurável a possibilidade de permanecer no clube que o projectou e fez crescer nos últimos anos (o momento alto da sua carreira, individualmente, terá sido o póker ao Real nas meias-finais) mas Lewandowski acaba mesmo por rumar ao rival. Veremos se Lewandowski ganha com a mudança - seria interessante o Dortmund esta época sagrar-se campeão -, mas o que é certo é que encaixará na perfeição no Bayern uma vez que, observando o actual futebol bávaro é precisamente na frente de ataque que o Bayern parece necessitar de um reforço doutro nível (embora Mandzukic e até Pizarro estejam a conseguir números, enquanto Müller é "um jogador à parte").
    Em todo o caso o Bayern terá aqui o melhor negócio qualidade-preço do próximo Verão. É sempre pena, no entanto, ver um jogador a ser infiel ao clube que lhe deu tudo, ainda para mais um clube de topo e rumar ao rival.

  Capital One Cup - Já são conhecidos os oito confrontos dos oitavos-de-final (ou 4.ª ronda) da taça da liga inglesa. O destaque vai invariavelmente para o duelo entre José Mourinho e Arsène Wenger quando o Chelsea visitar o rival londrino Arsenal. De resto, o interesse maior poderá estar na ida do City ao terreno do Newcastle (embora o City se dê bastante bem com os magpies) e, caso o Sunderland melhore com o próximo treinador, o jogo com o Southampton poderá ser renhido. O sorteio ditou então os seguintes jogos:
Arsenal - Chelsea
Tottenham - Hull City
Manchester United - Norwich
Sunderland - Southampton
Birmingham - Stoke
Newcastle - Manchester City
Leicester - Fulham
Burnley - West Ham 


  Belenenses - Triste notícia para o Belém e para o futebol português. Mitchell van der Gaag comunicou que irá abandonar o comando técnico dos azuis do Restelo, estando este abandono (temporário) relacionado com problemas cardíacos agravados na sequência do Belenenses-Marítimo, jogo em que van der Gaag se sentiu indisposto e abandonou o estádio para receber cuidados médicos. van der Gaag tem já algum tempo um pacemaker e afastar-se-á, em tempo indeterminado, do futebol para se concentrar na sua saúde.
    BPF -  Desejamos as melhoras ao técnico holandês - um dos nossos treinadores preferidos na Liga ZON Sagres - e o qual achamos que tem tudo para fazer uma boa equipa no comando do Belenenses, dando sequência ao brilhante trabalho na época passada. É realmente importante que van der Gaag se concentre primeiro na sua saúde. Quanto ao Belenenses, veremos como se sairá Marco Paulo (treinador dos juniores) até o regresso de van der Gaag e de que forma potenciará o talento do plantel que van der Gaag montou e tão bem conhecia já.
    Também relativamente ao Belenenses, destaque para as palavras de Jorge Jesus sobre Miguel Rosa, na antevisão do Benfica-Belenenses. O treinador notificado pela PSP justificou a falta de oportunidades concedidas ao jogador português dizendo: "O Miguel Rosa é um miúdo com muita qualidade, mas temos muitos jogadores no plantel para a posição dele. Talvez seja o sector no qual há mais qualidade e quantidade. Também podia falar do Ivan Cavaleiro, um jovem que também joga nessa posição. De qualquer forma, que o Miguel Rosa tem valor, tem".
    BPF - Foi lamentável a forma como Jesus nunca deu oportunidades a Miguel Rosa no plantel sénior no Benfica, depois deste carregar o Benfica B às suas costas e apresentar enorme regularidade. Esperamos que o jogador português tenha o maior sucesso no Belenenses, embora não concordemos com Jesus. Havia espaço para M. Rosa no plantel encarnado e, por exemplo nesta altura, com a lesão de Gaitán e com o péssimo momento de Ola John, Miguel Rosa poderia ser perfeitamente titular, visto que Markovic rende muito mais em zonas centrais e solto. Já relativamente a Cavaleiro, espera-se que o seu destino seja diferente, embora não seja tacticamente comparável porque cada vez mais procura zonas de golo, no apoio ao avançado centro.

Crónica: Jesus difendeu o minino

(Artigo escrito parcialmente de acordo com o Acordo Ortográfico vigente no cérebro de Jorge Jesus)
24 de Dezembro de 2013: Estabelecimento Prisional de Lisboa


Guarda: Próximo!
Adepto Benfiquista: Boa tarde, eu vinha aqui para ver o presidiário Jorge Jesus, se faz favor.
Guarda: Ok, fica ali na sala à espera. Nós vamos chamar o Jorginho e vocês têm a conversa com o vidro como intermediário.
..
Jorge Jesus: Epá, chavalo, ainda bem 'ca vieste. Já não tinha visitas desde o Marquinhos... o Marco Silva. Que é que trazer-te aqui?
AB: Espera só um pouco. Eu trouxe comigo um dicionário de jorgiano-português, por isso vou ter que ir consultando de vez em quando para perceber o que estás a dizer.. Bem, eu estou aqui para, como benfiquista, perceber porque é que afinal tu estás aqui metido.
JJ: Foi a bófia! Maneiras que me apanharam no meio de uma zaragata ali em Guimarães e cobraram-me logo o facto de eu ter tirado o selo da via verde do teu carro.
AB: Não.. percebo..
JJ: Um gajo também tem que ta explicar tudo, pá. A bófia do Norte ficou toda esgrouviada por eu ter tirado o Cortez da esquerda e com o Siqueira já se ter que pagar portagem, eh eh eh eh. Sou mesmo um humoriante do chavelho.
AB: Comediante. Ou humorista. Eu vou directo ao assunto: eu estava em casa quietinho a ver o final do Guimarães-Benfica no qual a barriga do Marco Matias deu um golo ao Cardozo e 3 pontos a nós todos e de repente vejo adeptos a entrarem no campo. Não era uma invasão digna dos estágios do Benfica em Sion, mas pronto, lá entraram alguns. E depois de repente vejo uma espécie de mocho-galego vestido com um fato a aproximar-se em voo raso dos polícias e dos seguranças que estavam a agarrar um adepto em tronco nu e o mocho começa a dar-lhes bicadas enervando-se mais e mais.
JJ: 'Tá boa, eu sou o mocho-galão, não é? Por causa do meu cabelo..
AB: Sim, Rod Stewart. Galego.
JJ: A minha versão dos sucedimentos é esta. Eu estou a acenar à massa adepta benfiquista, os gajos gostam bué da mim, enquanto os meus jogadores iam-lhes atirar as camisolas e de repente vejo a polícia a placar um tipo em tronco nu e depois percebo que era o Cardozo. O perigoso já tinha atirado a t'shirt dele e vejo a bófia a cair-lhe em cima e a amarrá-lo. E eu pensei "fôs'gass, vou masé libertar estes gajos que o Cardozo ainda os empurra como a mim". E prontos, eu até tinha andado a frequentar lá umas aulas de Piladas no ginásio do Seixal, e sentia-me massudo.
AB: Pilates, provavelmente será pilates. Mas força, continua.
JJ: Epá e depois fui gritando aos gajos "O Óscar vai-vos bater! O Óscar vai-vos bater!" mas eles desouvirem-me e desprezarem-me, a dizerem-me para eu me acalmar.
AB: Então tu só querias proteger os polícias, libertando o alegado Cardozo?
JJ: Alegado, tu também só usas palavras caras que eu nã sei o ca querem dizer. Eu sei o que é que o Cardozo faz. Ele remata com as mãos como c'os pés, se é que ma percebes. E prontos, eu prometi a mim mesmo e ao Shéu que o Cardozo não empurrava e batia em mais ninguém.
AB: Enfim, estás pior do que eu pensava. E estes meses por aqui, como é que têm sido?
JJ: Olha, vou-ta contar. Já pus o Sport Lisboa e Detidos, que é a equipa daqui, a jogar em losango. Tenho poucos sérvios por isso apostei aqui nos romenos 'ca roubam nas caixas-multibanco. Os gajos enganam muita bem por isso estão a passar por sérvios agora. E já adaptei o Bibi a lateral esquerdo, porque as outras equipas metem só putos a extremos e o gajo papa-os todos, eh eh eh. Só perdi um bocado as estribeiras enquanto não tive o meu amaciador para o cabelo.
AB: Então e sabes que lá por fora o teu sucessor vai de vento em poupa.. O Marco Silva foi chegar, ver, mandar o Paulo Fonseca para o caralho outra vez, e vencer. O Benfica ainda tentou o Rui Faria, mas o Mourinho ainda o continua a manter debaixo da asa grisalha dele.
JJ: Sim, fui eu ca disse ao Vieira para apostar no chaval. O gajo tem alma e viu-se que se ajavardava bem c'o Paulo. Amanhã tenho a minha sentença pelo que fiz à bófia, mas prontos.
AB: Só antes de eu me ir embora e porque já vi as imagens várias vezes, o que é que tu fizeste mesmo? Eu vejo um incompreensivelmente Jorge Jesus a chegar ao pé da polícia e, num gesto que já se viu o Cristiano Ronaldo ou o David Luiz fazerem com enorme classe, exagerar... Vi-te a dar umas "belinhas" no braço de um polícia, dignos das mulheres que se revoltavam quando a PIDE detinha injustamente os maridos ou então dignas das mulheres que queriam furar a corrente humana para se despediram dos maridos que iam partir de Belém nos Descobrimentos. Depois lá a meio vejo-te a tirar com a mão toda a sujidade que um dos polícias tinha na cara.
JJ: Prontos, és tu e todas as gentes. Mas hoje à meia-noite é 25 da Dezembro, por isso mandarem-me à cruz.

    Eu sou benfiquista. Os dois bloggers do Barba Por Fazer são benfiquistas, mas tentamos sempre informar de forma imparcial, embora nunca escondamos o nosso clube. O Benfica está acima de muita coisa, mas o futebol em si está acima do Benfica. Jorge Jesus exagerou em Guimarães numa atitude na qual achou claramente que podia levar a dele avante - JJ achou que chegava ao pé do adepto e da polícia e que pura e simplesmente a sua presença e acção iria apaziguar tudo. No entanto, esteve longe de ser assim. Jesus deixou-se levar pelo momento, enervou-se e exagerou, embora não tenha de facto feito nada do outro mundo. Não é caso para (como Luís Filipe Vieira disse) culpar todos menos o Jesus e dizer que ele é que ficou lesado por ter perdido o relógio no meio daquilo (um momento cómico ao nível de quando se disse que o Benfica tinha desligado as luzes nos festejos do Porto porque um homem tropeçou no cabo e desligou a ficha), mas também não é caso para o homem ser gravemente punido, suspenso e ficar com termo de identidade e residência. É evidente que, como dizia aquele brilhante filósofo chamado Spiderman 'with great power, comes great responsability' e por isso Jesus tem que pensar 2 vezes antes de empurrar as autoridades em defesa de um adepto ou tentar (não digo "à força toda" porque ele não agride com gravidade ninguém) afastar todos dele.
    Honestamente, não acho que seja caso para grande alarido e consigo ver as coisas com suficiente distância porque, ao contrário de há uns anos, não me importava que Marco Silva ou Rui Faria substituíssem o mártir encarnado. Jesus quis ganhar apoio dos adeptos, aumentar o seu balão de oxigénio com a população benfiquista e conseguiu. Será que pôs o seu lugar e carreira a curto-prazo em risco? Suponho que não, mas veremos.

PS: Aos 37 segundos do vídeo lá em cima, Jorge Jesus perde o seu relógio. Aos 40'' o polícia apanha-o. Será acusado de furto e condenado à pena de morte?

                    Miguel Pontares

    
Abaixo ficam algumas imagens interessantes que foram feitas e publicadas na Internet no pós-jogo Guimarães-Benfica:




25 de setembro de 2013

Resultados: Ronaldo salva Real Madrid, Swansea afastado da taça

  Liga BBVA - Um dia depois do Barcelona e Atlético vencerem os seus jogos e manterem-se invencíveis, o Real Madrid apanhou um valente susto no terreno do recém-promovido Elche, mas Cristiano Ronaldo acabou por salvar os merengues. Nos primeiros 45' Ronaldo procurou o golo, mas o Elche bateu-se bem e até obrigou Diego López a brilhar. Gareth Bale manteve-se fora das opções de Ancelotti e no início do segundo tempo CR7 inaugurou o marcador num livre directo. Remate forte, a bola a descer - um tomahawk típico, embora Ronaldo já tenha marcado melhores. Sem conseguir resolver o jogo acabou por ser o Elche a empatar tudo aos 90' quando o jovem ganês Boakye finalizou de cabeça um transição simples e eficaz. O Real Madrid garantiu a sua vitória já para lá do tempo de compensação dado, com uma grande penalidade polémica a ser convertida por Cristiano Ronaldo. O Real continua sem encantar e a precisar de Ronaldo para se manter saudável desportivamente. Ronaldo leva 6 golos em 6 jogos na liga espanhola, apenas batido pelos 7 de Messi e Diego Costa e tornou-se hoje o jogador de sempre a precisar de menos jogos para atingir os 150 golos na liga espanhola. Destaque para o facto da Federação Espanhola querer que Diego Costa jogue por La Roja.
    Mais cedo o Sevilha conseguiu finalmente uma vitória. Na recepção ao Rayo Vallecano, os sevilhanos ganharam por 4-1. Rakitic - que com o tempo vai-se tornando um jogador com mais classe - inaugurou o marcador de penalty e aumentou a contagem com um livre directo perfeito. O Rayo reduziu mas Carlos Bacca voltou a dar vantagem de 2 golos depois de um bom trabalho de Gameiro. Já com o Rayo reduzido a 9 jogadores, Bacca bisou também, num pontapé de bicicleta já sem o guarda-redes na baliza. O Valência jogou também e derrotou o Granada com um golo de Jonas.

  Capital One Cup - Para além do M.United-Liverpool jogaram-se mais 4 jogos da taça da liga inglesa hoje. O campeão em título Swansea geriu e muito o plantel e perdeu por 3-1 em casa do Birmingham, na surpresa da ronda. O Newcastle venceu por 2-0 o Leeds com golos de Papiss Cissé e Gouffran, enquanto que o Stoke derrotou pelos mesmos números o Tranmere (golos apontados por Ireland e Peter Crouch). O Arsenal lançou os miúdos e venceu o WBA nos penalties. Eisfeld e Berahino - muito potencial neste jovem do West Brom - marcaram no tempo regulamentar, Nacho Monreal marcou o penalty decisivo. O Arsenal, afastado dos troféus há anos, deve este ano apostar forte na liga mas também na conquista de pelo menos uma das taças.
    Teremos assim nos oitavos-de-final as seguintes 16 equipas: Manchester City, Manchester United, Arsenal, Chelsea, Tottenham, Newcastle, Stoke, Birmingham, Southampton, Burnley, West Ham, Sunderland, Hull City, Norwich, Leicester e Fulham.

  Serie A - Em solo italiano, houve espectáculo nesta quarta à noite. A campeã Juventus começou a perder no terreno do Chievo, mas deu a volta com golos de Quagliarella e um auto-golo dum jogador adversário. O Nápoles desiludiu e perdeu pontos pela 1.ª vez ao empatar 1-1 em casa frente ao Sassuolo (que há dias fora goleado por 7-0 pelo Inter). A Lázio cumpriu, o Parma-Atalanta acabou num espectacular 4-3 e espectacular foi também o Bolonha-Milan. A equipa milanesa, sem Mario Balotelli, começou a ganhar com um golo de Andrea Poli. O Bolonha chegou mesmo ao 3-1, mas graças a Robinho e Abate o AC Milan acabou por empatar. Por fim, a Roma é agora líder com 6 vitórias em outros tantos jogos. Magnificamente orientada fora das quatro linhas por Rudi Garcia e em campo por Totti, a Roma deu sequência ao início de campeonato vencendo fora a Sampdoria, com golos dos reforços Benatia e Gervinho.

  Ligue 1 - Mónaco e PSG mantêm-se nos 2 primeiros lugares, separados por dois pontos, depois das vitórias de hoje. O PSG venceu graças a um golo solitário de Cavani, assistido por Ibrahimovic, enquanto que o Mónaco não deu hipótese ao Bastia, conquistando os 3 pontos com um 3-0 (bis de Radamel Falcao e mais um golo de Rivière). O 2-0 resultou de um extraordinário passe de João Moutinho. Falcao já é o melhor marcador da Ligue 1 com 7 golos em 7 jogos e Rivière tem menos um.

Outros Destaques:
Na taça alemã, destaque para a vitória do Bayern por 4-1 frente ao Hannover 96 (Müller bisou, Ribéry e Pizarro marcaram os outros golos). O Schalke 04 derrotou uma equipa de escalão inferior por 3-1, com a promessa Max Meyer - para o qual auguramos um bom futuro, a fechar as contas.

Garganta Afinada. Top 20 ( nº 90 )

    Olá malta! Tudo bem? Tá-se? O último álbum da Madonna é um cagalhão. Uma vez perguntaram-me se eu era um cantor romântico… eu raramente sou um cantor romântico, os cantores românticos tem mau hálito e pila pequena. Não uso cuecas. Eu até vos fazia um filho, mas garanto-vos que vai doer. «O que acabou de acontecer? Eles são drogados...» - devem estar vocês a pensar. Decidimos usar citações de José Cid sem usar aspas e resultou nisto - o parágrafo mais estranho de sempre. Para recuperar a estabilidade da vossa mente temos música!
    Os campeões de hoje são os All The Luck In The World com a música "Never" integrante do reclame (sempre quisemos escrever reclame num texto) da Trivago. Um exemplo de que uma boa escolha musical para a sua publicidade é bastante importante. Ainda no pódio temos Marcus Foster que tem uma voz semelhante à de Marcus Mumford dos Mumford & Sons e deu-nos esta boa balada "I Was Broken". Temos ainda duas músicas vindas da série Masters of Sex que findaram os dois primeiros episódios da série. São elas "Retrogade" de James Blake e "For Now I Am Winter" de Ólafur Arnalds. E que raio de fãs seriamos nós se não partilhássemos o novo single de James Arthur? James já se lançou e é com o single "You're Nobody 'Til Somebody Loves You" que vai tentar descolar-se do single imposto pelo X Factor "Impossible". Contamos ainda com "Tava na Tua" de Luiz Caracol e Sara Tavares que é a prova que vermos uma vez o Sol de Inverno da SIC tem vantagens para além da Victória Guerra. E do Inverno passamos para o Verão com "Summergirl" de um projecto antigo do cantor Myles Kennedy dos Alter Bridge (que vão estar no Coliseu dos Recreios a 16 de Novembro). Quem lançou um novo single foram os Pearl Jam com "Sirens". Esperemos que também liguem as "Sirens" e venham a Portugal num dos festivais de Verão. Por fim, destacamos ainda os irmãos gémeos dos The National - NO. A música "Stay With Me" inclui a banda sonora da série Suits e faz parte do primeiro EP dos mesmos chamado “Don’t Worry, You’ll be Here Forever”.
    E é isto, seus malandrecos. Voltaremos a postar música da boa quando Deus nosso senhor que está no céu quiser. 



Manchester United derrota Liverpool no regresso de Suárez

Manchester United  1 - 0  Liverpool (Chicharito 46')

      Capital One Cup - No regresso de Luis Suárez depois da sua longa suspensão, o Liverpool deslocou-se a Old Trafford e foi eliminado da taça da liga inglesa. Os reds até jogaram melhor mas uma falha defensiva bem aproveitada pelo "rato de área" Javier Hernandez marcou o jogo.

    Para o jogo de hoje, Brendan Rodgers colocou a carne toda que podia no assador. Procurou equilibrar a equipa (comparativamente com o jogo frente ao Southampton) com um 3-5-2, com José Enrique e Henderson a fecharem nas alas e um trio defensivo composto por Skrtel, Kolo Touré e Sakho. À frente de Gerrard e Lucas, um trio desconcertante e imprevisível que dará muitas alegrias aos adeptos do Liverpool esta temporada - Suárez, Sturridge e Moses. O United substituiu 8 jogadores relativamente ao derby frente ao Manchester United, deixando apenas De Gea, Smalling e Wayne Rooney, hoje o capitão. Com estas mudanças surgiram no onze jogadores que mereciam mais minutos, como Nani e Kagawa.
    A primeira parte foi pouco emocionante. Num Old Trafford com uma moldura humana fantástica, o United entrou melhor com Rooney, Chicharito, Kagawa e Nani activos, mas a defesa do Liverpool correspondeu sempre bem, acabando por tomar conta do jogo devagarinho. Poucos lances de relevo houve na primeira parte, sendo que se Sturridge não estivesse ligeiramente trapalhão e se Suárez não apresentasse uma fome de bola e de compensar o tempo perdido tão grande, provavelmente teria havido maior discernimento no último terço por parte dos reds. Na realidade, o melhor momento da 1.ª parte até terá sido um longo passe de Steven Gerrard a rasgar meio-campo, sendo que nos últimos minutos Sturridge rematou ao lado depois de ser lançado por Suárez e o uruguaio adiantou demasiado uma bola, deixando-a ao alcance de De Gea depois de um domínio daqueles que só ele consegue.
    Logo a abrir o segundo tempo foi o golo do Manchester United. Wayne Rooney bateu um canto e Chicharito, no meio de tantos defesas do Liverpool, foi quem conseguiu rematar, aproveitando uma desconcentração total do bloco dos reds e marcando o golo que decidiu o jogo.
    A partir daí o United procurou manter-se coeso e procurar sistematicamente Rooney nas suas saídas com bola. O Liverpool foi subindo no terreno e o jogo tornou-se rápido e aberto (também muito devido à saída de Lucas de campo, que desequilibrou o Liverpool). Valeu De Gea a evitar o golo de cabeça de Victor Moses e depois foi a barra, e um desvio de Phil Jones, a travar um livre de Suárez. O Manchester United procurou dilatar a vantagem e esteve perto de o conseguir em 2 lances: numa rápida e excelente reposição de bola de De Gea, acabou por ser Nani a vacilar no remate e, minutos depois, Rooney de bola parada obrigou Mignolet a aplicar-se. Bem perto do final Suárez ganhou uma bola no ombro a ombro, serviu Kolo Touré mas o defesa rematou mal, acabando ainda Sturridge por tentar desviar a bola, mas sem a melhor direcção.

    Pelo que o jogo foi justificava-se um 1-1 que levasse o jogo para prolongamento, mas acabou por ser uma desconcentração da defesa numa bola parada e a ratice de Chicharito a escrever o momento decisivo do jogo. Destaque para Wayne Rooney que continua num grande momento e que assumiu as responsabilidades ofensivas da equipa, com De Gea a ser importante entre os postes, tal como a experiência do "adjunto" Giggs no meio-campo e o maior poder físico que Phil Jones dá à equipa. Suárez voltou com muita vontade, mas a fazer as coisas por vezes muito depressa e, por isso, pior. O Liverpool tem agora os próximos tempos para se dedicar só ao campeonato porque a FA Cup ainda demora a chegar, e será importante que Rodgers afine o trio Moses-Suárez-Sturridge. Boa resposta do United de David Moyes depois da goleada sofrida no derby, uma vez que o onze inicial e o confronto da linha defensiva (Rafael Smalling Evans Buttner) contra o ataque do Liverpool até fazia prever maus momentos. Que Moyes utilize mais Kagawa e Nani, e vamos ver até onde chega este jovem Januzaj.


Barba Por Fazer do Jogo: Wayne Rooney (Manchester United)
Outros Destaques: De Gea, Rafael, Phil Jones, Giggs, Chicharito; Gerrard, Suárez
Golos:
1-0 Chicharito 46'